Sobre as práticas pedagógicas na/da creche: perspectivas das profissionais do município de Corumbá/MS

Ingrid Loraini de Alencar da Silva, Vanessa de Almeida, Sílvia Adriana Rodrigues

Resumo


O presente artigo é um recorte da pesquisa desenvolvida no âmbito do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Infância e Educação Infantil - GEPIEI da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul/Campus do Pantanal (UFMS/CPAN), que teve como objetivo geral compreender alguns aspectos do trabalho pedagógico desenvolvido com as crianças de 0 a 3 anos nas creches do município de Corumbá-MS. Assim, aqui discutiremos as concepções de prática pedagógica na creche das profissionais que nela atuam; tendo como instrumento de coleta de dados questionário misto, composto por 21 questões, tivemos como sujeitos da investigação 80 profissionais atuantes nas creches da cidade em questão (51% do total). A análise dos dados recolhidos não nos permite afirmar que há práticas pedagógicas de excelência nas creches do município; há um percentual interessante de respostas bastante positivas que indicam passos na direção certa. No entanto, também aparecem afirmações que indicam que as profissionais participantes do estudo não compreendem perfeitamente as características infantis, bem como ainda mantém uma visão assistencialista do papel e função da instituição e consequentemente do trabalho a ser realizado por eles.

Palavras-chave


Creche. Prática pedagógica. Concepção das profissionais. Cuidar e educar.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, M. C. S. Práticas cotidianas na educação infantil – bases para reflexão sobre as orientações curriculares. Brasília: MEC, 2009.

BECCHI, E. et al. Ideias orientadoras para a creche: a qualidade negociada. Campinas: Autores Associados, 2012.

CORSINO, P. Proposta pedagógica: o cotidiano da Educação Infantil. Salto para o futuro, SEED/MEC, Boletim 23, p. 03-13, nov. 2006.

DIDONET, V. Não há educação sem cuidado. Pátio Educação Infantil, Porto Alegre, n.1, p. 6-9, abr./jul. 2003.

FORTUNA, T. R. O lugar do brincar na Educação Infantil. Pátio Educação Infantil, Porto Alegre, n. 27, p.8-10, abr./jun. 2010.

GONSALVES, E. P. Conversas sobre a iniciação a pesquisa científica. 3. ed. Campinas: Alínea, 2003.

GODOI, L. R. A importância da música na Educação Infantil. Monografia, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2011.

KRAMER S. De que professores precisamos para a educação infantil? Uma pergunta, várias respostas. Pátio Educação Infantil, Porto Alegre, n. 2, p.10-3, ago./nov. 2003.

KRAMER, S. Profissionais de Educação Infantil: gestão e formação. São Paulo: Ática, 2005.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MALUF, A. C. M. Brincar: prazer e aprendizado. Petrópolis: Vozes, 2003.

OSTETO, L. Planejamento na Educação Infantil: mais que a atividade, a criança em foco. In: OSTETO, L. (org.). Encontros e encantamentos na Educação Infantil. 3.ed. Campinas: Papirus, 2000. p. 175-200.

RAMOS, T. K. G. A criança em interação social no berçário da creche e suas interfaces com a organização do ambiente pedagógico. 2010. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.

RICHTER, L. M. Movimento corporal da criança na Educação Infantil: expressão, comunicação e interação. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Uberlândia: Uberlândia, 2006.

RODRIGUES, S. A. As rotinas e a formação dos enredos pedagógicos na Educação Infantil. In: GARMS, G. M. Z.; RODRIGUES, S. A. (org.). Temas e dilemas pedagógicos da Educação Infantil: desafios e caminhos. Campinas: Mercado das Letras, 2011. p. 91-113.

RODRIGUES, S. A. Tessituras do desenvolvimento humano: Wallon e expressividade afetiva na primeira infância. Campo Grande: Ed. UFMS, 2015.

SANTOS, A. R. Metodologia científica: a construção do conhecimento. 6. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

SILVA, F. C.; RODRIGUES, S. A. Trabalho docente na Educação Infantil: o perfil dos profissionais do município de Corumbá-MS. In: ENCONTRO DE POLÍTICAS E PRÁTICAS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES, 6. 2015. Anais on line. Campo Grande - MS: UEMS, 2015. v. 1. p. 229-243.

TRISTÃO, F. C. D. Ser professora de bebês: um estudo de caso em uma creche conveniada. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.




DOI: https://doi.org/10.30612/hre.v7i13.9926

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.