Mobilidade, identidade e acesso a direitos: os povos Guarani e as fronteiras

Carolina Schneider Comandulli

Resumo


Os povos Guarani ocupam, há séculos, um amplo território que foi fragmentado por diversas fronteiras nacionais. Imersos involuntariamente em um sistema estrangeiro ao seu, ao largo dos últimos séculos, os Guarani buscaram estratégias para fugir das ameaças ao seu estilo de vida, como o refúgio em áreas inexploradas pelos estados nacionais. Atualmente, porém, com o aumento do controle dos Estados sobre seus territórios, há uma precarização do padrão de vida das aldeias Guarani, tornando-os crescentemente dependentes do auxílio de políticas governamentais, as quais, por sua vez, estão permeadas por uma noção de cidadania que não reconhece quem vem de fora como portador de direitos. Este artigo busca apontar as relações dos estados brasileiro, paraguaio e argentino com os Guarani, atentando para as negociações que estes têm travado para obterem reconhecimento de uma cidadania diferenciada transnacional.

Palavras-chave


Guarani. Território Transna-cional. Cidadania.

Texto completo:

PDF


________________________________________________________________________

ISSN 2317-8590 (O código ISSN é único para todas as edições)
Todos os direitos reservados ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia - PPGAnt/UFGD
UFGD - Universidade Federal da Grande Dourados
FCH - Faculdade de Ciências Humanas
Rodovia Dourados-Itahum, Km 12 - Caixa Postal 533 - Cidade Universitária
Dourados-MS (Brasil) - CEP 79804-970

  

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.