Ascensão e queda do governo Evo Morales na Bolívia (2006-2019) sob o prisma da “sociedade abigarrada”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30612/rmufgd.v10i20.12906

Palavras-chave:

Estado plurinacional boliviano, Governo Evo Morales, Oposição política

Resumo

Juan Evo Morales Ayma, primeiro presidente boliviano de origem indígena, fez um governo caracterizado por inovações constitucionais e políticas. Duas mudanças foram marcantes: a criação de um Estado “plurinacional” e a introdução de princípios da filosofia indígena andina, como o “vivir bien”. Em termos econômicos, ocorreram a renegociação das taxas nos setores de recursos minerais e hidrocarbonetos e investimentos na produção, o que esteve na base da criação de políticas sociais. No entanto, em 2019, Morales renunciou à presidência boliviana pela pressão de militares e da oposição, resultando em seu exílio. Diante disso, o objetivo deste artigo foi analisar por que Morales, apesar das inovações legais e da melhora econômica e social na Bolívia, foi destituído em 2019. A principal hipótese é que, mesmo com as transformações implementadas, o governo Morales não foi capaz de superar o abigarramento da sociedade boliviana, conceito de Zavaleta Mercado, que consiste em divisões estruturais existentes na sua composição. Foram utilizadas fontes primárias, como o plano de desenvolvimento nacional e a Constituição boliviana de 2009, e fontes secundárias, como artigos acadêmicos e reportagens de jornais. Concluiu-se que os desafios impostos pelo abigarramento boliviano permanecem abertos e são crucias para o futuro do país.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Bruno Boff, Universidade do Vale do Itajaí- UNIVALI

Professor do curso de Relações Internacionais

Samia Franco, Centro Universitário Jorge Amado- UNIJORGE

Professora do curso de Relações Internacionais

Referências

ACOSTA, Alberto. Bem Viver: uma Oportunidade para Imaginar Outros Mundos. Autonomia Literária. São Paulo: 2014.

BALLESTRIN, Luciana. América Latina e o giro decolonial. Revista Brasileira de Ciência Política, 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-33522013000200004&script=sci_arttext. Acesso em:19/09/2020

BANCO MUNDIAL. The Commodity Cycle in Latin America: Mirages and Dilemmas, 2016. Disponível em: https://openknowledge.worldbank.org/handle/10986/24014. Acesso em: 19/09/2020.

BARRÍA, Cecilia. Como a Bolívia se tornou o país que mais cresce na América do Sul. BBC Mundo, 2017. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-41753995. Acesso em: 20/09/2020

BBC. O que está por trás do sucesso econômico da Bolívia na era Evo Morales? 2019a. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-50088340. Acesso em: 20/09/2020

BBC. A cronologia da crise que levou à renúncia de Evo Morales na Bolívia. BBCNEWS, 2019b. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-50367271 . Acesso em: 19/09/2020

BARBASSA, Juliana. Thanks, but goodbye: Why many of Evo Morales´ supporters wan him to move on. Americas Quartely, 2018. Disponível em: https://www.americasquarterly.org/fulltextarticle/thanks-but-goodbye-why-many-of-evo-morales-supporters-want-him-to-move-on/. Acesso em: 19/09/2020

BIELSCHOWSKY, Ricardo. Sesenta años de la CEPAL: estructuralismo y neoestructuralismo. Revista CEPAL, n. 97, abril, Santiago de Chile: 2009

CRESPO, André M. Promesas sin mucha convicción. IN: ECHAZÚ, Maria V (coord). Marcha Indígena por el TIPINS: La lucha en defensa de los territorios. Fundación TIERRA: La Paz, Bolivia, 2012.

CRIALES, José Pablo. “Evo Morales no es el dueño de las luchas sociales en Bolivia”. El País, 2019. Disponível em: https://elpais.com/internacional/2019/12/02/actualidad/1575327012_315682.html. Acesso em: 21/10/2020

CUNHA FILHO, Clayton; GONÇALVES, Rodrigo. The National Development Plan as a Political Economic Strategy in Evo Morales's Bolivia: Accomplishments and Limitations. Latin American Perspectives, 2010.

DEUSTCHE WELLE. Membros da OEA divergem sobre existência de golpe na Bolívia, 2019. Disponível em: https://www.dw.com/pt-br/membros-da-oea-divergem-sobre-exist%C3%AAncia-de-golpe-na-bol%C3%ADvia/a-51223174. Acesso em: 20/10/2020

DOS SANTOS, Fabio Luis Barbosa. Uma história da onda progressista sul-americana (1998-2016). 2ª ed. São Paulo: Elefante, 2019.

