Contextualismo enquanto metafísica da presença: a desconstrução do historicismo crítico pós-estruturalista

Henrique Tavares Furtado

Resumo


A teoria das Relações Internacionais foi influenciada pela filosofia contemporânea francesa das décadas de 1960 e 1970. Autores pós-estruturalistas como Walker, Thomson, Bartelson e Campbell buscaram contrapor a rígida ontologia neo-realista através da historiografia crítica e seu método contextualista. O presente artigo visa desconstruir a condição de possibilidade desse contextualismo – a oposição metafísica presente/passado – através da filosofia derridiana. Conclui-se que o contexto, enquanto uma categoria que representa o conjunto de acontecimento, regras linguísticas e estruturas epistêmicas presentes ao fenômeno estudado é logicamente inatingível tanto às abordagens sincrônicas estruturalistas quanto à lógica diacrônica do pós-estruturalismo.

Palavras-chave


Teoria das Relações Internacionais. Pós-Estruturalismo. Desconstrução. Historicismo.

Texto completo:

PDF


Monções: Revista de Relações Internacionais da UFGD - ISSN 2316-8323 - Dourados - MS, Brasil.

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.