O comportamento dos alunos de Ensino Médio nas aulas de Educação Física: análise do SOFIT

Anderson Fabrício Souza Silva, Juliana Pereira da Silva, Kleverton Krinski, Luciana da Silva Lirani, Hassan Mohamed Elsangedy, Rodrigo Dias, Guanis de Barros Vilela Junior, Fabricio Cieslak

Resumo


A Educação Física atual aborda importantes papéis na formação social e pratica de atividade física regular, mostrando que através do professor os alunos aprender a convier em grupo, respeitar as indiferenças e um aspecto muito importante não deixar de praticar atividades físicas regulares não somente no âmbito escolar. O presente trabalho tem como intuito mostrar a realidade na vivencia do âmbito escolar de alunos de Ensino Médio nas aulas de Educação Física. Avaliando-o nível de atividade física, através sistema de avaliação SOFIT e relacionando os resultados com os embasamentos teóricos, obtendo assim o verdadeiro papel da pratica da Educação Física no desenvolvimento da socialização entre os alunos. Relacionando a importância das aulas de Educação Física e a aplicabilidade de atividades que trabalhem as relações interpessoais tornando os alunos mais ativos e principalmente formando cidadãos conscientes e autônomos, através da prática da atividade física. Percebe-se a pouca participação e interesse pela pratica das aulas de Educação Física no Ensino Médio, devido à falta de atividades que estimulem os alunos. No estudo destaca-se a abordagem do método Quanti-Qualitativa, Exploratória e observacional, na qual foram observados (15 meninas e 15 meninos) de uma escola de Ensino Médio da cidade de Itapeva/SP, sendo as mesmas avaliadas através do sistema SOFIT. Verificou-se quanto ao comportamento dos alunos uma baixa proporção de escolares que participam das aulas de Educação Física de forma ativa com cerca de (40%), sendo que permaneceram deitados (20%), sentado (93,3%), em pé (63,3%) e caminhando (63,3%). Já no quesito sobre os contextos trabalhados em aulas os resultados indicaram mais a pratica de jogos (73,3%) e outros contextos (33,3%). Quanto ao comportamento do professor às aulas ocorriam em gerenciamento (13,3%), observação (86,7%) e outras tarefas (60%). Conclui-se que poucos alunos de Ensino Médio da escola pesquisada praticam atividades físicas regulares, devido à falta de aplicação de conteúdos e atividades que instiguem a participação nas aulas. O professor se faz muito importante na criação, aplicabilidade e interferência das atividades trabalhadas em aula, levando o aluno a participar e se relacionar construindo de acordo com o tempo gosto pela pratica de atividade física regular, principalmente quando se fala de alunos que logo vão se incluir na sociedade adulta.


Palavras-chave


Socialização. Educação Física. Ensino Médio.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias/Ministério da Educação. Brasília: Ministério da Educação / Secretaria de Educação Média e Tecnológica, 1999.

CASTAGNOLI, C. A. Atividades esportivas, culturais e cooperativas como meio de superação no relacionamento interpessoal na escola. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/389-4.pdf. acesso em: 26 jul. 2010.

DARIDO, S. C. A educação física na escola e o processo de formação dos não praticantes de atividade física. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v.18, n.1, p.61-80, Jan./ Mar., 2004.

FERREIRA, M. S. Aptidão física e saúde na educação física escolar: Ampliando o enfoque. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v.22, n.2, p. 41-54, jan. 2001.

FERNANDES, J. F. Educação física na perspectiva da cultura corporal: Uma proposta pedagógica. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. v.22, n.3, p.137-150, maio 2001.

GUERRA, M. L. M. A Solução para o seu concurso. Professor educação básica PEB II. São Paulo, v. 2, n. p 68-69, 2009.

HINO, A. A. F; REIS, R. S; ANEZ, C. R. R. Observação dos níveis de atividade física, contexto das aulas e comportamento do professor em aulas de educação física do ensino médio da rede pública. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde, Curitiba, 2007.

HINO, A. A. F.; AÑES, C.R. R; REIS, R. S. Validação do sofit para avaliação da atividade física em aulas de Educação Física em ensino médio. Revista da Educação Fisica UEM, Maringá, v.21, n.2, p. 271-278, 2010.

LE MASURIER, G. C; CORBIN, C. B. Top 10 reasons for quality physical education. Journal of Physical Education, Recreation and Dance, v.77, n.6, p. 44-52, Ago., 2006.

SILVA, J. P. S. A relação professor/aluno no processo de ensino e aprendizagem. disponível em: http://www.espacoacademico.com.br/052/52pc_silva.htm. Acesso em: 28 jul. 2010.

SALLIS, J. F. et al. The effects of a 2-year physical education program (SPARK) on physical activity and fitness in elementary school students. American Journal of Public Health, v.87, n.8, p.1328-1334, Ago., 1997.

SOLER, R. Educação Física: uma abordagem cooperativa. Sprint, Rio de Janeiro, 2006.

TELAMA, R; YANG, X. Decline of physical activity from youth to young adulthood in Finland. Medicine Science Sports and Exercise, v.32, n.9, p.1617-1622, Sep., 2000.




DOI: https://doi.org/10.30612/hre.v9i16.12035

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.