DURAN GIL, A. Bolívia: duas revoluções nacionalistas? Perspectivas: Revista de Ciências Sociais (Online), 2008. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/perspectivas/article/view/1457. Acesso em:18/09/2020

EL PAÍS. Critican doble moral de OEA respecto a elecciones en Bolivia. 18 de Outubro de 2020. Disponível em: https://www.elpais.cr/2020/10/18/critican-doblre-moral-de-oea-respecto-a-elecciones-en-bolivia. Acesso em:20/10/2020

BOLÍVIA [Constituição (2009)]. Constitución Política del Estado. La Paz, 2009. Disponível em: <https://www.oas.org/dil/esp/Constitucion_Bolivia.pdf>. Acesso em: 20/09/2020

BOLÍVIA. Plan Nacional de Desarrollo: Bolivia Digna, Soberana, Productiva y Democrática para el Vivir Bien. 2007.

GARCIA LINERA, Alvaro. A potência plebeia: Ação coletiva e identidades indígenas, operárias e populares na Bolívia. CLACSO Coediciones. Boitempo Editorial. São Paulo: Nov. 2010

G1. Morales diz que respeitará resultado de referendo resultado parcial indica derrota de Evo em referendo da reeleição. 2016. Disponível em: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/02/morales-diz-que-respeitara-resultado-de-referendo.html. Acesso em: 21/09/2020

IAMAMOTO, Sue. Home made development in Bolivia. Civitas, Porto Alegre, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-60892017000200003&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 19/09/2020

IAMAMOTO, Sue. Visões de Nação na constituinte boliviana. Lua Nova, São Paulo, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-64452016000100013&lng=en&nrm=iso. Acesso em:22/09/2020

KLEIN, Herbert S. História da Bolívia. Editora UNB: Brasília, 2016.

LACERDA, Rosane Freire. “Volveré, y Seré Millones”: Contribuições Descoloniais dos Movimentos Indígenas Latino Americanos para a Superação do Mito do Estado-Nação. Tese de Doutorado em Direito, Universidade de Brasília, 2014.

MCNEISH, John-Andrew. Extraction, Protest and Indigeneity in Bolivia: The TIPNIS Effect. Latin American and Caribbean Ethnic Studies, 2013

MCNELLY, Angus. Neostructuralism and Its Class Character in the Political Economy of Bolivia Under Evo Morales, New Political Economy, 2019.

MACUSAYA, Carlos. Batallas por la identidad. Indianismo, katarismo y descolonización en la Bolivia contemporânea. Lima: Hwan Yunpa, 2019

MAGNOTTA, Fernanda. Um balanço da política externa da era Trump. Status Report. Centro Brasileiro de Relações Internacionais: Rio de Janeiro, 2021. Disponível em: https://cebri.org/portal/publicacoes/cebri-artigos/um-balanco-da-politica-externa-da-era-trump. Acesso em 10/05/2020

MARTINÉZ, Alfredo Juan; PEDROSO, Carolina; FRANZONI, Marcela. Trump e a América Latina: a política externa para Venezuela, Cuba e México. Revista do Instituto de Estudos Econômicos e Internacionais, 2018. Disponível em: https://ieei.unesp.br/index.php/IEEI_MundoeDesenvolvimento/article/view/16. Acesso em 10/05/2020

MEDEIROS, Gustavo. Evolución y características del sector soyero en Bolivia. IN: SORUCO, Ximena; PLATA, Winfredo; MEDEIROS, Gustavo. Los barones del Oriente. El poder en Santa Cruz ayer y hoy, Editora Tierra, 2008

MERCADO, René Z. Lo nacional popular en Bolívia. Siglo 21 Editores. Ciudad de México: 1985.

MIRANDA, Boris. Quem é Luis Fernando Camacho, “o Bolsonaro boliviano” que despontou em meio à renuncia de Evo. BBC News, 2019a. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-50354666. Acesso em: 19/09/2020

MIRANDA, Boris. Evo Morales renuncia a la presidencia de Bolivia: Luis Fernando Camacho, el "Bolsonaro boliviano" que protagonizó las protestas que forzaron la dimisión del líder indígena. BBC News Mundo. 11 de nov. 2019b. Disponível em: https://www.bbc.com/mundo/noticias-america-latina-50375624. Acesso em: 13/09/ 2020.

