Nos transformamos em brancos: notas sobre a cosmopolítica Mbya Guarani

Vicente Cretton Pereira

Resumo


A partir de alguns contextos específicos de interação com os brancos (jurua) procuro investigar no presente trabalho como a cosmopolítica mbya está orientada. A partir de um irônico comentário de uma xamã mbya sobre sua (e de seu grupo) transformação corporal em brancos(as), busco entender as relações com o jurua como formas que os Mbya arranjam de experimentar um mundo que os ultrapassa e que, por isso mesmo, desperta seu desejo de modos diversos. Durante encontros lúdicos os Mbya estabeleciam certos laços com os brancos que podem resultar até mesmo em casamento, contudo a tensão que caracteriza a relação com o Outro algumas vezes é resolvida através da guerra ou de tentativas de familiarização. 


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.30612/nty.v5i6.6873

________________________________________________________________________

ISSN 2317-8590 (O código ISSN é único para todas as edições)
Todos os direitos reservados ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia - PPGAnt/UFGD
UFGD - Universidade Federal da Grande Dourados
FCH - Faculdade de Ciências Humanas
Rodovia Dourados-Itahum, Km 12 - Caixa Postal 533 - Cidade Universitária
Dourados-MS (Brasil) - CEP 79804-970

  

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.