Formação inicial e continuada: o papel do Laboratório Interdisciplinar de Formação de Educadores - LIFE/UFGD

Adriana de Fátima Vilela Biscaro, Sandra Regina Oliveira de Souza, Maria Adriana Torqueti Rodrigues, Aldrin Cleyde Cunha, Adailton José Alves da Cruz

Resumo


Atualmente a Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) conta com um espaço “comum” de formação docente, denominado Laboratório Interdisciplinar de Formação de Educadores (LIFE/UFGD), que vem atuando deste 2015 na formação inicial e desempenha também um papel importante na formação continuada para os professores da Rede Básica de Ensino. O presente artigo tem como objetivo divulgar este espaço de formação e apresentar algumas das atividades que vêm sendo realizadas a partir das formações com bolsistas e professores parceiros do projeto. O desenvolvimento das atividades formativas, dá-se por discussões de metodologias de ensino interdisciplinar, fundamentadas nas pesquisas de Ivani Fazenda, Edgar Morin, Gaudêncio Frigotto e outros estudiosos que contribuem para as discussões do ensino interdisciplinar. As ações interdisciplinares realizadas nas escolas são planejadas de acordo com os Planos Pedagógicos das escolas parceiras do LIFE/UFGD, possibilitando sua inserção no contexto escolar da rede pública. Espera-se que o LIFE/UFGD possa continuar contribuindo para uma formação diferenciada e com qualidade, ampliando suas ações à medida que novas demandas das escolas e possivelmente da própria UFGD sejam solicitadas a este espaço de formação.


Palavras-chave


Formação docente. Interdisciplinaridade. PIBID. LIFE.

Texto completo:

PDF

Referências


AUSUBEL, D. P. A Aprendizagem Significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo, Moraes, 1982.

BISCARO, A. F.V. CUNHA, A. C. ARANDA, M. A. M. Contribuições do LIFE na UFGD para o PIBID na formação inicial e continuada de docentes. IN: MOURA, N. S. P., ARANDA, M. A. M. SANGALLI, A. BISCARO, A.F.V. PIBID na UFGD: Relatos de Experiências Pedagógicas (2014-2017). 1 ed. Dourados (MS): Paco, 2018. Cap I, p. 01 – 15. V 2.

BRASIL. Lei 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm. Acesso em: 09/06/2019.

BRASIL. Ministério da Educação-MEC, Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio: Ciências da natureza, matemática. Brasília, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação-MEC, Secretaria de Educação Básica. Orientações Curriculares para o Ensino Médio: Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília, 2006.

BRASIL. Portaria nº. PORTARIA Nº 104, DE 13 DE JULHO DE 2012. Dispõe sobre o Programa de Apoio a Laboratórios Interdisciplinares de Formação de Educadores - LIFE, no âmbito da CAPES. Brasil, 2012. Disponível em: http://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/Portaria-n-104-de13072012.pdf. Acesso em: 04/09/2019.

DOMINGS, Y., Crevecoeur, Y. C., & Ralabate, P. K. Universal design for learning. Meeting the needs of learners with autism spectrum disorders. In K. I. Boser, M. S. Goodwin& S. C. Wayland (Eds.). Technology tools for students with autism. Innovations that enhanceindependence and learning (pp.21-41). Baltimore: Paul Brookes Publishing.2014.

FAZENDA, I. C. A.; Didática e Interdisciplinaridade. 13° ed. Campinas, São Paulo: 2008.

FAZENDA, I. C. A.; Práticas Interdisciplinares na Escola. 12° Ed. Cortez; São Paulo, 2011.

FRIGOTTO, G.; A interdisciplinaridade como necessidade e como problema nas ciências sociais: Revista do Centro de Educação e Letras; Ideação, Vol. 10, N°1 –p.41-62, 2008. Disponível em http://e-revista.unioeste.br/index.php/ideacao/article/view/4143. Acesso em 13/08/2019.

GATTI, B. A.: Formação de Professores; Condições e Problemas Atuais. Revista Internacional de Formação de Professores. Itapetininga, 2016.

MANSILLA, V. B.; MILLER, W. C.; GARDNER, H. Ondisciplinarylensesandinterdisciplinarywork. In: WINEBURG, S. S.; GROSSMAN, P. M. (Ed.) Interdisciplinary curriculum: challenges to implementation. New York: Teachers College Press, 2000.

MEYER A, ROSE D. H. GORDON D. Universal Design for Learning: Theory & Practice includes,CAST Professional Publishing 2014.

NUNES, C. , MADUREIRA, I. Desenho Universal para a Aprendizagem: Construindo práticas pedagógicas inclusivas, Da Investigação às Práticas, p. 126 – 143, 2015.

MORIN E. Os setes saberes necessários a educação do presente. Ed. Cortez; UNESCO. Brasília, 2013.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: Pimenta, S.G. (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

RAJEWSKY, I. A fronteira em discussão: o status problemático das fronteiras midiáticas no debate contemporâneo sobre intermidialidade. In: DINIZ, T. F. N. e VIEIRA, A. S. (Orgs). Intermidialidade e Estudos Interartes: desafios da arte contemporânea. Belo Horizonte. FALE/UFMG, 2012.

RAPP, W. H. Universal design for learning in action: 100 ways to teach all learners. Baltimore: Paul Brookes Publishing, 2014.




DOI: https://doi.org/10.30612/hre.v9i16.13092

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.