A literatura de rua na Inglaterra Moderna: uma análise das representações da mulher criminosa e da bruxaria no panfleto The most cruel and bloody murder (1606)

Jeane Carla Oliveira de Melo

Resumo


O presente artigo pretende proceder a um exame analítico das representações da mulher criminosa e da bruxaria na Inglaterra Moderna a partir da literatura de rua, enfocando a narrativa do panfleto The most cruel and bloody murder, publicado em 1606 buscando compreender o papel desempenhado socialmente pelos impressos na construção de imagens misóginas no contexto da reforma dos costumes empreendida a partir do século XV na Europa.


Palavras-chave


Idade Moderna inglesa. Literatura de rua. Mulheres e bruxaria.

Texto completo:

PDF

Referências


BODDICE, Rob. The history of emotions. Manchester: Manchester University Press, 2018.

BURKE, Peter. A cultura popular na Idade Moderna: Europa, 1500-1800. São Paulo: Cia das Letras, 2010.

CLARK, Sandra. Women and Crime in the Street Literature of Early Modern England. New York: Palgrave Macmillan, 2003.

CLARK, Stuart. Pensando com demônios: a ideia de bruxaria no princípio da Europa Moderna. São Paulo: EDUSP, 2006.

DELUMEAU, Jean. História do medo no Ocidente: 1300-1800, uma cidade sitiada. São Paulo: Cia. das Letras, 1989.

HILL, Alexandra, “Bloudy Tygrisses”: Murderous Women in Early Modern English Drama and Popular Literature. Electronic Theses and Dissertations. University of Central Florida, 2009.

KRAMER, Heirinch; SPRENGER, James. O Martelo das feiticeiras – Malleus maleficarum. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1991.

LIEBEL, Silvia. Ingratas e pérfidas Medeias! Infanticídio e normatização da sexualidade feminina na literatura de rua francesa dos séculos XVI e XVII. Revista Topoi. Rio de Janeiro, v.16, n.30, pp.182-202, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/topoi/v16n30/2237-101X-topoi-16-30-00182.pdf Acesso em: 08 jul. 2019.

LOPES, Maria José Ferreira. De Pandora a Eva: fontes antigas da misoginia ocidental. Diacrítica, Braga, v. 26, n. 2, p. pp. 490-511, 2012. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/dia/v26n2/v26n2a28.pdf . Acesso em: 31 mai. 2019.

MASHBURN, Joseph H. & VELIE, Alan R. (Org). The most cruel and the bloody murder. In: Blood and knavery: a collection of English Renaissance pamphlets and ballads of crime and sin. Rutherford: Fairleigh Dickinson University Press, 1973.

MEGGS, Phillip B. & PURVIS, Alston. História do design gráfico. São Paulo: Cosac & Naif, 2009.

MUNCHEMBLED, Robert. Uma história do Diabo: séculos XII-XX. São Paulo: Bom Texto, 2001.

ORLIN, Lena Cowen. A Case for Anecdotalism in Women's History: the witness who spoke when the cock crowed. English Literary Renaissance, Chicago, v. 31, n.1, pp. 52-77, 2001.

RANKE-HEINEMANN, Uta. Eunucos pelo reino de Deus: mulheres, sexualidade e a Igreja Católica. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1999.

RAYMOND, Joad. Pamplhets and pamphleetering in Early Modern britain. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.

RUSSEL, Jeffrey & ALEXANDRE, Brooks. História da Bruxaria. São Paulo: Aleph, 2019.

THOMAS, Keith. Religião e o declínio da magia: crenças populares na Inglaterra - séculos XVI e XVII. São Paulo: Cia das Letras, 1991.

VASCONCELOS, Vânia N. P. Visões sobre as mulheres na sociedade ocidental. Revista Ártemis, n. 3, pp. 1-10, 2005. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/artemis/article/view/2209/1948. Acesso em: 08 jul. 2019.

WILTENBURG, Joy. Disorderly Women and Female Power in the Street Literature of Early Modern England and Germany. Charlottesville e Londres: University Press, 1992.




DOI: https://doi.org/10.30612/rehr.v14i27.12210

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.