A importância do estágio de observação para a formação de professores de biologia

Yasmin Borges Diniz

Resumo


O presente trabalho visa abordar as formas pelo qual o estágio supervisionado direcionado à observação da escola e da atividade docente contribuem para a formação de um professor de biologia. Os resultados pautam-se nas observações realizadas nas aulas de ciências em duas turmas de 6º ano e nas aulas de biologia em também duas turmas de 1º. As escolas pelo qual foram realizadas as observações localizam-se no município de Teresina/PI. No decorrer do período de estágio foram observadas as metodologias de ensino utilizadas pelas professoras, os recursos didáticos usados pelas mesmas e a relação professor-aluno das turmas. As observações realizadas, inclusive sobre a infraestrutura de cada uma das escolas, foram discutidas com fundamentação teórica. No decorrer da disciplina de estágio supervisionado foram realizados dois projetos pedagógicos com o objetivo de averiguar se de fato os alunos compreenderam alguns conteúdos que outrora já haviam sido abordados pelas professoras. Os resultados mostraram que embora os temas já tivessem sido trabalhados pelas professoras e que avaliações sobre os conteúdos já tivessem sido realizadas, ainda sim os alunos mostraram grandes dificuldades. Ao final do período de estágio pôde-se concluir que a conciliação entre teorias educacionais e prática docente é de extrema complexidade e que inovar nas metodologias de ensino é crucial para a construção dos conhecimentos dos alunos.


Palavras-chave


Estágio Supervisionado. Professor de Biologia. Observação.

Texto completo:

PDF

Referências


BIONDI, R. L.; FELÍCIO, F. Atributos Escolares e o Desempenho dos Estudantes: uma Análise em Painel dos Dados do SAEB. Brasília, DF: INEP, 2007.

CAMARGO, E. P. Inclusão Social, educação inclusiva e educação especial: enlaces e desenlaces. Ciência & Educação. Bauru, v. 23, n. 1, jan./mar. 2017.

CAMARGO, P. P. O vínculo afetivo na relação professor-aluno e seus efeitos no processo de aprendizagem em biologia. 2017. 45 f. Monografia apresentada na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) para a obtenção do título de Licenciada em Ciências Biológicas.

CARVALHO, L. V. M. da. S. Respeito na relação professor-aluno: representações culturais de alunos do 6º ano do ensino fundamental de Porto Alegre- RS. 2017. 46 f. Monografia apresentada na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) para a obtenção do título de Licenciada em Pedagogia.

FONSECA, E. M. da; DUSO, L. Reflexões no ensino de ciências: elaboração e análise de materiais didáticos. Revista do Programa de Pós-Graduação Educacionais em Ensino. Paraná, v. 2, n. 1, p. 23-44, 2018.

GARCIA, P. S. Infraestrutura Escolar: interface entre a biblioteca e a possibilidade de aprendizagem dos alunos. Roteiro. Joaçaba, v. 41, n. 3, p. 587-608, set./dez. 2016.

GARCIA, P. S.; PREARO, L. C.; ROMEIRO, M. C. Educação Básica: Base Nacional Comum e infraestrutura escolar. Dialogia. São Paulo, n. 24, p. 83-98, jul./dez. 2016.

GLAT, R.; MASCARO, C. A.; ANTUNES, K. C. V.; MARIN, M. Inclusão de pessoas com deficiência e outras necessidades especiais na escola e no trabalho. 1. Ed. 2011. (Série Cadernos CIEE Rio).

JANOSKI, G; PIRES, A. de. P. Relato de experiência do estágio supervisionado na educação infantil. In: XIII CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (EDUCERE). Anais. Curitiba: PUCR, 2017, p. 1-11.

LEÃO, D. M. Paradigmas contemporâneos de educação: Escola tradicional e escola construtivista. Cadernos de Pesquisa, nº 107, p. 187-206, 1999.

LIBÂNEO, J. C. Democratização da Escola Pública. A Pedagogia Histórico – Crítico Social dos Conteúdos. São Paulo: Loiola,1986.

LIMA, G. B. V. de; SANTOS, M. de. L. B. dos. Contribuição do Estágio Supervisionado para a formação do futuro professor no Curso de Licenciatura em Química do IFPB. In: XV Encontro Nacional de Ensino de Química (XV ENEQ). Anais. Brasília: UnB, 2010, p. 1-10.

LIPP, M. N. O stress do professor frente ao mau comportamento do aluno. In: FAVA, D. C. (Org.). A Prática da Psicologia na Escola. Belo Horizonte: Artesã, 2016. Cap. 15. p. 351-372.

MAFUANI, F. Estágio e sua importância para a formação do universitário. Instituto de Ensino superior de Bauru (IESB). 2011. Disponível em: http://www.iesbpreve.com.br/base.asp?pag=noticiaintegra.asp&IDNoticia=1259. Acesso em: 07 dez. 2019.

MELLO, R. de. Dificuldades e possibilidades relatadas no estágio supervisionado em ciências. 2015. 36 f. Monografia apresentada na Universidade Federal da Fronteira Sul para a obtenção do título de Licenciado em Ciências Biológicas.

MESSERSCHMIDT, D. W.; CASTRO, S. F. de. Docência com alunos com deficiência na Universidade. Journal of Research in Special Educational Needs, Portugal, 26-29 set. 2016. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/1471-3802.12165. Acesso em: 08 dez. 2019.

OLIVEIRA, L. A. de; LIMA, P. G; NASCIMENTO, A. G. A importância do estágio supervisionado na formação dos acadêmicos do curso de licenciatura em química do IFMA Campus Zé Doca. In: V Congresso Nacional de Educação (V CONEDU). Anais. Olinda: CECON- PE, 2018, p. 1-12.

PIMENTA, S. G. O estágio na formação de professores: unidade entre teoria e prática. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, n. 94, p. 58-73, 2013.

SANTOS JÚNIOR, R. J. A importância das leis para a inclusão educacional: Do sistema ao professor. Revista de Educação UniAGES. Paripiranga, vol. 1, n. 1, p. 37-58, 2016.

SCALABRIN, I. C.; MOLINARI, A. M. C. A importância da prática do estágio supervisionado na licenciatura. Revista Unar. Araras, vol. 17, n. 1, p. 1-12, 2013.

SILVA, H. I; GASPAR, M. Estágio Supervisionado: a relação teórica e prática reflexiva na formação de professores do curso de Licenciatura em Pedagogia. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v. 99, n. 251, p. 205-221, jan. / abr. 2018.

SOUZA, S. E. O uso de recursos didáticos no ensino escolar. In: I Encontro de Pesquisa em Educação, IV Jornada de Prática de Ensino, XIII Semana de Pedagogia da UEM: “Infância e Práticas Educativas”. Anais. Arq Mudi. 2007.

UNESCO. Qualidade da Infraestrutura das escolas públicas do ensino fundamental no Brasil. Brasília, 122 p. 2019.




DOI: https://doi.org/10.30612/hre.v9i16.10859

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.