A formação continuada de professores: considerações acerca dos saberes e da prática reflexiva

Angela Hess Gumieiro

Resumo


Este artigo tem como objetivo discutir a formação continuada de professores, evidenciando o que determina a legislação nacional sobre algumas prerrogativas, assim como destacar algumas considerações acerca dos saberes e da prática reflexiva dos professores em meio à formação continuada. Para a realização do estudo foi utilizada a pesquisa de natureza bibliográfico-documental. O corpus de análise compõe-se dos seguintes documentos: LDB, Lei 9394/96, o Decreto nº 6.755/09, o PNE (2014-2024), a Resolução nº 2, de 1º de julho de 2015.Foram consultadas diferentes fontes, a saber: García (1995), Candau (1996), Nóvoa (1992; 1995), Gatti (2008), Pérez Gómez (2001), entre outros. Concluímos ressaltando a importância do aumento de estudos que busquem as especificidades nas ações de formação continuada levando em conta os saberes e as práticas dos professores, sendo que temos na legislação os direitos à formação continuada dos professores.

Palavras-chave


Formação continuada. Professores. Saberes e prática reflexiva.

Texto completo:

PDF

Referências


ALARCÃO, I. Formação continuada como instrumento de profissionalização docente. In:

VEIGA, I. P. A. (Org.) Caminhos da profissionalização do magistério. Campinas, SP:

Papirus, 1998.

AMORIM, R. M. de A.; MAGALHAES, L. K. C. de. Formação continuada e práticas

formadoras.Cad. CEDES, Campinas, v. 35, n. 95, p. 9-12, Abr. 2015. Disponível em:

.

Acesso em:12 jan. 2018.

AZEVEDO, L. C. S. S.; MAGALHÃES, L. K. C. de. Formação Continuada e suas

implicações: entre a lei e o trabalho docente. Cad. Cedes, Campinas, v. 35, n. 95, p. 15-36,

jan.-abr., 2015. Disponível em: . Acesso em 27 fev. 2018.

BRASIL. Decreto nº 8.752, de 9 de maio de 2016. Dispõe sobre a Política Nacional de

Formação dos Profissionais da Educação Básica. Diário Oficial da União, Brasília/DF, 2016.

BRASIL. Lei 9.394, de 1996. Regulamenta as Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 1996.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação –

PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 26 jun. 2014.

BRASIL. Referenciais para Formação de Professores. Brasília: Ministério de Educação e

Cultura. Secretaria de Educação Fundamental, 1999.

Angela Hess Gumieiro

Horizontes – Revista de Educação, Dourados, MS, v.5, n.9, janeiro a junho 2017

BRASIL. Resolução nº 2, de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais

para a formação inicial em nível superior e para a formação continuada. Diário Oficial da

União, Brasília, 2015. Disponível em:

http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=17719-

rescne-cp-002-03072015&category_slug=julho-2015-pdf&Itemid=30192>. Acesso em: 25

jan. 2018.

CANDAU, V. M. F. Formação Continuada de professores: tendências atuais. In: REALI, A.

M. de M. R.; MIZUKAMI, M. da G. N. (Orgs.). Formação de professores: tendências atuais.

São Carlos: EDUFSCar, 1996. p.139-152.

GATTI, B. A. Análise da política públicas para formação continuada no Brasil, na última

década. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, Anped; v. 13, n. 37, p. 57-70,

jan./abr. 2008.

GEMENTE, F. R. F.; MATTHIESEN, S. Q. Formação continuada de professores:

construindo possibilidades para o ensino do atletismo na Educação Física escolar. Educ. rev.,

Curitiba, n. 65, p. 183-200, set. 2017. Disponível em:

&nrm=iso>. Acesso em: 13 fev. 2018.

HUBERMAN, M. O Ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, A. (org.). Vidas

de professores. 2. ed. Portugal: Porto Editora, 1992. p. 31-61.

LIMA, M. S. L. A formação contínua do professor nos caminhos e descaminhos do

desenvolvimento profissional. 2001. 188 f. Tese. (Doutorado em Educação) São Paulo:

Faculdade de Educação/USP, 2001.

MIZUKAMI, M. da G. N. Docência, Trajetórias Pessoais e Desenvolvimento Profissional. In:

REALI, A.M.M.R.; MIZUKAMI, M.G.N. (Orgs.) Formação de professores: Tendências

Atuais. São Carlos: EDUFSCAR, 1996, p.59-91.

NÓVOA, A. (Org.). Vidas de professores. Porto: Porto Editora, 1992.

NÓVOA, A. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, A. (Coord.). Os

professores e sua formação. 2. ed. Lisboa: Dom Quixote, 1995, p. 15-43.

PÉREZ GÓMEZ, A. I. A Cultura Escolar na sociedade neoliberal. Tradução Ermani Rosa.

Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

PIMENTA, S. G. Didática como mediação na construção da identidade do professor – uma

experiência de ensino e pesquisa na licenciatura. In: ANDRÉ, M. E. D. A; OLIVEIRA, M. R.

N. S. (Orgs.). Alternativas do ensino de didática. Campinas: Papirus, 1997.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: PIMENTA,

S. G. (Org). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez Editora, 1999.

PIMENTA, S. G. Professor reflexivo: construindo uma crítica. In: PIMENTA, S. G. (Org).

Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 2000.

PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E. (Orgs). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um

conceito. São Paulo: Cortez, 2002.

SCHÖN, D. A. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (Coord.).

Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1995, p. 77-91.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

Angela Hess Gumieiro

Horizontes – Revista de Educação, Dourados, MS, v.5, n.9, janeiro a junho 2017

ZEICHNER, K. M. Novos caminhos para o praticum: uma perspectiva para os anos 90. In:

NÓVOA, A. (Org.). Os professores e a sua formação. Publicações Dom Quixote, Lisboa,

p. 115-134.




DOI: https://doi.org/10.30612/hre.v5i9.7710

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.