A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e a epistemologia de Paul Karl Feyerabend no ensino de ciências: questões terminológicas

Cassiane Beatrís Pasuck Benassi, Mariane Grando Ferreira, Dulce Maria Strieder

Resumo


A Base Nacional Comum Curricular promulgada em 2018 traz como função reorganizar os currículos municipais, estaduais e privados, e mudanças para o ensino das disciplinas. Para a compreensão desta, remete-se um olhar para os seus fundamentos, suas finalidades e objetivos, e, no que tange principalmente o referido estudo, as disciplinas que compõe as Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Biologia, Física e Química. Para tanto, o presente estudo visou realizar uma análise entre as terminologias apresentadas nas competências e habilidades na área das Ciências Naturais e Tecnologias para o Ensino Médio, a luz das teorias de Feyerabend acerca destas. Como resultado, percebe-se a presença dos verbos atitudinais, procedimentais e conceituais como elementos visíveis nas teorias propostas pela BNCC, bem como uma metodologia pluralista, com liberdade de pensamento, criticidade e autonomia, sendo compatíveis com as teorias de Feyerabend.

Palavras-chave


Ensino de Ciências. Feyerabend. Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, A. C. R. Biologia, Tecnologia e Inovação no currículo do Ensino Médio. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 3, n. 1, p.61-80. 1998.

BONFIM, D. D. S.; NASCIMENTO, W. J. Os três momentos pedagógicos no ensino de física: uma revisão sistemática de literatura. Ensino & Pesquisa: Revista Interdisciplinar de Licenciatura e Formação Docente, União da Vitória, v. 16, n. 3, p.139-155, jul/set. 2018.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: BNCC. 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 10 jul. 2019.

BRASIL. Censo Escolar. São Paulo: MEC, 2018.

CASTRO, R. M.; GARROSSINO, S. R. B. O Ensino Médio no Brasil: Trajetória e Perspectivas de uma organização politécnica entre educação e trabalho. Organizações e Democracia, Marília, v. 11, n. 1, p.1-14, 2010.

CHALMERS, A. F. O que é Ciência Afinal? Tradução Raul Filker. [S.l.]: Brasiliense, 1993. 230 p.

CUNHA, L. A. Ensino Médio: Atalho para o passado. Educação e Sociedade, Campinas, v. 38, n. 139, p.373-384, 2017.

DAMASIO, F.; PEDUZZI, L. O. de Q. O Pior Inimigo Da Ciência: procurando esclarecer questões polêmicas da epistemologia de Paul Feyerabend na formação de professores. Investigações em Ensino de Ciências, v. 20, p. 97-126. 2015.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J.A; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de Ciências: Fundamentos e Métodos. São Paulo: Cortez, 2009.

FEYERABEND, P. Contra o Método. Tradução Octanny S. da Mota e Leonidas Hegenberg. Rio de Janeiro: F. Alves, 1977. 488 p.

FEYERABEND, P.K. Como defender a sociedade contra a ciência. 2009. Tradução: Paulo Luiz Durigan. Disponível em: http://stoa.usp.br/daros/files/2856/16814/feyerabend.pdf. Acesso em: 10 jul. 2019.

FEYERABEND, P.K. A Ciência em uma sociedade livre. São Paulo: Editora UNESP, 2011.

FEYERABEND, P. K. Contra o método. São Paulo: Editora Unesp, 2011.

GERHARD, A. C.; ROCHA FILHO, J. A Fragmentação dos saberes na Educação Científica escolar na percepção de professores de uma escola de Ensino Médio. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 17, n. 1, p.125-145, 2012.

GIL PÉREZ, D. et al. Para uma imagem não deformada do trabalho científico. Ciência & Pesquisa Educação, v. 7, n. 2. São Paulo, 2001. p. 125-153.

GIORDAN, Marcelo. Atividade, propósito e conceito em SD. s/d. Disponível em: https://midia.atp.usp.br/plc/plc0703/impressos/plc0703_10.pdf. Acesso em: 10 jul. 2019.

