Dilma Rousseff: as eleições e a lógica androcêntrica na política brasileira

Amanda Motta Castro, Marcio Caetano

Resumo


Com este artigo nos propomos a analisar os modos como as dinâmicas androcêntricas desestabilizam e deslegitimam a presença da mulher no cenário político brasileiro. Para tanto, balizamos nossa análise na emergência eleitoral da candidatura de Dilma Rousseff à presidência da república em 2010. Ao nos centrarmos no percurso eleitoral de Dilma Rousseff, observamos como o trânsito e as participações mantidas pelos diferentes sujeitos na política brasileira assumem configurações diversas, buscando interditar os conhecimentos da mulher e as diferentes formas de entender os espaços e as práticas políticas, afiançando o androcentrismo e a heteronormatividade.

Palavras-chave


Eleição. Dilma Rousseff. Assimetria sexual.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, Neuma. 2000. Patriarcado, sociedade e patrimonialismo. Sociedade & Estado. vol.15 no.2 Brasília Jun/Dez.

BBC – BRASIL. 2010. Assessor de Dilma na web diz que mentiras mancharam a campanha. Disponível em: http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2010/10/101021_internet_sub2_fp. Acessado em março de 2018.

BUTLER, Judith. 2003. Variaciones sobre sexo y género. In: LAMAS, Marta. El género: la construcción cultural de la diferencia sexual. Cidade do México: Unam/Pueg, p. 303-326.

CAETANO, Marcio. 2016. Performatividades reguladas: narrativas biográficas, heteronormatividade e educação. Curitiba: Appris.

CAMILO, Eduardo. 2008. Vendendo às gargalhadas. Apontamentos sobre o estatuto do humor na comunicação publicitária. In: CD das Atas das III Jornadas de Publicidade e Comunicação: Porto, Universidade Fernando Pessoa.

CASTRO, Amanda Motta. 2017. Feminismo, violência e formação docente!. In: Katemari Diogo da Rosa, Marcio Caetano, Paulo Castro. (Org.). Gênero e sexualidade: intersecções necessárias à produção de conhecimentos.Campina Grande: FURG - Realize.

CASTRO, Amanda Motta. 2017. Unos piqueticos: ¡A pesar de ellos es preciso luchar sin temer!. In: Nivia Ivette Núñez de la Paz, Romi Márcia Bencke. (Org.). Presidenta Dilma: en sororidad mujeres rescatan la historia. São Leopoldo: Karywa.

CERVELLINI, Silvia; GIANI, Malu; PAVANELLI, Patrícia. 2011. Economia, Religião e Voto: a Questão do Aborto na Eleição Presidencial de 2010. IV Congresso Latino-Americano da World Association for Public Opinion Research, Belo Horizonte: UFMG.

COURTINE, Jean-Jacques. 1999. O chapéu de Clémentis. In: INDURSKY, Freda; FERREIRA, Maria Cristina. (org.) Os múltiplos territórios da Análise do Discurso. Porto Alegre: Sagra Luzzatto, p. 15-22.

DEBATE BAND, 2010. Debate entre DILMA X SERRA. Publicado em 10 de outubro de 2010. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=-yS6aw8Ll60 Acessado em abril de 2018.

DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ASSESSORIA PARLAMENTAR. 2014. Radiografia do Novo Congresso: Legislatura 2015-2019 / Brasília, DF: DIAP. 164 p.: il. ; color. (Estudos Políticos do DIAP). Disponível em: http://www.diap.org.br/index.php?option=com_jdownloads&Itemid=217&view=finish &cid=2883&catid=41. Acessado em junho de 2018.

EL PAÍS. 2015. Serra assegura que Dilma não acabará o mandato. É crível ? Disponível em : https://brasil.elpais.com/brasil/2015/01/30/opinion/1422647442_830138.html Acessado em maio de 2018.

FREIRE, Paulo. 2001. Pedagogia do oprimido. 45. ed. São Paulo: Paz e Terra.

FREIRE, Paulo. 2003. Pedagogia da esperança. Um reencontro com a pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra.

FEITOSA, Cleyton. 2017. Mapeando demandas por participação política da população LGBT no Brasil. BAGOAS n. 17, p. 282-317.

FOLHA DE SÃO PAULO. 2008. Presidente Lula afirma que Dilma é mãe, avó e tia do PACH. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u393239.shtml. Acessado em abril de 2018.

FOLHA DE SÃO PAULO. 2011. Discurso disponível em Acessado em maio de 2018.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

G1. 2008. “Dilma é mãe, avó e tia do PAC” Diz Lula. Disponível em: http://g1.globo.com/Noticias/Politica/0,,MUL413988-5601,00-DILMA+E+MAE+AVO+E+TIA+DO+PAC+DIZ+LULA.html. Acessado em abril de 2018.

GOMES, Wilson. 2004. Transformações da política na era da comunicação de massa. São Paulo: Paulus.

