Processo de inclusão social por meio dos jogos competitivos

Artur Fonseca Melchiades, Mário Sérgio Vaz da Silva

Resumo


Nos projetos sociais de inclusão, os esportes são estratégias privilegiadas. Mas quase sempre os esportes são jogos competitivos. Porém, mesmo tendo-se o fator da competição na realização do esporte, este pode ser minimizado se prevalecer a atividade como lazer e inclusão social e de fomento para a união de grupos de participantes de jogos. Neste artigo, pretende-se descrever sobre os conceitos presentes nos termos "jogo", "esporte" e "competição", visando a atuação como via para a inclusão social. Tendo-se como objetivo geral descrever sobre a função do esporte como suporte para a socialização e a integração. Trata-se de um estudo cuja metodologia vale-se da análise descritiva e de revisão literária sobre a temática. Foram pesquisados autores como Kunz (2001), Rubio (2002), Orlick (2004), Darido e Martins (2007) e outros, que constatam que os esportes modernos são institucionalizados, o que permite a seus jogadores praticá-los como ocupações estáveis. Em conclusão, destaca-se que competições esportivas, institucionalizadas e disciplinadas, resultam em arranjos de soma positiva, e essas permitem que o esporte possa tornar-se uma escolha de vida, favorecendo, portanto, a inclusão.

Palavras-chave


Esporte. Lazer. Competição.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.