Avaliação biométrica e análise da vitamina C em frutas exóticas comercializadas em supermercados e mercados de Teresina – PI

Valdiléia Teixeia Uchôa, Juliana Fortes de Oliveira, Marcos Aurélio Borges Ramos, Ravan Kênory Seriano de Oliveira, Thainar Martins Vieira Brito, Antonio Rafael de Oliveira, Beneilde Cabral Moraes

Resumo


A comercialização de frutas exóticas no Brasil vem expandindo-se bastante nos últimos anos, apresentando produção de aproximadamente 40 milhões de toneladas, mantendo-se atrás, apenas da China e da Índia. Conhecer a variabilidade em termos biométricos das frutas é de grande importância, pois cada fruta possui suas características, ainda que faça parte dos mesmos grupos de espécies. O objetivo deste estudo foi avaliar os aspectos físico-químicos e o perfil biométrico em frutas exóticas comercializadas em mercados e supermercados na cidade de Teresina-PI. Para a análise deste trabalho foram selecionadas e adquiridas 18 amostras de frutas exóticas em mercados e supermercados nas regiões das zonas norte, leste e sul da cidade de Teresina-PI tais como: ameixa, ata, atemoya, bacuri, cajarana, carambola, caqui, jiló, kiwi, morango, pequi, pêssego, pitanga, pitaya, pitomba, sapoti, seriguela e umbu. Com relação ao perfil biométrico, as frutas pitaya, carambola, jiló, bacuri, atemoya e ata, sofreram variações em relação às dimensões de tamanho. Acompanhando a porcentagem de rendimento de polpa in natura, a ameixa apresentou o maior rendimento com 97,87%. Quanto ao teor de vitamina C, a pitanga mostrou-se com o maior valor, apresentando 174,34 mg/100g. Na análise de pH, a seriguela mostrou-se como a fruta mais ácida, com valor de 1,89. Sendo assim, foi possível verificar que, cada fruta exótica, possui sua variedade físico-química e biométrica. Além disso, a perda de vitamina C está atribuída a alguns fatores externos e a quantidade elevada da mesma está relacionada ao elevado estado de maturação da fruta.

Palavras-chave


Frutas Exóticas. Biométrica. Vitamina C. Acidez.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARO, F.S. Teores de licopeno e ácido ascórbico em morangos cv. Vila Nova produzidos em sistemas de cultivo orgânico e convencional. 2005. Ano de Obtenção: 2005. 103 f: Dissertação (Mestrado em Fitotecnia) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

AOAC. Official methods of analysis. Association of oficial analytical chemists, Washington, D. C., p.844 –845, 1984.

ARAÚJO, L.S.; COSTA, E.M.R.; SOARES, T.L.; SANTOS, I.S.; JESUS, O.N. Effect of time and storage conditions on the physical and physico-chemical characteristics of the pulp of yellow and purple passion fruit. Food Sciense and Technology, v.37, n.3, p.500-506, 2017.

BATISTA, A.D.; FONSECA, A.A.O.; COSTA, M.A.P.C.; BITTENCOURT, N.S. Caracterização física, físico-química e química de frutos de pitangueiras oriundas de cinco municípios baianos. Magistra, Cruz das Almas – BA, v.26, n.3, p. 393-402, 2014.

BATISTA, P.F.; COELHO, M.A.L.; ALVES, R.E.; FAÇANHA, R.V. Bioactive compounds and antioxidant activity in tropical fruits grown in the lower-middle São Francisco Valley. Revista Ciência Agronômica, v.49, n.4, p. 616-623, 2018.

BENASSI, M.T.; ANTUNES, A.J.A Comparison of metphosphoric and oxalic acids as extractant solutions for the determination of vitamin c in selected vegetables. Arquivos de Biologia e Tecnologia, v.31, n.4, p.507-513, 1988.

BEZERRA, G.S.A.; MAIA, G.A.; DE FIGUEIREDO, R.W.; DE SOUZA-FILHO, M.S.M. Potencial agroeconômico do bacuri: Revisão. Boletim do Centro de Pesquisa de Processamento de Alimentos, v.23, n.1, p. 47-58, 2005.

