Surdez e educação infantil: os desafios para a proposta educacional bilíngue no município de Três Lagoas, Mato Grosso do Sul

Sheyla Cristina Araujo Matoso Silva

Resumo


Este artigo visa a discutir a atual proposta educacional para alunos surdos na etapa da educação infantil, evidenciando as necessidades mais latentes das crianças surdas inseridas na etapa inicial do ensino comum. Vale ressaltar que essa etapa de escolarização é considerada como base de desenvolvimento para as demais vindouras, no entanto, quando é experimentada por crianças surdas, as diretrizes que contribuem para seu desenvolvimento nem sempre são claras, dentre elas, o acesso à língua de sinais, fator extremamente importante no que diz respeito à aceitação das diversidades, inclusive as linguísticas. A pesquisa foi realizada em instituições públicas que atendem a essa etapa inicial da educação de alunos surdos no município de Três Lagoas, Mato Grosso do Sul e, por meio de levantamento de dados, foram encontradas apenas duas crianças surdas matriculadas nessas instituições. Dentre outros aspectos, observamos, também, que os profissionais envolvidos no processo em questão ainda desconhecem os principais pontos de uma proposta educacional bilíngue. Pretendemos, sobretudo, ressaltar a importância de se discutir as propostas educacionais para os surdos, desde os primeiros anos escolares, no intuito de atender a tão almejada educação bilíngue.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.30612/eduf.v7i19.6990

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.