Cultura escolar nas classes experimentais secundárias do Colégio das Cônegas de Santo Agostinho pelas memórias da professora Elza Miné (1959-1962)

Autores

  • Fernanda Gomes Vieira Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
  • Norberto Dallabrida Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

DOI:

https://doi.org/10.30612/eduf.v9i25.11103

Palavras-chave:

Cultura escolar. Classes Secundárias Experimentais. Pedagogia Personalizada e Comunitária.

Resumo

As classes secundárias experimentais renovaram, de forma significativa, o ensino secundário brasileiro nos anos 1950 e 1960. Na rede católica, esta experiência foi realizada a partir da apropriação da Pedagogia Personalizada e Comunitária (PPC), criada pelo padre jesuíta francês Pierre Faure, que aproxima a Escola Nova e a tradição educacional católica. Assim, o objetivo deste trabalho é compreender a cultura escolar na classe secundária experimental do Colégio das Cônegas de Santo Agostinho, de 1959 a 1962, educandário católico, elitista e destinado ao público feminino, a partir das memórias da ex-professora de latim e português Elza Assunção Miné. Como referencial teórico são utilizados os conceitos de cultura escolar, enunciado por Dominique Julia, e de apropriação, cunhado por Roger Chartier. A entrevista com a exprofessora Elza Miné foi feita nos moldes da metodologia da história oral, que considera a memória marcada pela subjetividade. Desta forma, na cultura escolar das classes secundárias experimentais do Colégio das Cônegas de Santo Agostinho, o foco foi colocado sobre as dimensões espaço-temporais flexíveis e o trabalho individual e colaborativo de pesquisa orientado por roteiros de estudo inscrito em fichas.

Downloads

Publicado

30/04/2019

Como Citar

Vieira, F. G., & Dallabrida, N. (2019). Cultura escolar nas classes experimentais secundárias do Colégio das Cônegas de Santo Agostinho pelas memórias da professora Elza Miné (1959-1962). Educação E Fronteiras, 9(25), 222–236. https://doi.org/10.30612/eduf.v9i25.11103