Comparativo dos dados censitários da educação superior no Brasil da implementação do Programa Incluir aos dias atuais

Etiene Paula da Silva Diniz, Aline Maira da Silva

Resumo


O presente trabalho tem como tema a inclusão dos estudantes PAEE no ensino superior. O objetivo do estudo é apresentar um comparativo dos dados censitários da Educação Superior no Brasil e no Mato Grosso do Sul entre 2013 e 2017. Como metodologia foi utilizada a pesquisa documental com o levantamento dos dados do censo da Educação Superior no site do INEP, no que tange: o número de instituições; sua organização e distribuição; o número geral de matrículas; o número geral de concluintes; o número de matrículas de estudantes PAEE no Brasil, na região Centro-Oeste e no estado de Mato Grosso do Sul. Como resultados, observou-se uma diminuição no número das IPES brasileiras, mas em relação ao Mato Grosso do Sul o número permaneceu o mesmo. O número de matrículas e concluintes geral apresentou um leve aumento. Do mesmo modo percebeu-se aumento no número de matrículas dos estudantes PAEE nas IPES brasileiras, no Centro-Oeste e no MS, mas ainda o número total não é significativo.


Palavras-chave


Ensino Superior. Educação Especial. Inclusão.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Educação/SEESP. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Documento elaborado Portaria nº 555/2007, prorrogada pela Portaria nº 948/2007, em 07 de janeiro de 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 31 jul. 2017.

BRASIL. INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Sinopse Estatística da Educação Superior 2016. Brasília: Inep, 2017. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/guest/sinopses-estatisticas-da-educação-superior. Acesso em: 26 abr. 2018.

BRASIL. INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Educação Superior Brasileira: 1991-2004. Brasília: Inep, 2006.

CABRAL, L. S. A.; SANTOS, V.; MENDES, E. G. Educação especial na educação superior: podemos falar em democratização do acesso? Revista Educação e Fronteiras On-Line, Dourados, v. 8, n. 23 p.111-126, maio/ago. 2018.

CABRAL, L. S. A. Políticas de ações afirmativas, pessoas com deficiência e o reconhecimento das identidades e diferenças no ensino superior brasileiro. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, 26(57), 2018.

CABRAL, L. S. A; SANTOS, B. C. Instrumentos informatizados institucionais para a identificação de necessidades educacionais de estudantes universitários. Inc. Soc., Brasília, v. 11 n. 1, p. 105-117, jul./dez. 2017. Disponível em: http://revista.ibict.br/inclusao/article/view/4084. Acesso em: 10 mar. 2018.

CIANTELLI, A. P., C.; LEITE, L. P. Ações Exercidas pelos Núcleos de acessibilidade nas Universidades Federais Brasileiras. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 22, n. 3, p. 413-428, jul./set. 2016.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censos demográficos. 2016. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/estadosat/perfil.php?sigla=go. Acesso em: 08 ago. 2017.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 6ª ed. São Paulo: Atlas, 2007.

MARTINS, D. A.; LEITE, L. P.; LACERDA, C. B. F. Políticas públicas para acesso de pessoas com deficiência ao ensino superior brasileiro: uma análise de indicadores educacionais. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v.23, n. 89, p. 984-1014, out./dez. 2015.

PLETSCH, M. D.; MELO, F. R. L. V. de. Estrutura e Funcionamento dos Núcleos de Acessibilidade nas Universidades Federais da Região Sudeste. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 12, n. 3, p. 1610-1627, jul./set. 2017.

SANTOS, J. B. Inclusão e preconceito na universidade: Possibilidades e limites para estudantes com deficiência. In: MIRANDA, T. G. GALVÃO FILHO, T. A. (orgs). O professor e a educação inclusiva: formação, práticas e lugares. Salvador: EDUFBA, 2012.




DOI: https://doi.org/10.30612/hre.v9i16.13108

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.