“Tia” é mais fácil de dizer do que professora: reflexões sobre identidade docente

Claudemir Dantes Silva, Maria José dos Santos Provásio

Resumo


O artigo apresenta o resultado de uma pesquisa realizada em um Centro de Educação Infantil público de Dourados-MS que objetivou investigar a razão pela qual algumas professoras formadas e outras em processo de formação (estagiárias) se denominam como “tias” e não como “professoras” na realização das atividades com as crianças. A pesquisa se justifica, uma vez que discute a importância da valorização do profissional da Educação Infantil, a identidade profissional e a dificuldade que algumas docentes têm de se identificar como professora. A metodologia utilizada nesta pesquisa foi de abordagem qualitativa com a utilização do questionário como técnica de coleta de dados. Embora atuem como professoras, ficou evidente que algumas profissionais, principalmente dos berçários, se sentem mais como tias das crianças e as auxiliares, por não terem concluído o processo de formação, dizem ser mais fácil de pronunciar a palavra “tia” ao invés de “professora”, além do primeiro termo ser uma forma carinhosa.

Palavras-chave


Educação infantil. Identidade profissional. Valorização profissional.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.