O governo dos inimigos públicos: os primeiros condenados pela ‘‘lei brasileira antiterrorismo’’ (lei 13.260/2016)

Jorge Helius Scola Gomes

Resumo


Trata-se de refletir a respeito do contexto de emergência no horizonte estatal da categoria ‘‘terrorismo’’ na legislação brasileira bem como da maneira como esta categoria foi operacionalizada na decisão judicial que terminou por punir os acusados de planejar um ‘‘atentado terrorista’’ durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016. Tomando tais fatos como fios-condutores, o texto interroga algumas vertentes da analítica do biopoder a respeito do rendimento de autores como Deleuze, Agamben, Foucault, Rose e Rabinow de modo a dimensionar o fenômeno em questão. Por fim, reifica-se a importância à atenção à afecção pública como uma questão etnográfica e teórica, dada a indissociabilidade entre as representações atinentes a determinadas populações e as práticas de governo que se exercem sobre estas.

 


Palavras-chave


Afecção. Efeitos políticos. Governamentalidade. Terrorismo.

Texto completo:

PDF

Referências


ABU-LUGHOD, Lila. (2012) As mulheres muçulmanas precisam realmente de salvação? Reflexões antropológicas sobre o relativismo cultural e seus Outros. Estudos Feministas, 20(2), p. 451-470.

AGAMBEN, Giorgio. (2010). Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua. 2ª. ed. Belo Horizonte: UFMG.

ASAD, Talal. (2007) On Suicide Bombing. New York: Columbia University Press.

BOURDIEU, Pierre. (1996). Espíritos de Estado: gênese e estrutura do campo burocrático. In: ______. Razões práticas. Sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus.

BUTLER, Judith. (2007). O limbo de Guántanamo. Novos Estudos CEBRAP, n. 77, p. 223-231.

BUTLER, Judith. (2015). Quadros de guerra: quando a vida é passível de luto?. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

DELEUZE, Gilles. (2008). Post-scriptum sobre as sociedades de controle. In: ______. Conversações. 7ª. Reimpressão. São Paulo: Editoria 34.

FASSIN, Didier; BOUAGGA, Yasmine; COUTANT, Isabelle; EIDELIMAN, Jean-Sébastien; FERNANDEZ, Fabrice; FISCHER, Nicolas; KOBELINSKY, Carolina; MAKAREMI, Chowra; MAZOUZ, Sarah; ROUX, Sébastien. (2013). Juger, réprimer, accompagner: essai sur la morale de l'État. Paris: éditions du Seuil.

FOUCAULT, Michel. (2003). A vida dos homens infames. In: ______. Estratégia, poder-saber. Ditos e escritos IV. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

FOUCAULT, Michel. (2014a). Direito de morte e poder sobre a vida. In: ______. A vontade de saber. História da Sexualidade I. São Paulo: Paz e Terra.

FOUCAULT, Michel. (2014b). A governamentalidade. In: ______. Microfísica do poder. Campinas: Editora Papirus.

FOUCAULT, Michel. (2014c). A problematização moral dos prazeres. In: ______. O uso dos prazeres. História da Sexualidade II. São Paulo: Paz e Terra.

LOPES, Ana Maria D’Ávila. (2018). “Conflito mapuche”: aplicação da lei antiterrorista e violação de direitos humanos. Direito & Práxis, vol. 9, n. 2, p. 587-609.

MAHMOOD, Saba. (2006). Teoria feminista, agência e sujeito liberatório. Algumas reflexões sobre o revivalismo islâmico no Egito. Etnográfica, v.10, n.1, p. 121-158.

MITCHELL, Timothy. Society, economy and the State Effect. In: SHARMA, Aradhna; GUPTA, Akhil. (2006). The anthropology of the State: a reader. Blackwell Publishing: Malden.

MOREIRA, Esdras Cabus; BIEHL, João. (2005). Práticas médicas de aceitação da morte na UTI de um hospital geral no Nordeste do Brasil. Revista Bioética, vol. 12, n. 1, p. 19-30.

RABINOW, Paul; ROSE, Nikolas. (2006). O conceito de biopoder hoje. Revista Política & Trabalho, n. 24, p. 27-57.

SCHEPER-HUGHES Nancy; BIEHL, João. (2000). O Fim do Corpo: Comércio de Órgãos para Transplantes Cirúrgicos. In: DEBERT, Guita; GOLDSTEIN, Donna (Orgs.). Políticas do Corpo e o Curso da Vida. São Paulo: Editora Sumaré.

SHARMA, Aradhana; GUPTA, Akhil. (2006). Rethinking theories of the state in the age of globalization. In: ______ (Eds). The anthropology of the state: a reader. Oxford: Blackwell.

TROUILLOT, Michel-Rolph. (2001). The anthropology of the state in the age of globalization. Close encounters of the deceptive kind. Current Anthropology, 42(1), p. 125-138.




DOI: https://doi.org/10.30612/nty.v7i10.10299

________________________________________________________________________

ISSN 2317-8590 (O código ISSN é único para todas as edições)
Todos os direitos reservados ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia - PPGAnt/UFGD
UFGD - Universidade Federal da Grande Dourados
FCH - Faculdade de Ciências Humanas
Rodovia Dourados-Itahum, Km 12 - Caixa Postal 533 - Cidade Universitária
Dourados-MS (Brasil) - CEP 79804-970

  

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.