Barreiras para o acolhimento dos Povos Warao no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30612/rmufgd.v10i20.14692

Palavras-chave:

Migrantes, Warao, Políticas Públicas

Resumo

A chegada de povos indígenas venezuelanos Warao ao Brasil desafia os limites das políticas migratórias. Os objetivos específicos deste artigo são (1) apresentar os modos de vida Warao e as suas especificidades; (2) fazer um levantamento da legislação e das políticas públicas de migração vigentes e (3) sistematizar as principais barreiras para o acolhimento dos Warao. Nesta pesquisa utilizou-se as metodologias de revisão bibliográfica e estudo de caso descritivo das políticas de acolhimento do Rio Grande do Norte (RN). Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com gestores do estado do RN e representantes de organizações da sociedade civil, assim como observação participante na Comissão Especial de Monitoramento dos Índios Warao do Comitê de Atenção aos Refugiados, Apátridas e Migrantes do RN. Os resultados do estudo apontam que as principais barreiras para o acolhimento dos Warao em território brasileiro são: acesso à documentação; abrigamento adequado; aplicação da educação escolar indígena e do ensino do português; inserção laboral; respeito aos saberes médicos da etnia. O artigo contribui para o tema ao analisar o caso de um estado do Nordeste, região pouco explorada nos estudos sobre o acolhimento dos Warao na disciplina de Relações Internacionais.

 

The arrival of the Warao Venezuelan indigenous people in Brazil has been very challenging to the internal migratory policies once these migrants have a very particular culture. This research specific objectives are (1) discuss the particularities of hosting people from the ethnicity Warao; (2) mapping the legislation and the public policies about the current migrations; (3) systematize the main barriers for the Warao people in Brazil. The methodologies used for this research were bibliographical review and descriptive case study about the host policies in the Rio Grande do Norte (RN) state. Besides that, it was conducted semi-structured interviews with RN’s public administrators, just as members of the ‘Special Commission for Monitoring the Waraos’, from the ‘RN Committee of Attention to the Refugees, Stateless, and Migrants’. The obtained results of the research point to the following aspects as the main obstacles on hosting Waraos in Brazilian territory: the access to regular documentation; decent housing; application of the indigenous education in schools and Portuguese teaching; labor and; respect to the ethnic knowledge in medicine. This article contributes to the subject by analyzing the case of a Northeast State, the Rio Grande do Norte state, a low explored region in the International Relations discipline.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julia Silva Rensi, Universidade Potiguar

Coordenadora Adjunta do Curso de Relações Internacionais da Universidade Potiguar

Maria Luísa de Brito Câmara, Graduanda em Direito (UFRN)

Graduada em Relações Internacionais (UnP) e Graduanda em Direito (UFRN)

Referências

ALTO COMISSARIADO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA OS REFUGIADOS. Número de refugiados e migrantes da Venezuela no mundo atinge 3,4 milhões. 2019. Disponível em: <https://www.acnur.org/portugues/2019/02/25/numero-de-refugiados-e-migrantes-da-venezuela-no-mundo-atinge-34-milhoes/>. Acessado em: 20 Abril. 2021

______. Os Warao no Brasil: Contribuições da antropologia para a proteção de indígenas refugiados e migrantes. Brasil: ACNUR, 2021. Disponível em: https://www.acnur.org/portugues/wp-content/uploads/2021/04/WEB-Os-Warao-no-Brasil.pdf. Acessado em: 21 de Abril de 2021

______. Declaração de Cartagena. Colômbia: ONU, 22 de nov. 1984. Disponível em:< https://www.unhcr.org/>. Acesso em: 19 nov. 2018.

ALENCAR, Joelma Cristina Parente Monteiro. Protocolo de consulta prévia do Povo Warao em Belém/PA. (Org.). – Belém: EDUEPA, 2020. 67 p.

ALENCAR, Joelma Cristina Patente Monteiro; MIRANDA, Julia Cleide Teixeira de. Kuarika Naruki! Estratégias de luta e resistência Warao. Anais do 3o Congresso Internacional Povos da América Latina (CIPIAL). 2019.

AMODIO, Emanuele; RIVAS, Yelitza; DOX, Clever. Las pautas de crianza del pueblo warao de Venezuela. Caracas, Venezuela: UNICEF, 2006.

BACK, Estefânia Maria de Queiroz; BARBOSA, Alessandra. A Proteção Normativa Dos Refugiados Políticos Na América Latina E No Brasil. In: GEDIEL, José Antônio Peres; GODOY, Gabriel Gualano de (Org). Refúgio e hospitalidade. Curitiba : Kairós Edições, 2016. 424 p.

BATAGLIA, Murilo; CAMARGO, Maria; MASCHKE, Annalise & HONÓRIO, Ana Beatriz. Refugiados e pandemia no Brasil: quais as ações nesse momento? Cadernos Eletrônicos Direito Internacional Sem Fronteiras. Vol. 2 Num 1. 2020.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 5 out. 1988. Disponível em:< https://www.gov.br/planalto/pt-br>. Acessado em: 9 abril. 2021.