MOLINA, Fernando. Evo Morales renuncia na Bolívia após militares cobrarem sua saída. El País, 2019. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2019/11/10/internacional/1573419777_926417.html. Acesso em: 15/09/2020

NUNES, Ticiane Gabrielle Amaral. O extrativismo progressista na américa do sul: uma análise a partir da experiência boliviana. Rev. Cadernos de Campo, n. 24, p. 63-84, jan./jun. 2018. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/cadernos/article/view/11312/7922. Acesso em: 17/09/2020.

OLIVEIRA, Caroline. Quem é Elon Musk e por que ele teria interesse em um golpe de Estado na Bolívia? Diálogos do Sul. 29 de jul. 2020. Disponível em:

https://dialogosdosul.operamundi.uol.com.br/america-latina/65949/quem-e-elon-musk-e-por-que-ele-teria-interesse-em-um-golpe-de-estado-na-bolivia. Acesso em: 13/09/2020.

OLIVEIRA, Daltro Alberto et all. O novo constitucionalismo latino-americano: paradigmas e contradições. Revista Quaestio Iuris, 2013. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/quaestioiuris/article/view/11775. Acesso em: 17/09/2020.

ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS (OEA). Relatório final da auditoria das eleições na Bolívia: houve manipulação e graves irregularidades que impossibilitaram a validação dos resultados. Notas à Imprensa, 2019. Disponível em: https://www.oas.org/pt/centro_midia/nota_imprensa.asp?sCodigo=P-109/19. Acesso em: 15/09/2020

PANNAIN, Rafaela N. A reconfiguração da política boliviana: reconstituição de um ciclo de crises. Lua Nova, São Paulo, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010264452018000300010&lng=en&nrm=iso . Acesso em: 19/09/2020.

PLATA, Winfredo. El discurso autonomista de las élites de Santa Cruz . In: SORUCO, Ximena; PLATA, Winfredo; MEDEIROS, Gustavo. Los barones del Oriente. El poder en Santa Cruz ayer y hoy, Editora Tierra, 2008.

PREBISCH, Raul. El desarrollo economico de la America Latina y algunos de sus principales problemas. Comision Economica para America Latina y el Caribe (CEPAL), 1949. Disponível em: https://www.cepal.org/es/publicaciones/40010-desarrollo-economico-la-america-latina-algunos-sus-principales-problemas. Acesso em:15/09/2020

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: A colonialidade do saber, Eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas Latinoamericanas. CLACSO, 2005.

QUIJANO, Aníbal. “Bien vivir”: entre el “desarrollo” y la des/colonialidad del poder. In: Des/colonialidad y bien vivir: Un nuevo debate en América Latina. Lima: Editorial Universitaria, 2014.

REYES, Silvano Fernando. As perdas territoriais do estado boliviano (1825-1935). GEOUSP. Espaço e Tempo, 2000. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/74148. Acesso em: 18/09/2020

SANTOS, Boaventura S. La reinvención del Estado y el Estado Plurinacional. Alianza Interinstitucional CENDA, CEJIS, CEDIB, 2007. Disponível em: https://www.ces.uc.pt/publicacoes/outras/200317/estado_plurinacional.pdf. Acesso em: 23/09/2020.

SCHALVEZON, Salvador. Plurinacionalidad y Vivir Bien/Buen Vivir: Dos conceptos leídos desde Bolivia y Ecuador post-constituyentes. Ediciones Abya Yala: Quito, 2015.

SILVA, Fabricio Pereira da. Comunalismo nas refundações andinas do século XXI. O sumak kawsay/suma qamaña. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-69092019000300511&script=sci_arttext . Acesso em: 21/09/2020.

TAPIA MEALLA, Luis. La condición multisocietal. Multiculturalidad, pluralismo, modernidad. Muela del Diablo, 2002.

VILLA, Rafael. A questão democrática na agenda da OEA no pós-guerra fria. Rev. Sociol. Polít., Curitiba, 20, p. 55-68, jun. 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rsocp/a/kFQNk7bMKWSgTpM4hD3SZTs/?lang=pt. Acesso em: 23/09/2020.

Downloads

Publicado

15/12/2021

Como Citar

Boff, R. B., & Franco, S. (2021). Ascensão e queda do governo Evo Morales na Bolívia (2006-2019) sob o prisma da “sociedade abigarrada”. Monções: Revista De Relações Internacionais Da UFGD, 10(20), 519–548. https://doi.org/10.30612/rmufgd.v10i20.12906