Valorização docente no município de Dourados – MS: entre o normatizado e o implementado

Taynara Tavares do Nascimento, Andréia Nunes Militão

Resumo

O presente trabalho tem por escopo analisar como se configura a valorização docente no município de Dourados/MS. Tem por objetivo analisar o Plano Municipal de Educação (PME) especialmente às metas que se destinam a valorização docente. Ancorada em abordagem qualitativa, adota como procedimentos metodológicos a pesquisa bibliográfica, documental e pesquisa de campo com aplicação de questionário junto à dez docentes vinculados a uma escola municipal de educação básica. Debruça-se sobre o Plano Municipal de Educação (2015/2025), detendo-se à análise das metas 15, 16, 17,18 e 19 do documento, procurando desnudar aspectos da formação docente, carreira, remuneração e condições de trabalho. A partir da aplicação de questionário procura verificar no contexto atual como os elementos que compõem a valorização do magistério são percebidos pelos docentes. Constatou-se da pesquisa apontaram que apesar do PME (2015-2025) abranger todos os requisitos da valorização docente em suas metas e estratégias, na qual ainda não se efetivou no âmbito da Rede Municipal Pública de Ensino, pois os professores em sua maioria relataram na pesquisa, não serem valorizados em todas as dimensões tais como carreira, remuneração e formação. 

Palavras-chave

Valorização docente. Plano Municipal de Educação. Formação docente. Carreira. Remuneração.

Texto completo:

PDF

Referências

ANDRE, Marli. Políticas de apoio aos docentes em estados e municípios brasileiros: dilemas na formação de professores. Educ. Rev., Curitiba , n. 50, p. 35-49, dez. 2013 . Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602013000400004&lng=pt&nrm=iso- Acesso em: 06 mar. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-40602013000400004.

ARANDA. Flávia Paula Nogueira. A valorização docente na formulação do Plano Municipal de Educação de Dourados-MS (2015-2025). 2018. 182f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação da. Faculdade de Educação da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Dourados-MS: UFGD, 2018.

BEDIN, Everton; DEL PINO, José Claudio. Interações e intercessões em rodas de conversa: espaços de formação inicial docente. Rev. bras. Estud. pedagog., Brasília, v. 99, n. 251, p. 222-238, jan./abr. 2018.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília-DF: 1988.

BRASIL. Lei n° 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União-Brasília- DF, 1996.

BRASIL. Parecer n.10, de setembro de 1997. Diretrizes para os novos planos de carreira e de remuneração do magistério dos estados, do Distrito Federal e dos municípios. Diário Oficial da União [da] República Federativa do Brasil- Brasília -DF: CNE, 1997.

BRASIL. Parecer n.9, 2 de abril de 2009. Diretrizes para os novos planos de carreira e de remuneração do magistério dos estados, do Distrito Federal e dos municípios. Diário Oficial da União [da] República Federativa do Brasil, Brasília -DF: CNE, 2009.

DOURADOS. Lei nº 3.904 de 23 de junho de 2015. Plano Municipal de Educação. Secretaria Municipal de Educação. Prefeitura Municipal de Dourados-MS. Disponível em: http://www.dourados.ms.gov.br/wp-content/uploads/2015/07/Lei-n%C2%BA-3904-PME-Dourados-MS.pdf Acesso em: 20 maio 2019.

GALVAO, M.C.B.. O levantamento bibliográfico e a pesquisa científica. In: Laércio Joel Franco, Afonso Dinis Costa Passos. (Org.). Fundamentos de epidemiologia. 2ed. A. 398 ed. São Paulo: Manole, 2010.

GIL, J. Plano Nacional de Educação. In:OLIVEIRA, D.A.; DUARTE, A.M.C.; VIEIRA, L.M.F. DICIONÁRIO: trabalho, profissão e condição docente. Belo Horizonte: UFMG/Faculdade de Educação, 2010.

LEHER. R. Valorização do magistério. In:OLIVEIRA, D.A.; DUARTE, A.M.C.; VIEIRA, L.M.F. DICIONÁRIO: trabalho, profissão e condição docente. Belo Horizonte: UFMG/Faculdade de Educação, 2010.

LIMA, T.C.S. de; MIOTO, R.C.T. Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Rev. katálysis, Florianópolis, v. 10, n. spe, p. 37-45, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414 49802007000300004&lng=pt&nrm=iso-. Acesso em: 07 mar. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-49802007000300004.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M.E.D.A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo, EPU, 1986.

PARO, V.H. Trabalho docente na escola fundamental: questões candentes. Cadernos de Pesquisa, v.42 n.146 p.586-611 maio/ago. 2012.

RICHARDSON, R. J.; WAINWRIGHT, D. A pesquisa qualitativa crítica e válida. In: RICHARDSON, R. J. Pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1999.

STANO, R. de C. M. T. O caminho de um grupo de formação continuada docente: do compartilhamento de práticas docentes para uma pedagogia da e para a autonomia. Educ. rev., Curitiba, n. 57, p. 275-290, Sept. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602015000300275&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 31 maio de 2019. http://dx.doi.org/10.1590/0104-4060.40724.