CHAMADA DE ARTIGOS PARA 2021/1. DOSSIÊ 18: A CIÊNCIA E A HISTÓRIA NATURAL NA ERA MODERNA

O processo que levou à Revolução Científica na Europa dos séculos XVI e XVII, e à consolidação da ciência moderna no século XVIII, não pode ser analisado como um conjunto de eventos isolados e restritos ao continente europeu. Além da importante influência que o contato decorrente das Navegações e do comércio ultramarino com o Oriente trouxeram para o desenvolvimento das ciências no velho continente, o encontro com o Novo Mundo e suas particularidades ampliaram ainda mais as possibilidades nos estudos de observação, descrição e catalogação dos fenômenos naturais, especialmente impulsionados pelos religiosos que difundiram certos conhecimentos e práticas científicas por onde passaram. Ainda que a historiografia ocidental tenha dado mais importância às descobertas nas áreas da astronomia e da física – não necessariamente pela relevância das disciplinas, mas por serem a via mais fácil de identificarem-se as mudanças e inovações ocorridas na época –, tão relevante quanto o campo teórico, o empirismo foi uma atividade de grande influência para o desenvolvimento da ciência moderna, encontrando na História Natural um dos seus ramos mais ativos dentro e fora da Europa. Este dossiê convida pesquisadores interessados na história da ciência da Era Moderna a discutirem os processos de circulação e produção de conhecimento e os personagens neles envolvidos, bem como as teorias científicas vigentes e a relação existente entre ciência e religião no período.

 

Guilherme G. Felippe (PPGH/UFGD)

Eliane Cristina Deckmann Fleck (PPGH/Unisinos)

(Organizadores)