HALMENSCHLAGER, K. R.; DELIZOICOV, D. Abordagem Temática no Ensino de Ciências: Caracterização de Propostas Destinadas ao Ensino Médio. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, Florianópolis, v. 10, n. 2, p.305-330, nov. 2017.

LABURÚ, C. E.; ARRUDA, S. M.; NARDI, R. Pluralismo Metodológico no Ensino de Ciências: Methodological pluralism in science teaching. Ciência & Educação, Bauru, v. 9, n. 2, p.247-260, 2003.

LIMA, J. F; AMORIM, T. V.; LUZ, P. C.S. Aulas práticas para o ensino de Biologia: contribuições e limitações no Ensino Médio. Revista de Ensino de Biologia da Sbenbio, Campinas, v. 11, n. 1, p.36-54, 2018.

MAGALHÃES, G. Por uma dialética das controvérsias: o fim do modelo positivista na história das ciências. Estudos Avançados: USP, São Paulo, v. 94, n. 32, p.345-361. 2018.

MARCONI, M.A; LAKATOS, E.M. Fundamentos da Metodologia Científica. São Paulo: Atlas, 2003.

MOREIRA, M. A. Grandes desafios para o Ensino de Físico na Educação Contemporânea. 2014. Disponível em: https://www.if.ufrj.br/~pef/aulas_seminarios/seminarios/2014_Moreira_DesafiosEnsinoFisica.pdf. Acesso em: 23 jul. 2019.

PEREIRA, M. M.; ABIB, M. L. V. S. Memória, cognição e afetividade: um estudo acerca de processos de retomada em aulas de Física no Ensino Médio. Ciência & Educação, Bauru, v. 22, n. 4, p.855-873. 2016.

PIOVESAN, V. H. B.; SANTOS, L. R. Reflexões acerca do Ensino de Ciências à luz de Feyerabend. In: XVII JORNADA DE PESQUISA, 12., 2017, Ijuí. Anais... Ijuí: Unijuí, 2017. p. 1 - 11.

RAZERA, J. C. C.; NARDI, R. Ética no Ensino de Ciências: responsabilidades e compromissos com a evolução moral da criança nas discussões de assuntos controvertidos. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 11, n. 1, p.53-66, 2006.

REGNER, A. C. K. P. Feyerabend e o pluralismo metodológico. Caderno Catarinense de Ensino de Física, Florianópolis, v.13, n.3, p. 231-247. 1996.

ROCHA, J. S.; VASCONCELOS, T. C. Dificuldades de aprendizagem no ensino de Química: algumas reflexões. In: XVIII CONGRESSSO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA, 2016, Florianópolis. Anais... Florianópolis: Eneq, 2016. p. 1 - 10.

SASSERON, L. Ensino de Ciências por Investigação e o Desenvolvimento de Práticas: Uma Mirada para a Base Nacional Comum Curricular. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 18, n. 3, p.1061-1085. 2018.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez, 2007.

SILVA, M. R. Currículo, ensino médio e BNCC. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 9, n. 17, p.367-379, 2015.

SILVA, O. S et al. Ênfase no Ensino de Química: Uma Ciência complexa no Ensino Médio. In: CONGRESSO CIENTÍFICO FAMETRO, 2018, Manaus. Anais.... Manaus: Concifa, 2018. p. 1 - 4.

SILVA, A. F.; FERREIRA, J. H.; VIEIRA, C. A. O Ensino de Ciências no Ensino Fundamental e Médio: reflexões e perspectivas sobre a educação transformadora. Revista Exitus, Santarém, v. 7, n. 2, p.283-304, 2017.

ZANATTA, S. C.; NEVES, M. C. D. Uma discussão sobre a implantação da BNCC - Um olhar. Realize, Campina Grande, 2016. v. 1. p. 1-12.




DOI: https://doi.org/10.30612/hre.v8i15.10450

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.