O Conceito ‘nomadismo’ a BNCC e nos livros didáticos do Ensino Fundamental/Anos Iniciais - 4º E 5º anos

entre o prescrito e o interpretado para o ensino De História

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30612/rehr.v16i31.14844

Palavras-chave:

Nomadismo, povos indígenas, livros didáticos de história, ensino fundamental I, BNCC.

Resumo

O artigo analisa o conceito e a apropriação do termo nomadismo a partir do que foi prescrito pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o ensino de História nos 4º e 5º anos do Ensino Fundamental/ Anos Iniciais, e em 2 volumes de 2 coleções didáticas. Tomamos como objeto de análise a BNCC (2017) e os 2 livros didáticos de História das coleções “Ápis” (SIMIELLE & CHARLIER, 2017) e “Vamos Aprender” (MINORELLE & CHIBA, 2017. Como encaminhamento metodológico optamos por uma análise argumentativa seguindo a linha teórica adotada por alguns autores que vêm desenvolvendo e publicando pesquisas voltadas à história indígena, etno-história, antropologia (ALMEIDA, 2010; OLIVEIRA, 2016; MOTA, 2014;  RODRIGUES, 2012; WOLF, 2005; MONTEIRO, 1995), ao ensino de história indígena (SILVA, 2015, 2018; SILVA & GRUPIONI, 1995; WITTMANN, 2015; RODRIGUES; JATOBÁ; RIGONATO, 2020; NOVAK; JACOMINI,2020); ao ensino de história (ABUD, 1984, 2017; MORENO, 2016; PEREIRA & RODRIGUES, 2018), e aos estudos sobre educação e currículo (SACRISTÁN, 2013; SILVA, 2007; SILVA, 2017, SABCHUK, 2020), entre outros, cuja produção científica possibilitou-nos problematizar e demonstrar que o ensino da história dos povos originários ou povos indígenas que vem sendo ensinada nas salas de aula da Educação Básica e presentes como conteúdos nos manuais didáticos selecionados, respeitados os avanços e a Lei 11.645/2008 que tem contribuído bastante nesse processo, ainda não se apropriou da produção científico-acadêmica de História, Antropologia,  Etno-história e Ensino de História produzida nos últimos 30 anos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isabel Cristina Rodrigues, UEM

Possui graduação em História pela Universidade Estadual de Maringá (1988); Mestrado em Educação pela mesma instituição (2001) e Doutorado em Ciências Sociais – Antropologia, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2012). Atualmente é professora adjunta do Depto. de História da Universidade Estadual de Maringá; pesquisadora do Grupo de Pesquisa do CNPq Programa Interdisciplinar de Estudos de Populações - Laboratório de Arqueologia, Etnologia e Etno-história da UEM (PIESP/LAEE); docente nos Programas de Pós-graduação Mestrado Profissional em Ensino de História (PROFHISTÓRIA) da UEM e do Mestrado Profissional em Políticas Públicas (PPP) da UEM. Foi coordenadora do Programa Residência Pedagógica no curso de História sede da UEM (2018-2020). Foi coordenadora do PIBID História/UEM (2014-2018). Tem experiência na área de História, com ênfase em História e Metodologia do Ensino de História no Brasil, História Indígena, ensino de história indígena na educação básica e superior indígena. Atua principalmente nos seguintes temas: antropologia/etnologia indígena - história - educação - ensino de história, ensino de história indígena (LEI 11645/2008) e ensino superior indígena. Foi membro da CUIA (Comissão Universidade para os Índios) no estado do Paraná e foi presidente da mesma comissão (2013-2016). Tem experiência em gestão, tendo sido chefe e chefe adjunta do Departamento de História da UEM; foi coordenadora adjunta do curso de graduação História da UEM. Atualmente é coordenadora do Curso de História.

Franciele Sabchuk, Universidade Estadual de Maringá

Mestre em Ensino de História pelo Programa ProfHistória do MEC, Pólo Universidade Estadual de Maringá. Graduada em História (TUIUTI) e pós graduada no curso História e Geografia do Paraná (BAGOZZI). Atualmente é Professora da rede municipal de São José de Pinhais, lotada na Secretaria de Educação, coordenando o Programa de Formação de Professores na área de História. Foi conselheira Titular do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de SJP (2014-2016); Participou da elaboração do Plano Decenal Municipal de Direitos das Crianças e Adolescentes (2016); representante da Secretaria Municipal de Educação no Programa Municipal de Erradicação do Trabalho Infantil (2019-2021)

Referências

ABUD, Katia Maria. Ensino de História e Base nacional Comum Curricular: desafios, incertezas e possibilidades. In: RIBEIRO JUNIOR H.C. VALÉRIO, M.E. Ensino de história e currículo. Jundiaí, SP: Paco editorial, 2017.

ABUD, Kátia Maria. O livro didático e a popularização do saber histórico. Repensando a história, 1984.

Acesso em: 08 jun. 2018.

ALMEIDA, Maria Regina Celestino de. Maria Regina Celestino de. Metamorfoses indígenas, 2010.

