Análise Antropológica do Ensino da Temática Indígena em Escolas de Campo Grande - MS

Autores

Palavras-chave:

Lei 11645/2008, Temática Indígena, Ensino de História

Resumo

Este trabalho é resultado de uma pesquisa realizada com quatro professores de História, das redes pública e privada de Campo Grande-MS, referente ao ensino da temática Indígena nos conteúdos da disciplina. O procedimento metodológico adotado foi o etnográfico, contudo, devida a necessidade de distanciamento físico imposta pela pandemia da Covid-19, realizamos as entrevistas com os/as interlocutores/as utilizando ferramentas da Internet, bem como análise direta de atividades escolares utilizadas no ensino remoto emergencial. O objetivo geral da pesquisa foi realizar uma análise antropológica da abordagem da temática Indígena nas aulas de história. Os objetivos específicos foram: investigar as estratégias metodológicas utilizadas pelos professores para o ensino da temática; compreender os desafios enfrentados pelos professores na articulação dos assuntos de história indígena aos demais conteúdos da disciplina; e entender como ocorreu o ensino desse tema durante o ensino remoto. Observando o estabelecido pela Lei nº 11.645/2008 e os relatos das experiências dos/as professores/as foi possível inferir que, no que se refere ao ensino da temática indígena, apesar de haver um amplo conjunto de normas que subsidiam a educação para as relações étnico-raciais, os desafios para seu estabelecimento a contento ainda são diversos, a exemplo: lacunas na formação docente (inicial e continuada); dificuldades de acesso a materiais especializados; e, necessidade de combate efetivo ao racismo e preconceito contra os povos originários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Evelyn de Souza Santiago Candido da Silva, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Mestrado em Antropologia Social pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - PPGAS/UFMS (2021).

Victor Ferri Mauro, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutorado em História pela UFGD. Professor do quadro permanente da UFMS, onde ministra disciplinas nos cursos de Ciências Sociais, Jornalismo, Psicologia e História, e no mestrado em Antropologia Social.

Antonio Hilario Aguilera Urquiza, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutor em Antropologia pela Universidade de Salamanca-Espanha (2006). Professor Associado da UFMS; professor e coordenador da Pós-graduação em ANTROPOLOGIA SOCIAL (PPGAS/UFMS), assim como professor da Pós-graduação em Direitos Humanos (FADIR/UFMS). 

Referências

ALMEIDA, Maria Regina Celestino de. Os índios na história do Brasil. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010.

ALMEIDA, Silvio Luiz de. Racismo estrutural. São Paulo: Editora, 2020.

ASSUNÇÃO, Marcello Gomes de. Parâmetros para produção e avaliação de livro didático de história – aprendizagem histórica e a Lei 10.639/2003. 2016. 142 f. Dissertação (mestrado) – Pós-Graduação em Mestrado Profissional em Ensino de História, Rio de Janeiro, 2016.

BHABHA, Homi K. O local da cultura/ Homi K. Bhabha; tradução de Myriam Ávila, Eliane Lourenço de Lima Reis, Glaúcia Renate Gonçalves. – 2. ed. – Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm>. Acesso em 7 jul. 2019.

BRASIL. Lei nº 11.645, de 10 de março de 2008. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei no 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=10101-lei-11645-10-03-2008&Itemid=30192>. Acesso em 7 jul. 2019.

BITTENCOURT, Circe. M. F. Livros didáticos de História: práticas e formação docente. In: Lucíola Licínio de Castro Paixão Santos ... [et al.]. Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente (org). – Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 544-564.

CASTELLS, Manuel. A era da informação: economia, sociedade e cultura – O poder da identidade. Manuel de Castells. Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 2003.

DIAS-TRINDADE, S., CORREIA, J. D., & HENRIQUES, S. (2020). Ensino remoto emergencial na educação básica brasileira e portuguesa: a perspectiva dos docentes. Revista Tempos E Espaços Em Educação, 13(32), 1-23. Disponível em:< https://doi.org/10.20952/revtee.v13i32.14426>. Acesso em 25 fev. 2021.

FUNAI. Índios no Brasil. Página Inicial. Disponível em:. Acesso em: 7 jul. 2019.

GOMES, Nilma Lino. Diversidade étnico-racial: por um projeto educativo emancipatório. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 2, n. 2-3, pp. 95-108, jan./dez., 2008. Disponível em:< http://retratosdaescola.emnuvens.com.br/rde/article/view/127/230>. Acesso em 22 jul. 2020.

