Corpo, práticas corporais e relações de gênero na educação física brasileira: uma pesquisa bibliográfica

Rafael Marques Garcia, Erik Giuseppe Barbosa Pereira

Resumo


A temática gênero/corpo, presente no universo da cultura corporal, diz respeito à configuração de padrões de gênero masculino e feminino e sua relação com corpo e com a motricidade. Diante desse quadro, objetivamos realizar um levantamento bibliográfico sobre a temática de corpo, práticas corporais e relações de gênero na Educação Física a partir de obras relevantes no campo em questão. Para tanto, desenvolvemos um trabalho de caráter exploratório, configurando uma pesquisa bibliográfica. Desdobramos nosso material epistemológico em duas grandes unidades de registro e análise, a saber: 1- A história do corpo e a Educação Física e; 2- Educação Física, práticas corporais e relações de gênero. Percebemos um movimento atual que vai ao encontro de uma busca de legitimação das práticas corporais a partir dessa onda dos estudos sobre o corpo e gênero que dificilmente será passageira e, portanto, é necessário refleti-la nos seus vários aspectos para que no futuro não estejamos lutando em vão para pensar propostas alternativas em relação aos modelos de vida não normativos. 


Palavras-chave


Educação Física. Corpo. Relações de gênero. Práticas corporais.

Texto completo:

PDF

Referências


BETTI, Mauro. Educação Física e Sociedade: a Educação Física na escola brasileira de primeiro e segundo graus. São Paulo: Movimento, 1991.

BRACHT, Valter. A constituição das teorias pedagógicas da Educação Física. Cadernos Cedes, v. 19, n. 48, p. 69-88, 1999.

BRITO, Leandro Teófilo de. Enunciações de masculinidade em narrativas de jovens atletas de voleibol: leituras em horizonte queer. 2018. 225 p. Tese (Doutorado) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade de Educação, Rio de Janeiro, RJ, 2018.

BRITO, Leandro Teófilo de. Performances dissidentes no espaço do voleibol: masculinidades queer? In: PEREIRA, Erik Giuseppe Barbosa; SILVA, Alan Camargo (Orgs.). Educação Física, Esporte e Queer: sexualidades em movimento. 1 ed. Curitiba: Editora Appris, 2019. p. 83-103.

CASTELLANI FILHO, Lino. Política educacional e educação física. 2 ed. Campinas: Autores Associados, 2002.

COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do ensino da educação física. São Paulo: Cortez, 1992.

DARIDO, Suraya Cristina; RANGEL, Irene Conceição Andrade. Educação física na escola: implicações para a prática pedagógica. 2 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

DEVIDE, Fabiano Pries et al. Estudos de gênero na Educação Física Brasileira. Motriz, Rio Claro, v. 17, n.1, p.93-103, jan./mar. 2011.

DUNNING, Eric. O desporto como uma área masculina reservada: notas sobre os fundamentos sociais na identidade masculina e as suas transformações. In: ELIAS, Norbert; DUNNING, Eric. (Orgs.) A busca da excitação. Trad. Maria Manuela Almeida e Silva. Lisboa: Difel, 1992. p. 389-412.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir. 20ª ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

FRANCO, Neil. A Educação Física como território de demarcação dos gêneros possíveis: vivências escolares de pessoas travestis, transexuais e transgêneros. Motrivivência, Florianópolis, v. 28, n. 47, p. 47-66, mai. 2016.

GARCIA, Rafael Marques; PEREIRA, Erik Giuseppe Barbosa. Ressignificações no Esporte através da performance de Tifanny Abreu. Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação da Câmara dos Deputados, Brasília, v. 11, p. 24-44, nov. 2018.

GARCIA, Rafael Marques; PEREIRA, Erik Giuseppe Barbosa. A trajetória pessoal de Tifanny Abreu no Esporte de alto rendimento. Movimento, Porto Alegre, v. 25, n. 1, p. 1-15, mai. 2019.

GERHARDT, Tatiana Engel; SILVEIRA, Denise Tolfo. Métodos de pesquisa. 1ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009. 120p.

