Noções de representação e a verdade na série Carretéis de Iberê Camargo

Mirian Martins Finger, Jorge Luiz da Cunha

Resumo


Este artigo aborda noções de representação balizadas em fragmentos pertencentes aos domínios da filosofia, da história e da arte. A intenção é analisar um recorte da série do artista Iberê Camargo, intitulada “Carretéis”. Para fundamentar o estudo, que aborda a categoria representação, foram abordados autores como Cassirer (2001), Chartier (2012), Gombrich (2007), Goodman, (1976, 1995), Hayden White (1994, 2006, 2010), entre outros. Na primeira parte do texto expomos algumas noções de representação vinculadas à noção de verdade, tanto no que tange as narrativas dos eventos históricos, quanto às produções artísticas. Na segunda, analisamos duas obras da Série e verificar como Iberê representou plasticamente seu objeto de memória, o carretel. Assim, elucidamos que a transmissão da memória de infância do objeto carretel apresenta na série “Carretéis”, distintas maneiras de representação e de verdade, tanto ao que concerne sua forma quanto sua simbologia.

Palavras-chave


Representação. Carretéis. Iberê Camargo.

Texto completo:

PDF

Referências


BERGSON, Henri. Matéria e memória: ensaio sobre a relação do corpo com o espírito; tradução Paulo Neves. - 2- ed. – São Paulo: Martins Fontes, 1999.

BURKE, Peter. O que é historia cultural?; tradução: Sérgio Goes de Paula. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.

CAMARGO, Iberê. Gaveta dos guardados. São Paulo: Cosac & Naify, 2009.

CAMARGO, Iberê. In ZIELINSKY, Mônica. Iberê Camargo: catálogo raisonné: vol. I/Gravuras. São Paulo: Cosac & Naify, 2006.

CAMARGO, Iberê. No tempo. Porto Alegre: Fundação Iberê Camargo, 2012.

CASSIRER, Ernst. A filosofia das formas simbólicas; tradução Marion Fleischer. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

CHARTIER, Roger. Defesa e ilustração da noção de representação. Fronteiras, Dourados MS, v. 13, n. 24, pp. 15-29, jul./dez. 2011.Disponível em: http://www.ufrgs.br/gthistoriaculturalrs/nocaoderepresentacao.pdf. Acesso em: 30 mai. 2016.

CHARTIER, Roger. 1989. O mundo como representação. Estudos Avançados, São Paulo, v. 5, n. 11, pp. 173-191. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/eav/article/view/8601/10152. Acesso em: 21 jul. 2016. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40141991000100010

CHARTIER, Roger & BOUDIER, Pierre. O sociólogo e o historiador. Tradução Guilherme João de Freitas Teixeira – Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2012.

D’OREY, Carmo. A exemplificação na arte: um estudo sobre Nelson Goodman. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1999.

EMEARTH, Elizabeth. Beyond History. In: A história refigurada. São Paulo: Contexto, 2014.

GOMBRICH, E. H. Arte e ilusão: um estudo da psicologia da representação pictórica; tradução Raul de Sá Barbosa. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2007.

GOODMAN, Nelson. Languages of art: an approach to a theory of syimbols. Indianápolis and New York, Bobb-Merril, 1976.

GOODMAN, Nelson. Of mind and other matters. Cambridge: Harvard UP. 1984. (Versão espanhola de T. Breton: De La mente y otras materias. Madrid: Visor, 1995.

JENKINS, Keith. Ordem(ns) do dia. In: A história refigurada. São Paulo: Contexto, 2014.

JENKINS, Keith. O que é a história. In: A história repensada. São Paulo: Contexto, 2001.

KANDINSKY, Wassily. Do espiritual na arte; tradução Álvaro Cabral – 2. ed. – São Paulo: Martins Fontes, 1996.

PLATÃO. A república. São Paulo: Martin Claret, 2009.

QUINE, Willard Van Orman. Palavra e objeto; tradução Sofia Inês Alborz Stein e Desidério Murcho. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento; tradução Alain François [et al]. Campinas: Editora da Unicamp, 2007.

RICOEUR, Paul. A metáfora viva. São Paulo: Loyola, 2000-2005.

RORTY, Richard. A filosofia e o espelho da natureza; tradução Antônio Trânsito – Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.

RORTY, Richard. Objetivismo, relativismo e verdade; tradução Marco Antônio Casanova. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1997.

WHITE, Hayden. Enredo e verdade na escrita da história In: MALERBA, Jurandir (org). A história escrita. São Paulo: Contexto, 2006.

WHITE, Hayden. Ficción histórica, história Ficcional e realidade. In. Ficción histórica, historia e realidade histórica. Buenos Aires: Prometeo, 2010.

WHITE, Hayden. Meta-história: a imaginação histórica do século XIX; Tradução José Laurênio de Melo. São Paulo: Editora de Universidade de São Paulo, 1995.

WHITE, Hayden. Trópicos do discurso: ensaios sobre a crítica da cultura. Tradução Alípio Correia de Franca Neto. Editora da Universidade de São Paulo, 1994.

WITTGENSTEIN, Ludwig. Investigações filosóficas; tradução José Carlos Bruni – 3. ed. – São Paulo: Abril Cultural, 1984.

WOLLHEIM, Richard. A arte e seus objetos; tradução Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

WOLLHEIM, Richard. A pintura como arte; tradução Vera Pereira. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.




DOI: https://doi.org/10.30612/rehr.v11i22.7942

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.