Percepção Ambiental: estudo de caso do Parque Ambiental Arnulpho Fioravante, Dourados, MS

Autores

  • Emerson Machado de Carvalho Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)
  • Kátia Cristina Silva Mineli Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)
  • Nathaskia Silva Pereira Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

DOI:

https://doi.org/10.30612/re-ufgd.v4i8.8143

Palavras-chave:

Environmental Education. Social Representations. Urban green parks.

Resumo

A relação do homem com o meio ambiente sempre foi foco de discussão. Com o processo de urbanização essa relação tem se tornado mais frágil. O presente estudo analisou a percepção ambiental de estudantes durante uma visita técnica orientada. O local de estudo foi o Parque Ambiental Arnulpho Fioravante localizado numa região central da cidade de Dourados, MS. Os dados foram obtidos através da Associação Livre de Palavras (TALP) decorrentes da expressão indutora “a sensação que eu tenho neste local é...”. Foram observados cinco pontos com diferentes características do Parque. Nos pontos que apresentavam vegetação e o mínimo de preservação os estudantes perceberam os sons da natureza, evocando uma sensação de tranquilidade. Nos pontos degradados e sem vegetação os estudantes passaram uma sensação de desconforto e perceberam principalmente os sons oriundos da poluição sonora urbana. Com estes resultados é possível constatar que mesmo diante das ações antrópicas ainda é possível encontrar conforto com o mínimo de planejamento e gestão de áreas verdes em meio ao caos urbano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emerson Machado de Carvalho, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

Possui graduação em Ciências Biológicas pelo Centro Universitário da Grande Dourados (1998), com mestrado (2003) e doutorado (2008) em Ciências Biológicas (ac: Zoologia) pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho". Atuou como docente do Centro Universitário da Grande Dourados nos cursos de Ciências Biológicas, Biomedicina, Enfermagem, Agronomia e Tecnologia em Produção Agrícola. Foi Pesquisador Visitante e Bolsista DCR na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) de 2009 a 2011, onde atuou como docente voluntário nos cursos de Engenharia Ambiental e Turismo. Foi Professor Temporário na Faculdade de Ciências Biológicas e Ambientais da Universidade Federal da Grande Dourados (FCBA/UFGD) de 2011 a 2013, onde atuou nos cursos de Ciências Biológicas, Biotecnologia e Gestão Ambiental. Foi Professor Convocado na UEMS nos cursos de Engenharia Ambiental, Tecnologia em Agroecologia e em Produção Sucroalcooleira. Atualmente é Professor Adjunto da Universidade Federal da Grande Dourados (FCBA-UFGD). Também é Professor convidado da Especialização em Planejamento e Gestão Pública e Privada do Turismo. Tem experiência nas áreas de Zoologia e Ecologia Aplicada, Limnologia, Biotecnologia Ambiental e Instrumentação Didática em Biologia.

Kátia Cristina Silva Mineli, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

Possui Licenciatura em Ciências Biológicas, graduanda em bacharel no mesmo curso pela Universidade Federal da Grande Dourados. Possui especialização em Biologia de Plantas Medicinais e Alimentícias pela Unigran ( Centro Universitário da Grande Dourados) 2005. Possui especialização em Gestão Pública pela UFMS ( Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), 2016. Trabalhou na Prefeitura Municipal de Dourados, na Rede Municipal de ensino como Professora na Educação básica. Trabalhou no Instituto Federal de Mato Grsoso do Sul como assistente administrativo (Setor de Compras e Licitações). Atualmente é assistente administrativo da Universidade Federal da Grande Dourados. Tem experiência na área de Botânica, com ênfase em Produção Vegetal e sustentabilidade, atuando principalmente no seguinte tema: plantas medicinais e sustentabilidade.

Nathaskia Silva Pereira, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul da unidade de Dourados, MS - UEMS (2013).Tem experiência na área de Zoologia, com ênfase em Zoologia Aplicada, atuando nos seguintes temas: biomonitoramento, macroinvertebrados bentônicos, insetos aquáticos, ecologia de riachos e avaliação de impacto ambiental. É mestre do programa de Pós-Graduação em Biologia Geral/ Bioprospecção- UFGD (2016), atuando nos seguintes temas: microprapagação e cultivo de microalgas, tendo como linha de pesquisa Biotecnologia e Bioensaios. Atualmente é doutoranda no programa de Ciência e Tecnologia Ambiental- UFGD, com a tese intitulada: EFEITO DO MEIO DE CULTIVO NA COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE EXTRATOS DE MICROALGAS E SUAS APLICAÇÕES BIOTECNOLÓGICAS

Referências

AMORIM, C. D.; CESTARI, L. A. S.; SILVA JÚNIOR, M. F. Educação Ambiental e Interdisciplinaridade: um olhar sobre as ações extensionistas da área de conhecimento “Meio Ambiente e Sustentabilidade” de uma IES do Sudoeste da Bahia. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 34, n. 3, p. 186-206, 2017.

