Mídia, religião e globalização: a representação da mulher no pentecostalismo digital

Matheus Machado Vieira

Resumo


O objeto dessa discussão foi pensado dentro de uma perspectiva teórico-metodológica no que concerne às relações entre as expressões midiáticas da religiosidade pentecostal e os sentimentos na História. Os arcabouços que dão sustentação a essa análise são os fenômenos da globalização, do consumo e da propagação midiática: um cenário que atinge todas as formas de vida e expressões, entre elas a religião cristã. Por meio de duas lideranças pentecostais específicas, a pastora brasileira Sarah Sheeva e a escritora cristã estadunidense Stormie Omartian, é possível compreender conceitos concernentes a identidade, representação e sentimentos no que diz respeito a um modelo de mulher, família e sexualidade.

Palavras-chave


Consumo. Globalização. Mulheres. Pentecostalismo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.30612/frh.v19i34.7599

Fronteiras: Revista de História - PPGH/FCH/UFGD
 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.