GOELLNER, Silvana Vilodre. Mulher e esporte no Brasil: entre incentivos e interdições elas fazem história. Pensar a Prática, Goiânia, v. 8, n. 1, p. 85-100, jan./jun. 2005.

GOELLNER, Silvana Vilodre. Feminismos, mulheres e esportes: questões epistemológicas sobre o fazer historiográfico. Movimento, Porto Alegre, v. 13, n. 2, p. 171-196, mai./ago., 2007.

GOELLNER, Silvana Vilodre. A educação dos corpos, dos gêneros e das sexualidades e o reconhecimento da diversidade. Cadernos de Formação RBCE, Campinas, p. 71-83, mar., 2010.

GOELLNER, Silvana Vilodre. Gênero e esporte na historiografia brasileira: balanços e potencialidades. Revista Tempo, Niterói, v. 19, n. 34, p. 45-52, jun. 2013.

GOULD, Stephen Jay. A falsa medida do homem. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

GRESPAN, Carla Lisboa; GOELLNER, Silvana Vilodre. Fallon Fox: um corpo queer no octógono. Movimento, v. 20, n. 4, p. 1265-1282, out./dez. 2014.

LE BRETON, David. Adeus ao corpo: antropologia e sociedade. Campinas: Papirus, 2003.

LE BRETON, David. Sociologia do corpo. Petrópolis: Vozes, 2006.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Rio de Janeiro: Ed. Vozes, 1997.

LOURO, Guacira Lopes. Corpo, escola e identidade. Educação e Realidade, Porto Alegre, v.25, n. 2, p. 59-76, jul./dez., 2000.

LOURO, Guacira Lopes. Pedagogias da sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes. (orgs). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 3a. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 7-35.

LÜDORF, Sílvia Maria Agatti. Corpo e formação de professores de educação física. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v.13, n. 28, p. 99-110, jan./mar. 2009. LÜDORF, Sílvia Maria Agatti. Formação de professores de Educação Física: retratos de uma instituição. Revista Brasileira de Docência, Ensino e Pesquisa em Educação Física, Cristalina, v. 2, n. 1, p. 126-136, jul. 2010.

MELO, Victor Andrade. Escola Nacional de Educação Física e Desportos – uma possível história. Dissertação de mestrado – Campinas, SP: Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Física, 1996. 199f.

MELO, Victor Andrade. História da educação física e do Esporte no Brasil: panorama e perspectivas. 3ed. São Paulo: Ibrasa, 2006.

OLIVEIRA, Gilberto; CHEREM, Eduardo Hippolyto Latsch; TUBINO, Manoel José Gomes. A inserção histórica da mulher no esporte. Revista Brasileira Ciência e Movimento, Brasília, v. 16, n. 2, p. 117-125, 2008.

PIZZANI, Luciana et al. A arte da pesquisa bibliográfica na busca do conhecimento. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 10, n. 1, p. 53-66, jul./dez. 2012.

RODRIGUES, Jose Carlos. Tabu do corpo. 7ª ed. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2006.

ROMERO, Elaine. Essas mulheres maravilhosas: nadadoras e ginastas. In: SIMÕES, Antonio Carlos (org). Mulher e Esporte: mitos e verdades. São Paulo: Manole, 2003. p. 69-102.

SCOTT, Joan. “Gênero: Uma categoria útil de análise histórica”. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 71-99, jul./dez. 1995.

SILVA, Alan Camargo; SILVA, Fernanda Azevedo Gomes da; LÜDORF, Sílvia Maria Agatti. Formação em Educação Física: uma análise comparativa de concepções de corpo de graduandos. Movimento, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 57-74, abr./jun. 2011.

SOARES, Carmen Lucia. Educação Física: raízes européias e Brasil. Campinas: Autores Associados, 2001.

SOUSA, Eustáquia Salvadora de. Meninos, à marcha! Meninas, à sombra! A história da educação física em Belo Horizonte (1897-1994). Tese de doutorado em Educação. Campinas: Unicamp, 1994.

TUBINO, Manoel José Gomes. 500 anos de legislação esportiva brasileira: do Brasil colônia ao início do século XXI. Rio de Janeiro: Shape, 2002.




DOI: https://doi.org/10.30612/hre.v7i14.10047

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.