GOMES, Nilma Lino. Diversidade étnico-racial, inclusão e equidade na educação brasileira: desafios, políticas e práticas. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v.27, n.1, pp. 109-121, jan./abr., 2011. Disponível em:<https://www.seer.ufrgs.br/rbpae/article/view/19971>. Acesso em 20 jul. 2020.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 12. ed. Rio de Janeiro, RJ: Lamparina, 2015. 58 p.

LAMAS, Fernando Gaudareto. A luta contra o senso comum: considerações sobre a apreensão da história indígena em sala de aula. Revista Ensino Interdisciplinar, v. 3, nº. 08, Maio/2017 UERN, Mossoró, RN, p. 160-168. Disponível em:< http://natal.uern.br/periodicos/index.php/RECEI/article/view/975>. Acesso em 17 out. 2020.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Raça e História. Antropologia Estrutural II. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1976, Capítulo XVIII, p. 328-366.

MAURO, Victor Ferri. História, território, identidade Krahô-Kanela. Dourados, MS: UFGD, 2016. 434 f. Tese (Doutorado em História) - Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, 2016.

MORAES CRUZ, R., RUPPEL DA ROCHA, R. E., ANADREONI, S., & DUARTE PESCA, A. (2020). Retorno ao trabalho? Indicadores de saúde mental em professores durante a pandemia da COVID-19. Revista Polyphonía, 31(1), 325-344. Disponível em:<https://doi.org/10.5216/rp.v31i1.66964> Acesso em 25 fev. 2021.

MORTARI, Claudia; WITTMANN, Luisa Tombini. O equilíbrio de histórias: experiências no ensino de história por meio de narrativas africanas e indígenas. In: SILVA, Giovani José da; MEIRELES, Marinelma Costa (org). A lei 11.645/2008: uma década de avanços, impasses, limites e possibilidades. Curitiba: Appris, 2019. p. 133-148.

MUNANGA, Kabengele. Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: identidade nacional versus identidade negra/ Kabengele Munanga. – Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.

NOBRE, Felipe Nunes. Nos meandros do (re) conhecimento: a temática indígena nos livros didáticos de história no contexto de implementação da lei 11.645/08 (2008-2014). 2017. 217f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2017.

OLIVEIRA, Luiz Fernandes de; CANDAU, Vera Maria Ferrão. Pedagogia decolonial e educação antirracista e intercultural no Brasil. Educ. rev. vol.26 no.1 Belo Horizonte Apr. 2010. In: < http://https://www.scielo.br/pdf/edur/v26n1/02.pdf> Acesso em 17 out. 2020.

POUTIGNAT, Philippe. Teorias da etnicidade. Seguido de Grupos étnicos e suas fronteiras de Fredrik Barth/ Philippe Poutignat, Jocelyne Streiff-Fenart; tradução de Elcio Fernandes. - São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1998.

SENGHOR, L. S. (2019). Os negros na Antiguidade mediterrânea. Heródoto: Revista Do Grupo De Estudos E Pesquisas Sobre a Antiguidade Clássica E Suas Conexões Afro-asiáticas, 3(2), 348-370. Disponível em:<https://doi.org/10.31669/herodoto.v3n2.28> Acesso em 25 fev. 2021.

SILVA, Giovani José da; COSTA, Anna Maria Ribeiro F. M. da. A Lei 11.645/2008 e a inserção da temática indígena na educação básica. In: SILVA, Giovani José da; COSTA, Anna Maria Ribeiro F. M. da. (Org.). Histórias e culturas indígenas na Educação Básica. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018, 67-99.

SILVA, Suelen de Aguiar. Desvelando a Netnografia: um guia teórico e prático. Intercom - RBCC. São Paulo, v. 38, n. 2, p. 339-342, jul/dez. 2015. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/interc/v38n2/1809-5844-interc-38-02-0339.pdf>. Acesso em 2 set. 2020.

Downloads

Publicado

01-06-2022

Como Citar

Silva, E. de S. S. C. da, Mauro, V. F., & Urquiza, A. H. A. (2022). Análise Antropológica do Ensino da Temática Indígena em Escolas de Campo Grande - MS. Revista Eletrônica História Em Reflexão, 16(31), 169–188. Recuperado de https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/historiaemreflexao/article/view/14741