ARROYO, Miguel G. Escola, cidadania e participação no campo. Em Aberto, v. 1, n. 9, 2011.

BRASIL. BNCC – Base Nacional Curricular Comum. Brasília: SEE, 2017c.

Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/download-da-bncc

CATELLI, Roberto. BNCC e a História na Educação Básica: um pouco mais do mesmo. In: CÁSSIO, Fernando; CATELLI, Roberto; Educação é a Base. Ação Educativa, 2019.

CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise. Ensino Médio e Educação Profissional no Brasil: dualidade e fragmentação. Retratos da Escola, v. 5, n. 8, p. 27-41, 2012.

FRANCO, Aléxia Pádua Franco; FONSECA, Selva G.; SILVA, Astrogildo Fernandes Junior. Saberes históricos prescritos na BNCC para o ensino fundamental: tensões e concessões. In: Ensino em Re-Vista; Uberlândia, MG; v.25; n. Especial; p. 1016-1035; 2018.

MARÉS, Carlos Frederico Marés de Souza Filho (org.). Direitos dos povos indígenas no Brasil: desafios no século XXI. – Curitiba: Letra da Lei, 2013.

Goody, Jack. A invenção da Antiguidade. Editora Contexto, 2008.

MARX, Karl. A ideologia alemã. São Paulo: Hucitec, 1979a.

MARX, Karl. Contribuição à crítica da economia política. São Paulo: Abril Cultural. 1979b. (Os Pensadores)

MARX, Karl. Manuscritos económicos-filosóficos. Lisboa: Edições 70, 1993.

MELLO, MARIA BEATRIZ PEIXOTO; CARNEIRO, LUIZA DE MACEDO SOARES VIEIRA. Onde estão os nômades na globalização?: observando o nomadismo, da territorialidade à segurança. Revista Cadernos Internacionais, v. 2020, n. 2, 2020.

MORENO, Jean Carlos. História na Base Nacional Comum Curricular:

déjà vu e novos dilemas no século XXI. In: História & Ensino, Londrina, v. 22, n. 1, p. 07-27, jan./jun. 2016.

MOTA, Lucio Tadeu. Etno-história: uma metodologia para abordagem transdisciplinar da história de povos indígenas. Patrimônio e Memória, v. 10, n. 2, p. 5-16, 2014.

OLIVEIRA FILHO, João Pacheco de. O nascimento do Brasil e outros ensaios:" pacificação", regime tutelar e formação de alteridades. Contra Capa, 2016.

PEREIRA, Nilton Mullet; RODRIGUES, Mara Cristina de Matos. BNCC e o passado prático: temporalidades e produção de identidades no ensino de história. Archivos analiticos de politicas educativas. Florida: EPAA, 2018. Vol. 26, n. 107 (3 set. 2018), 22 f., 2018.

RODRIGUES, Isabel Cristina et al. Vẽnh Jykre si: memória, tradição e costume entre os Kaingang da TI-Faxinal-Cândido de Abreu-Pr. 2012.

SABCHUK, Franciele. Entre prescrições e práticas: uma proposta para a formação continuada de professores no trabalho com a questão indígena no ensino de história para as séries iniciais no município de São José dos Pinhais. Maringá. 2020. Programa de Mestrado Profissional em ensino de História -UEM. Dissertação de Mestrado.

SACRISTÁN, José Gimeno. A função aberta da obra e seu conteúdo. In: SACRISTÁN, J. G. (Org.). Saberes e incertezas sobre o currículo. Porto Alegre: Penso, 2013. p. 9-14.

SILVA, Giovani José da. Ensino de História indígena. WITTMANN, Luisa T. Ensino d(e) história indígena. Belo Horizonte: Autêntica Editora, p. 21-46, 2015.

SILVA, Giovani José; DA COSTA, Anna Maria Ribeiro FM. Histórias e culturas indígenas na Educação Básica. Autêntica, 2018.

SILVA, Marcos. " TUDO QUE VOCÊ CONSEGUE SER"-TRISTE BNCC. Ensino em Re-Vista, p. 1004-1015, 2018.

SILVA, PETRONILHA BEATRIZ GONÇALVES. Aprender, ensinar e relações étnico-raciais no Brasil. In: EDUCAÇÃO. Porto Alegre/RS, ano XXX, n. 3 (63), p. 489-506, set./dez. 2007.

SILVA, T. T. Documentos de Identidade: uma introdução às teorias do currículo. 3. Ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

WITTMANN, Luisa Tombini. Ensino (d)e história indígena. Autêntica, 2015.

WOLF, Eric R. A Europa e os povos sem história. Edusp, 2005.

Downloads

Publicado

01-06-2022

Como Citar

Rodrigues, I. C., & Sabchuk, F. (2022). O Conceito ‘nomadismo’ a BNCC e nos livros didáticos do Ensino Fundamental/Anos Iniciais - 4º E 5º anos: entre o prescrito e o interpretado para o ensino De História. Revista Eletrônica História Em Reflexão, 16(31), 59–81. https://doi.org/10.30612/rehr.v16i31.14844