Efeito de diferentes revestimentos sobre o escurecimento enzimático em maçã

Bruno Silva, Taysa Oliveira, Ellen Pinto, Thaís Barbosa, Dayana Soares

Resumo


A maçã é uma das frutas de maior cultivo em todo o globo, e no Brasil ela tem expressiva parcela produzida, especificamente na região sul do país. Porém, grande quantidade do que é cultivado é perdido na pós-colheita, sendo assim, para contornar este entrave, foi realizado experimento para avaliar a capacidade de diferentes revestimentos, em aumentarem a vida útil do fruto in natura. Os revestimentos empregados foram a proteína 5%, a fécula de mandioca 5% e o ácido cítrico 1,5%, foi utilizado também a testemunha sem nenhuma substância. Foram armazenadas em câmera fria por 13 dias, e avaliadas a cada dois dias quanto à relação pH, sólidos solúveis, acidez, perda de massa, teor de melanoidinas e compostos fenólicos. Os revestimentos se mostraram ineficientes em reduzir o progresso do escurecimento enzimático e perda de massa, além de não manter os valores de acidez titulável, pH e sólidos solúveis.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.30612/agrarian.v10i38.7050

Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.