Formação, pesquisa e práticas no contexto da educação escolar indígena: as ações do Pibid Diversidade no povo Xukuru do Ororubá

Jaqueline Barbosa da Silva

Resumo


O desencadeamento do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência para a Diversidade (Pibid Diversidade), no contexto da educação escolar indígena, anuncia estratégias de trabalho que contribui com a autonomia coletiva, o processo de construção do conhecimento e o fortalecimento da identidade étnica. Assim, o presente artigo apresenta os resultados da pesquisa Professores Indígenas de Pernambuco: formação, pesquisa e prática pedagógica (2011-2013), realizada na 1ª edição do Pibid Diversidade, contextualizando a trajetória histórica do povo Xukuru e as práticas desencadeadas no âmbito da educação escolar deste grupo étnico. Logo, servimo-nos das lentes teóricas de Almeida (2017), Grosfoguel (2007) e Mignolo (2007) para explicitar o caráter epistemológico da prática pedagógica na educação escolar indígena. Essa compreensão solicitou uma metodologia filiada às perspectivas do movimento recursivo, rompendo com a linearidade colonialista das ações societárias e governamentais. A desnaturalização dos olhares viciados pela modernidade, pela colonialidade e pelo capitalismo anunciou que, as ações intervencionistas em desenvolvimento pelo público do Pibid Diversidade, no povo Xukuru do Ororubá, os processos aprendentes, formativos e paritários interrelacionam a vida das comunidades indígenas com a construção do conhecimento, reunindo escola e comunidade de modo singular e diferenciado.

Palavras-chave


Pibid Diversidade. Educação Escolar Indígena. Povo Xukuru.

Texto completo:

PDF

Referências


ARRUTI, José Maurício. 2004. “A produção da alteridade: o Toré como código das conversões missionárias e indígenas”. Anais do VII Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Ciências Sociais – A questão social no novo milênio, Coimbra/Portugal.

ALMEIDA, Eliene Amorim. 2017. A interculturalidade no currículo da formação de professoras e professores indígenas no Programa de Educação Intercultural da UFPE/CAA - Curso de Licenciatura Intercultural. Tese de Doutorado em Educação, Universidade Federal

de Pernambuco.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. 2006. O que é educação. 48ª ed., São Paulo, Brasiliense.

BRASIL. 1999. Parecer n° 14/Conselho Nacional de Educação, Brasília/DF.

BRASIL. 2010. Edital Conjunto Nº 002, CAPES/SECAD-MEC, Brasília/DF.

ESCOBAR, Arturo. 2005. “O lugar da natureza e a natureza do lugar: globalização ou pós-desenvolvimento? A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais.” Perspectivas latino-americanas, CLACSO, Ciudad Autónoma de Buenos Aires/Argentina.

FLEURI, Reinaldo Matias. 2002. Desafios à educação intercultural no Brasil. Intercultura: estudos emergentes. Ijuí, Rio Grande do Sul, UNIJUÍ.

GADOTTI, Moacir. 2007. “Educação para o desenvolvimento sustentável: o que precisamos aprender para salvar o planeta.” Revista da FAEEBA: educação e contemporaneidade, Salvador, 16 (28): 69-90.

GROSFOGUEL, Rámon. 2007. “Dilemas dos estudos étnicos norte-americanos: multiculturalismo identitário, colonização disciplinar e epistemologias descoloniais.” Revista Ciência e Cultura, São Paulo, 59 (2): 32-35.

GRUPIONI, Luís Donisete Benzi. 2002. “Educação e povos indígenas: construindo uma política nacional de educação escolar indígena.” Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 81(198), Brasília/DF: INEP.

JOSSO, Marie-Christine. 2004. Experiências de Vida e Formação, São Paulo, Cortez.

MIGNOLO, Walter. 2007. “El Pensamiento Decolonial. El Giro Decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global.” Bogotá, Siglo del Hombre Editores. pp. 25-46.

NICOLESCU, Basarab et al. 2000. Educação e transdisciplinaridade. Brasília, DF, UNESCO.

NICOLESCU, Basarab. 2005. O Manifesto da Transdisciplinaridade. 3. ed. São Paulo, Triom.

OLIVEIRA, Paulo Celso de. 2008. “Gestão territorial indígena: perspectivas e alcances.” Estudos indígenas: comparações, interpretações e políticas, Série Justiça e Desenvolvimento, SP, Contexto, pp. 175-191.

SILVA, Rosa Helena Dias da Silva. 2002. “O Estado brasileiro e a educação (escolar) indígena: um olhar sobre o Plano Nacional de Educação.” Revista Tellus, Campo Grande/MS, 2: 123-136.

SUÁREZ, H. Daniel. 2014. “Espacio (auto) biográfico, investigación educativa y formación docente en Argentina: un mapa imperfecto de un territorio en expansión.” Revista Mexicana de Investigación Educativa, 19 (62): 763-786.

TUXÁ, Rosilene Cruz de Araújo. 2010. “Gerenciamento da educação escolar indígena, poder público e a relação com o movimento indígena: experiência e reflexão.” Revista da FAEEBA - Educação e contemporaneidade, UNEB: Salvador/BA, 19 (33): 51-60.




DOI: https://doi.org/10.30612/nty.v5i7.7800

________________________________________________________________________

ISSN 2317-8590 (O código ISSN é único para todas as edições)
Todos os direitos reservados ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia - PPGAnt/UFGD
UFGD - Universidade Federal da Grande Dourados
FCH - Faculdade de Ciências Humanas
Rodovia Dourados-Itahum, Km 12 - Caixa Postal 533 - Cidade Universitária
Dourados-MS (Brasil) - CEP 79804-970

  

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.