ANDRADE, H. O clima urbano – Natureza, escalas de análise e aplicabilidade. Finisterra, Lisboa, Portugal, v. 40, n. 80, p.67-91, 2005.

ASSIS, A. E. S. Q.; RUTKOWSKI, E. W. Educação Ambiental como estratégia metodológica da Gestão Ambiental: Por uma nova postura epistêmica. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. v.33, n.3, p. 110-124, 2016.

BRASIL. IBGE. Censo Demográfico, 2017. Disponível em:https://www.ibge.gov.br/ > Acesso em: Fevereiro de 2018.

CANEPA, C. Cidades sustentáveis: o município como locus da sustentabilidade. São Paulo: SCS, 2007.

CARDOSO, C. A.; CARVALHO E. M. Educação para o Turismo: Representações sociais de Estudantes do Ensino Básido de Bonito-MS. In: Planejamento e gestão do turismo sob a perspectiva do público e do privado. São Carlos: Pedro e João Editores 341 p., 2017.

FLORIANI, D. Diversidade Cultural, Desafios Educacionais E Sistemas Cognitivos: Para Pensar Uma Modernidade Em Crise. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. v. especial, 2010.

LABAKI, L. C.; SANTOS, R. F. dos; BARTHOLOMEI, C. L. B; ABREU, L. V. Vegetação e conforto térmico em espaços urbanos abertos. Revista Fórum Patrimônio, Belo Horizonte - MG, v. 4, n. 1, p. 23-42, 2011.

LEFÈVRE, F.; LEFÈVRE, A. M. C. O discurso do sujeito coletivo: um novo enfoque em pesquisa qualitativa (desdobramentos). Caxias do Sul: Editora Educs, 256 p., 2005.

LIMA, R. L.; SILVA, V. P. Gestão ambiental para o turismo excursionista do olheiro de Pureza-RN: uma contribuição da percepção de moradores e excursionistas. Holos, Natal, v.3, ano 27, p. 120-137, 2011.

LOBODA, C. R.; DE ANGELIS, B. L. D. Áreas verdes públicas urbanas: conceitos, usos e funções. Ambiência, Guarapuava, v.1, n.1, p.125-139, 2005.

MAIA, D. S. N. Ruído De Parques Eólicos Análise e Caracterização. 2010. 130 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil – Especialização em Construções) Universidade do Porto. Faculdade de Engenharia. 2010.

MARTINS, R. T. P.; ARAUJO, R. S. Benefícios dos parques urbanos. Perspectivas online. Brasil, v. 10, n. 4, p. 38-44, 2014.

NEUENFELDT, D. J.; MAZZARINO, J. M. O corpo como lugar onde a experiência da educação ambiental nos toca. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 33, n. 1, p. 22-36, 2016.

NUCCI, J. C; CAVALHEIRO, F. Cobertura vegetal em áreas urbanas - conceito e método Revista GEOUSP: Espaço e Tempo (online), n. 6, p. 29-36, 1999.

NUNES, L. S. R.; BOMFIM, A. M. Estética e Educação Ambiental: primeiras reflexões sobre cenários e imagens no processo de alienação da natureza. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 34, n. 3, p. 245-262, 2017.

OLIVEIRA, C. F. Ecoturismo como prática para o desenvolvimento socioambiental. Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 184-195, 2011.

PITANGA, A. F.; NEPOMUCENO, A. L. O.; ARAUJO, M. I. Os Entendimentos e Práticas de Ensino de Professores Universitários em Educação Ambiental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 34, n.1, p. 270-289, 2017.

PNUD, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Rio de Janeiro, 2015.

RODRIGUES, C. Observando Os “Estudos Do Meio” Pela Lente da Educação Ambiental Crítica. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 24, 2010.

SANTOS, D. B.; SOUZA, C. R.; MOREIRA, L. M. Da educação ambiental à transformação social: reflexões sobre a interdisciplinaridade como estratégia desse processo. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 34, n. 2, p. 156-172, 2017.

Downloads

Publicado

22/12/2017

Como Citar

Carvalho, E. M. de, Mineli, K. C. S., & Pereira, N. S. (2017). Percepção Ambiental: estudo de caso do Parque Ambiental Arnulpho Fioravante, Dourados, MS. RealizAção, 4(8), 113–125. https://doi.org/10.30612/re-ufgd.v4i8.8143

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>