______. Decreto 9.199, de 20 de novembro de 2017. Regulamenta a Lei nº 13.445, de 24 de maio de 2017, que institui a Lei de Migração. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 20 nov. 2017. Disponível em: <https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2017/decreto-9199-20-novembro-2017-785772-publicacaooriginal-154263-pe.html>. Acessado em: 12 abril. 2021.

______. Lei 9.474, de 22 de julho de 1997. Define mecanismos para a implementação do Estatuto dos Refugiados de 1951, e determina outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 22 jul. 1997. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9474.htm>. Acessado em: 05 abril. 2021.

______. Lei 13.445, de 24 de maio de 2017. Institui a Lei de Migração. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 24 maio 2017. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Lei/L13445.htm>. Acessado em: 09 janeiro. 2021.

______. Lei 13.684, 21 de junho de 2018. Dispõe sobre medidas de assistência emergencial para acolhimento a pessoas em situação de vulnerabilidade decorrente de fluxo migratório provocado por crise humanitária; e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 21 jun. 2018. Disponível em:< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2018/Lei/L13684.htm>. Acessado em: 08 janeiro. 2021.

______. Medida Provisória 820, de 15 de fevereiro de 2018. Convertida na Lei nº 13.684, de 2018. Dispõe sobre medidas de assistência emergencial para acolhimento a pessoas em situação de vulnerabilidade decorrente de fluxo migratório provocado por crise humanitária. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 15 fev. 2018. Disponível em: . Acesso em: 09 dez. 2018

______. Decreto nº 50.215, de 28 de janeiro de 1961. Promulga a Convenção relativa ao Estatuto dos Refugiados, concluída em Genebra, em 28 de julho de 1951. Brasília, em 28 de janeiro de 1961. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1950-1969/D50215.htm. > Acessado em 02 fevereiro. 2021.

_______. Conselho Nacional de Educação; BRASIL. Câmera de Educação Básica. Resolução CNE/CEB no 3, de 16 de maio de 2012. Define diretrizes para o atendimento de educação escolar para populações em situação de itinerância. Disponível em: . Acessado em: 25 nov. 2020.

_______. Ministério do Desenvolvimento Social. Resolução no 109, de 11 de novembro de 2009. Aprova a Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais. Disponível em:<https://www.mds.gov.br/webarquivos/public/resolucao_CNAS_N109_%202009.pdf>. Acessado em: 21 Abril. 2021.

_______. Lei n. 6.001, de 19 de dezembro de 1973. Dispõe sobre o Estatuto do Índio. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6001.htm<. Acessado em: 10 janeiro. 2013.

_______. Lei nº 13.684 de 21 de junho de 2018. Dispõe sobre medidas de assistência emergencial para acolhimento a pessoas em situação de vulnerabilidade decorrente de fluxo migratório provocado por crise humanitária; e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto. gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2018/Lei/L13684.htm> Acessado em: 01 maio. 20221

___________. Resolução CEB nº 03/ 1999. Diretrizes Nacionais para o funcionamento das escolas indígenas. Disponível em: Acessado em: 05 janeiro. 2021.

BRIGGS, Charles; MANTINI-BRIGGS, Clara. Las historias en los tiempos del cólera. Caracas: Nueva Sociedad, 2004. BRIGGS, Charles; MANTINI-BRIGGS, Clara. Las historias en los tiempos del cólera. Caracas: Nueva Sociedad, 2004.

CIRINO, Carlos Alberto Marinho. Indígenas, imigrantes e refugiados: os Warao e a proteção jurídica do Estado brasileiro. EntreRios, Teresina, Vol. 3, Num. 2 (2020).

CURY, Vitor Ribeiro; DIAS, Eliotério Fachin. Venezuela e o Fluxo Migratório de Indígenas ao Brasil: Uma Abordagem de Direitos. Revista Jurídica Direito, Sociedade e Justiça/RJDSJ, v. 7, n. 1, Nov/2018–Jan./2019

DA SILVA, Sidney y TORELLY, Marcelo (Orgs.). Diagnóstico e avaliação da migração indígena da Venezuela para Manaus, Amazonas. Brasilia: Organização Internacional para as Migrações (OIM), Agência das Nações Unidas para as Migrações, 2018.

DA SILVEIRA, Marina; CARNEIRO, Cynthia. A declaração das nações unidas sobre os direitos dos povos indígenas e os impactos da nova lei de migração brasileira sobre o direito de livre circulação do povo warao. PÉRIPLOS CLACSO - Fronteiras internacionais e migração indígena na América do Sul. Vol 2 N° 2. 2017.

FEITOSA Jacqueline; MARRA Juliana; FASSON Karina; MOREIRA Nayara; PEREIRA Renata; AMARO Talita. Português no Brasil para refugiadas e refugiados. São Paulo; 2015

GARCÍA CASTRO, A. “Mendicidad Indígena: Los Warao Urbanos”. Boletín Antropológico no 48. Enero-Abril, ISSN: 1325-2610. Centro de Investigaciones Etnológicas – Museo geológico – Universidade de Los Andes. Mérida, 2000.

