As diferentes noções de mudança dentro da música caipira: uma reflexão sobre a obra de Tião Carreiro

Rainer Gonçalves Souza

Resumo


Partindo das obras que apontaram as mais perpetuadas definições do sertão brasileiro, buscamos nesse trabalho contemplar como tais definições influenciaram a significação da música caipira. Além disso, analisamos como as narrativas que contaram a trajetória da música caipira problematizam as diferentes mudanças ocorridas em tal estilo musical, quando o mesmo começa a ser registrado pelas gravadoras e alcança os meios de comunicação. Dessa forma, procuro desconstruir “as narrativas da mudança” a partir das questões levantadas pelo etnomusicólogo Bruno Nettl, defensor da idéia de que o conceito de mudança perpassa por várias definições e significados. Por fim, analisamos elementos musicais e extramusicais da obra de Tião Carreiro, considerado por muitos um representante típico da chamada música caipira “de raiz”.

Palavras-chave


Sertão. Música Caipira. Tião Carreiro.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Trad. Maria Ermantina Galvão O. Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

LACAPRA, Dominick. Repensar la historia intelectual y leer textos. In: “Giro Lingüístico” e historia intelectual. Quilmes: Universidad Nacional de Quilmes, 1998. p. 237-293.

LIMA, Nísia Trindade. Um sertão chamado Brasil. Rio de Janeiro: Revam, IUPERJ, UCAM, 1999.

NEPOMUCENO, Rosa. Música caipira: da roça ao rodeio. São Paulo: Editora 34, 1999.

SANTOS, Mariza Veloso Motta; MADEIRA, Maria Angélica. Leituras brasileiras: itinerários no pensamento social e na literatura. São Paulo: Paz e Terra, 1999.




Fronteiras: Revista de História - PPGH/FCH/UFGD
 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.