Culturas e epistemologias do sul: as Relações Internacionais traduzidas pelos movimentos sociais da América Latina

Virginia Santiago dos Santos Góes, Elizabete Sanches Rocha

Resumo


Através de perspectivas pós-colonialistas, pretende-se compreender o tema do olhar latino-americano sobre as Relações Internacionais, tendo como eixos as formações identitárias da “periferia” do Sistema Internacional, as quais possuem reminiscências dos processos coloniais. Para tanto, parte-se dos seguintes questionamentos: “Qual o papel da cultura na política mundial?”, “É possível compreender as Relações Internacionais enquanto campo do conhecimento sem considerar as vozes silenciadas pelos processos históricos de colonização?”, “Quais são as características do Sistema Internacional da atualidade e qual a relação destas com os processos locais de subalternidade na América Latina?”. Com base nestes questionamentos, busca-se contextualizar a disciplina das RI como detentora de dinâmicas de poder internas, que recebem influência da conjuntura hierárquica e colonial do Sistema Internacional, configurando, assim, um círculo de práticas e fundamentações teóricas que têm impacto sobre as localidades externas aos grandes centros de poder.

Palavras-chave


pós-colonialidade. América Latina. movimentos sociais.

Texto completo:

PDF


Monções: Revista de Relações Internacionais da UFGD - ISSN 2316-8323 - Dourados - MS, Brasil.

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.