A captura dos corpos descartáveis nas fronteiras. As migrações forçadas, as políticas estadunidenses e a América Latina

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30612/rmufgd.v10i20.14450

Palavras-chave:

América Central, Migrações Forçadas, Políticas Estadunidenses, Corpos Descartáveis, Fronteiras

Resumo

As migrações forçadas representam, no século XXI, um dos maiores desafios de ordem moral a ser enfrentado pelos estados-nação, em meio ao que se considera a maior crise humanitária da contemporaneidade. O artigo objetiva realizar uma análise das migrações forçadas da região do Triângulo Norte para o México e os Estados Unidos, baseando-se nas mídias digitais, nos relatórios de organizações civis e, também, nos governamentais, publicados ao longo do governo de Donald Trump. Nessa conjuntura, o dirigente máximo dos Estados Unidos criminalizou os fluxos migratórios, implementando uma política de militarização de fronteiras e transformando a imagem do imigrante em uma constante ameaça. Nessa tragédia migratória, a segurança humana é menos importante que a securitização, e as deportações e encarceramentos de crianças representam milhares de vidas que se transformam em corpos descartáveis das fronteiras.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Érica Sarmiento, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Professora História América Departamento de História

Coordenadora do Laboratório de Estudos de Imigração (LABIMI)

Referências

AI. Víctimas invisibles. Migrantes en movimiento en México. Madrid: Amnistía Internacional, 2010.

Asistencia Legal por los Derechos Humanos A.C., Fundar Centro de Análisis e Investigación y Sin Fronteras I.A.P. La detención migratória: un análisis desde el modelo penitenciário y el gasto público. CDMX, Enero 2019 D.R. 2019.

Buzan, B., & Hansen, L. A evolução dos estudos de segurança internacional. São Paulo: UNESP, 2012.

CALAZANS, Márcia Esteves de; MALOMALO, Bas’Ilele; PIÑEIRO, Emilia da Silva. Apresentação. In: Márcia Esteves de Calazans; Bas’Ilele Malomalo; Emilia da Silva Piñeiro (Orgs.) As desigualdades de gênero e raça na América Latina no século XXI. Porto Alegre, RS: Editora Fi, 2019.

HIRST, Monica. Conceitos e práticas da ação humanitária latino-americana no contexto da securitização global. Estudios Internacionales, 2017, pp. 143-179.

LEPORE, Jill. Estas verdades: a história da formação dos Estados Unidos. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2020.

LEVITSKY, Steven e ZIBLATT, Daniel. Como as democracias morrem. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 2018.

MANAUT, Raul Benítez. Centroamérica Geopolítica, Militarización y crisis humanitária. Revista Del Centro Andino de Estudios Internacionales, 15, ano 2015, p. 212-239.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do Poder, Eurocentrismo e AméricaLatina. In: A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires - CLACSO, Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales, 2005.

QUINTERO, Pablo; FIGUEIRA, Patricia & Elizalde, Paz Concha. Uma breve história dos estudos decoloniais. Masp Afterall, 2019.

Downloads

Publicado

15/12/2021

Como Citar

Sarmiento, Érica. (2021). A captura dos corpos descartáveis nas fronteiras. As migrações forçadas, as políticas estadunidenses e a América Latina. Monções: Revista De Relações Internacionais Da UFGD, 10(20), 410–431. https://doi.org/10.30612/rmufgd.v10i20.14450

Edição

Seção

Artigos Dossiê - Fronteira e Defesa Nacional: Segurança Integrada e Ajuda Humanitária