A política indigenista e os territórios indígenas no Paraná (1900-1950)

Éder da Silva Novak, Lúcio Tadeu Mota

Resumo


Este trabalho analisa a política indigenista no Paraná durante a primeira metade do século XX, bem como as ações dos grupos indígenas que se articularam em defesa dos seus interesses, lutando, sobretudo, por seus territórios tradicionalmente ocupados. O objetivo é discutir a organização da política indigenista no contexto nacional, principalmente com a criação do Serviço de Proteção aos Índios (SPI), evidenciando as primeiras áreas de terras reservadas às populações indígenas no Paraná, além de demonstrar a busca incessante das autoridades locais em expropriar cada vez mais os territórios indígenas, como explícito pelo Acordo de 1949 entre o governo do Estado e da União. O desenvolvimento desta pesquisa permitiu a compreensão do processo de formação das áreas de terras reservadas aos grupos indígenas no Paraná, revelando a historicidade de tais povos que, mesmo em situações desfavoráveis, conseguiram manter parte dos seus tradicionais territórios, permanecendo enquanto populações diferenciadas entre si e da sociedade envolvente.

Palavras-chave


Territórios Indígenas. Política Indigenista. Acordo de 1949. Paraná.

Texto completo:

PDF

Referências


ARQUIVO PÚBLICO DO PARANÁ (1900). Decreto n° 5 de 3 de julho de 1900. Curitiba.

ARQUIVO PÚBLICO DO PARANÁ (1900). Decreto n° 6 de 5 de julho de 1900. Curitiba.

ARQUIVO PÚBLICO DO PARANÁ (1901). Decreto n° 6 de 31 de julho de 1901. Curitiba.

ARQUIVO PÚBLICO DO PARANÁ (1901). Decreto n° 8 de 9 de setembro de 1901. Curitiba.

ARQUIVO PÚBLICO DO PARANÁ (1903). Decreto n° 64 de 2 de março de 1903. Curitiba.

ARQUIVO PÚBLICO DO PARANÁ (1912). Requerimento de 4 de maio de 1912. Curitiba.

ARQUIVO PÚBLICO DO PARANÁ (1913). Decreto n° 294 de 17 de abril de 1913. Curitiba.

ARQUIVO PÚBLICO DO PARANÁ (1915). Decreto n° 591 de 17 de agosto de 1915. Curitiba.

ARQUIVO PÚBLICO DO PARANÁ (1924). Decreto n° 128 de 7 de fevereiro de 1924. Curitiba.

BALANDIER, Georges (1993); A noção de situação colonial. Cadernos de Campos, n. 3. Tradução de Nicolás Nyimi Campanário, pp. 107-131.

BRASIL (1949). Diário Oficial Federal n° 114 de 18 de maio de 1949. Rio de Janeiro.

DAVIS, Shelton H. (1978); Vítimas do milagre. O desenvolvimento e os índios do Brasil. Tradução de Jorge Pontual. Zahar: Rio de Janeiro.

EURICH, Grazieli (2012); O índio no banco dos réus: historicizando o conflito entre índios Kaingang e colonos na vila da Pitanga (1923). Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Estadual de Maringá (UEM). Maringá - Paraná.

GAGLIARDI, José Mauro (1989); O indígena e a república. Hucitec, São Paulo.

LIMA, Antonio Carlos de Souza (1995); Um grande cerco de paz: poder tutelar e indianidade no Brasil. Vozes: Petrópolis.

MOTA, Lúcio Tadeu (2000); As colônias indígenas no Paraná provincial. Aos Quatro Ventos, Curitiba.

MOTA, Lúcio Tadeu (2014); A presença indígena no vale do rio Tibagi/PR no início do século XX. Antíteses, v. 7, n. 13, pp. 358-391.

MOTA, Lúcio Tadeu; NOVAK, Éder da Silva (2008); Os Kaingang do vale do rio Ivaí: histórias e relações interculturais. Eduem: Maringá.

MOTA, Lúcio Tadeu (2014). A presença indígena no vale do Rio Tibagi/PR no início do século XX. Antíteses (Londrina), v. 7, p. 358.

MOTA, Lúcio Tadeu (2014). Etno-história: uma metodologia para abordagem transdisciplinar da história de povos indígenas. Patrimônio e Memória (UNESP), v. 10, p. 5-16.

NOVAK, E. S; MOTA, L. T. (2013). Desiguais e combinados: índios e brancos no vale do Rio Tibagi PR na primeira metade do século XX. Campos (UFPR), v. 1-2, p. 77-113.

NOVAK, Éder da Silva (2006); Tekohá e Emã: a luta das populações indígenas por seus territórios e a política indigenista no Paraná na Primeira República – 1889 a 1930. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Estadual de Maringá (UEM). Maringá – Paraná.

OLIVEIRA, Ismarth de Araújo (1975); A política indigenista brasileira. In: Política e ação indigenista brasileira. FUNAI. pp. 01-23.

OLIVEIRA, João Pacheco de; FREIRE, Carlos Augusto da Rocha (2006); Presença Indígena na Formação do Brasil. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade; LACED/Museu Nacional, Brasília.

RIBEIRO, Darcy (1982); Os índios e a civilização: a integração das populações indígenas no Brasil moderno. 4ª ed. Editora Vozes: Petrópolis.

TOMMASINO, Kimiye (1995); A história dos Kaingang da bacia do Tibagi: uma sociedade Jê meridional em movimento. Tese (Doutorado em Antropologia) – Universidade de São Paulo (USP). São Paulo.




Fronteiras: Revista de História - PPGH/FCH/UFGD
 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.