GULLO, Carla.; NEVES Maria L. A mulher do presidente. Revista Marie Claire. Disponível em http://revistamarieclaire.globo.com/Marieclaire/0,6993,EML1697826-1739,00.html. Acessado em junho de 2018.

HARTSOCK, Nancy. 1998. The feminist standpoint: developing the ground for a specifically feminist historical materialism. In: ______. The feminist standpoint revisited and other essays. Colorado: Westview Press, p. 105-132.

KRAKOVICS, Maria L. 2014. De volta ao Senado, Aécio Neves promete ‘oposição sem trégua’. Disponível em: https://oglobo.globo.com/brasil/de-volta-ao-senado-aecio-neves-promete-oposicao-sem-tregua-14454633#ixzz5PhlMgIFG Acessado em abril de 2018.

LAGARDE, Marcela. 2011. Los cautiverios de las mujeres: madres, monjas, putas, presas y locas. Ciudad de Mexico: UNAM.

MAFFÍA, Diana. 2005. El contrato moral. In: CARRIÓ, Elisa; MAFFÍA, Diana. Búsquedas de sentido para una nueva política. Buenos Aires: Paidós.

MARTINS, Rodrigo. 2015. A bancada BBB domina o Congresso https://www.cartacapital.com.br/revista/844/bbb-no-congresso-1092.html Acessado em maio de 2018.

MAYRINK, José Maria. 2010. Dilma visita santuário Nossa Senhora Aparecida. Disponível em: http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,dilma-visita-santuario-nossa-senhora-aparecida-no-interior-de-sao-paulo,623428. Acesso em maio de 2018.

MEIO NORTE. 2010. Dilma você é homossexual? Eu não vou responder. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=n8xcN5cLQeM. Acessado em abril de 2018.

MENEZES, Cynara. 2010. Papéis e Papelões. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/politica/papeis-e-papeloes. Acesso em março de 2018.

PAGOTTO, Dom Aldo. 2010. Posicionamento de Dom Aldo Pagotto sobre “a cultura do aborto”. Publicado em 10 de outubro de 2010. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?annotation_id=annotation_25368&feature=iv&src_vid=-yS6aw8Ll60&v=j2q2DI9RsUo. Acesso em abril de 2018.

PASSARINHO, Nathalia (2011). Governo não fará ‘propaganda de opção sexual’ diz Dilma sobre o kit. Matéria disponibilizada pelo jornal G1. Disponível em: http://g1.globo.com/educacao/noticia/2011/05/governo-nao-fara-propaganda-de-opcao-sexual-diz-dilma-sobre-kit.html Acessado em abril de 2018.

PERELMAN, Chan.; OLBRECHTS-TYTECA, Lucie. 1996. Tratado da argumentação: a nova retórica. São Paulo: Martins Fontes.

PRIMEIRA IGREJA BATISTA DE CURITIBA. 2010. Posicionamento do Pr. Paschoal Piragine Jr sobre as eleições 2010. Publicado em 31 de Agosto de 2010. Disponível em: http://www.youtube.com/verify_age?next_url=/watch%3Fv%3DILwU5GhY9MI Acessado em abril de 2018.

PROGRAMA NACIONAL DE DIREITOS HUMANOS (Decreto 7,037/2009, atualizado pelo Decreto 7.177 de 12 de maio de 2010. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d7037.htm Acessado em maio de 2018.

REVISTA ÉPOCA. ANO. Foto inédita mostra Dilma em interrogatório em 1970. Disponível em http://revistaepoca.globo.com/Brasil/noticia/2011/12/foto-inedita-mostra-dilma-em-interrogatorio-em-1970.html Acessado em maio de 2018.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. 1995. Emilio, ou da educação. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

ROUSSEFF, Dilma. 2010. O Discurso pronunciado por Dilma Rousseff na cerimônia de posse. Disponível em

SAFFIOTI, Heleieth. 1987. O poder do macho. São Paulo: Moderna.

SILVA, Ilse Gomes. 2016. A agenda conservadora assume o centro da cena política no Brasil. Lutas Sociais, São Paulo, vol.20 n.36, jan./jun, p.140-150.

VAN DIJK, Teun. 2008. Discurso e poder. São Paulo: Contexto.

VIYUELA, Thais. 2016. A política não veste saia. Disponível: https://www.huffpostbrasil.com/thais-viyuela/a-politica-nao-veste-saia_a_21696197/. Acessado em abril de 2018.




DOI: https://doi.org/10.30612/nty.v6i8.8819

________________________________________________________________________

ISSN 2317-8590 (O código ISSN é único para todas as edições)
Todos os direitos reservados ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia - PPGAnt/UFGD
UFGD - Universidade Federal da Grande Dourados
FCH - Faculdade de Ciências Humanas
Rodovia Dourados-Itahum, Km 12 - Caixa Postal 533 - Cidade Universitária
Dourados-MS (Brasil) - CEP 79804-970

  

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.