GARCÍA-CASTRO, Alvaro y HEINEN, Dieter H. 2000. Las Cuatro Culturas Warao. En: Tierra Firme. Revista de Historia y Ciencias Sociales. Caracas: Editorial Tropykos. N° 71. Tercer trimestre (Julio-septiembre). Disponível em:<https://www.academia.edu/1535050/ Las_Cuatro_Culturas_Warao>. Acessado em 21 abr. 2021.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

HEINEN, H. Dieter. Los Warao. In: Fundación la Salle de Ciencia Naturales. Etnologia Contemporânea: Los aborígens de Venezuela, Monograa no35. Vol. III, Caracas: Editora Total Venezuela. 2a edição, 2011. pp. 966-1113.

Lafée, C. A.; Wilbert, W. Hijas de la luna: enculturación femenina entre los Waraos. Caracas: Fundación La Salle de Ciencias Naturales, 2001.

JUBILUT, Liliana Lyra. O Direito Internacional dos Refugiados e sua Aplicação no Ordenamento Jurídico Brasileiro. São Paulo: Editora Método, 2007.

Ministério Público Federal. Parecer Técnico no 10/2017. Acerca da situação dos indígenas da etnia Warao na cidade de Manaus, provenientes da região do delta do Orinoco, na Venezuela, 2017.

MORENO, Carlos A. Los indios Warao, los más vulnerables en el éxodo de venezolanos a Brasi”. In: EFE. Edición AMÉRICA. Pacaraima (Brasil), 29/06, 2018. Disponível em: <https://www.efe.com/efe/america/sociedad/los-indios-Warao-mas-vulnerables-en-el- exodo-de-venezolanos-a-brasil/20000013-3666577>. Acessado em 21 abr. 2021.

MPF, Ministério Público Federal. Parecer técnico n.10/2017. Manaus: MPF, 2017b. Disponível em: <http://www.mpf.mp.br/am/ sala-de-imprensa/docs/parecer-tecnico-Warao>. Acessado em: 21 abr. 2021.

MUNÕZ. J, G. A Los Pies Del Orinoco. Cultura Material Del Pueblo Warao. Artigo apresentado no I Seminário Internacional de Cultura Material e Arqueologia. Vol. 1, 2017.

ONU. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Paris: ONU, 10 dez. 1948. Disponível em: <http://www.mp.go.gov.br/portalweb/hp/7/docs/declaracao_universal_dos_direitos_ o_homem.pdf> . Acessado em: 09 janeiro. 2021.

OYARCE, Ana María; POPOLO, Fabiana del; PIZARRO, Jorge Martínez. International migration and indigenous peoples in Latin America: the need for a multinational approach in migration policies, Revista Latinoamericana de Población, v.3, p. 143-16, 2009.

PITA, Agni C. Direitos Humanos e Direito Internacional dos Refugiados. In: GEDIEL, José A. P.; GODOY, Gabriel de G. (org.). Refúgio e Hospitalidade. Curitiba: Kairós, 2016. P. 05-16.

RODRIGUES, Maria V. Diseño de una ruta turística de interpretación cultural para la promoción y el desarrollo local de la etnia aborigen warao en el estado delta amacuro, Venezuela, Eumendi, Caracas, 2012.

SOUZA, Júlia Henriques. Janokos brasileiros: uma análise da imigração dos Warao para o Brasil. Boletim Científico ESMPU, Brasília, a. 17 – n. 52, p. 71-99, jul./dez. 2018.

SOUZA, M. B.; PEQUENO, A. S.; COTA, D. S.; SAMPAIO, J. S. O papel da mulher Warao nas relações de poder comunitárias. Revista Philologus. Ano 24, n. 72. Rio de Janeiro: CiFEFiL, set./dez.2018.

Stake, Robert E. Pesquisa Qualitativa: estudando como as coisas funcionam. 1 ed. Porto Alegre: Penso, 2011.

TELLERIA, Nelson. Caracterización socio-educativa de una comunidad Warao: Estado Delta Amacuro. Investigación y Postgrado, Caracas , v. 23, n. 1, p. 249-264, abr. 2008 . Disponível em <http://ve.scielo.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1316- 0872008000100011&lng=pt&nrm=iso>. acessos em 03 maio 2021.

VENTURA, Luis. Migração e direitos coletivos: a presença dos Warao no Brasil. In: Relatório - Violência contra os Povos Indígenas no Brasil. Conselho Indigenista Missionário – CIMI, 2018.

WILBERT, Werner. La Etnobotánica Warao en su contexto cultural. In: Memorias del Instituto de Biología Experimental. Vol. 2. Caracas. p. 23-26, 1999.

Downloads

Publicado

15/12/2021

Como Citar

Rensi, J. S., & Câmara, M. L. de B. (2021). Barreiras para o acolhimento dos Povos Warao no Brasil . Monções: Revista De Relações Internacionais Da UFGD, 10(20), 225–259. https://doi.org/10.30612/rmufgd.v10i20.14692

Edição

Seção

Artigos Dossiê - Fronteira e Defesa Nacional: Segurança Integrada e Ajuda Humanitária