BLUM, J.; HOFFMANN, F.B.; AYUB, R.A.; JUNG, D.L.; MALGARIM, M.B. Uso de cera na conservação pós-colheita do caqui cv. Giombo. Revista Brasileira de Fruticultura, v.30, n.3, p. 830-833, 2008.

BONANNO, A.; CAVALCANTI, J.S.B.; Globalization, Food Quality and Labor: The Case of Grape Production in North-Eastern Brazil. International Journal of Sociology of Agriculture and Food, v.19, p. 37-55, 2012.

BORGES, K.C.F.; SANTANA, D.G.; MELO, B.; SANTOS, C.M. Rendimento de polpa e morfometria de frutos e sementes de pitangueira-do-cerrado. Revista Brasileira de Fruticultura., v.32, n.2, p.471-478, 2010.

BRAGA-FILHO, J.R.; NAVES, R.V.; CHAVES, L.J.; PIRES, L.L.; MAZON, L.T. Caracterização física e físico-química de frutos de Araticum (Annona crassiflora Mart.). Bioscience Journal, v. 30, n.1, p. 16- 24, 2014.

CALEGARO, J.M.; PEZZI, E.; BENDER, R.J. Utilização de atmosfera modificada na conservação de morangos em pós-colheita. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.37, n.8, p. 1049-1055, 2002.

CARR, A.C.; MAGGINI, S. Vitamin C and Immune Function. Nutrients. v.9, p.1211, 2017.

CARVALHO, A.V.; LIMA, L.C.O. Qualidade de kiwis minimamente processados e submetidos a tratamentos com ácido ascórbico, ácido cítrico e cloreto de cálcio. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.37, n.5, p.679-685, 2002.

CARVALHO, P.C.L.; RITZINGER, R.; SOARES FILHO, W.S.; LEDO, C.A.S. Características morfológicas, físicas e químicas de frutos de populações de umbu-cajazeira no estado da Bahia. Revista Brasileira de Fruticultura, v.30, n.1, p.140-147. 2008.

CHOO, W.S.; YONG, W.K. Antioxidant properties of two species of Hylocereus fruits. Advances in Applied Science Research, v.2, n.3, p.418-25, 2011.

CATI - COORDENADORIA DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E INTEGRAL, Departamento de Sementes, Mudas e Matrizes (DSMM), Carambola. (2009). Disponível em http://www.cati.sp.gov.br/Cati/_produtos/SementesMudas/nativas/carambola.php. Acesso em: 20 de Out 2019.

CORDEIRO, M.H.M.; DA SILVA, J.M.; MIZOBUTSI, G.P.; MIZOBUTSI, E.H.; DA MOTA, W.F. Caracterização física, química e nutricional da pitaia-rosa de polpa vermelha. Revista Brasileira de Fruticultura, v.37, n.1, p. 20-26, 2015.

DENARDIN, C.C.; HIESCH, G.E.; ROCHA, R.F.; VIZZOTTO, M.; HENRIQUES, A.T.; MOREIRA, J.C.F.; GUMA, F.T.C.R.; EMANUELLI, T. Antioxidant capacity and bioactive compounds of four Brazilian native fruits. Journal of food and drug analysis, v.23, n.3, p.387-398, 2015.

FARINA,V.; D’ASARO, A.; MAZZAGLIA, A.; GIANGUZZI, G.; PALAZZOLO, E. Chemical-physical and nutritional characteristics of mature-green and mature-ripe 'Kensington Pride' mango fruit cultivated in Mediterranean area during cold storage. Fruits, v.72, n.4, p.221-229, 2017.

GONÇALVES, L.G.V.; ANDRADE, F.R.A.; MARIMON JUNIOR, B.H.; SCHOSSLER, T.R.; EDDIE LENZA, E.; MARIMON, B. S. Biometria de frutos e sementes de mangaba (Hancornia speciosa Gomes) em vegetação natural na região leste de Mato Grosso, Brasil. Revista de Ciências Agrárias, v.36, n.1, p.31-40, 2013.

GOMES, A.P.E.; SILVA, K.E.; RADEKE, S.M.; OSHIRO, A.M. Caracterização física e química de kiwi in natura e polpa provenientes da comercialização de Dourados – MS. Revista de Ciências Exatas e da Terra UNIGRAN, v.1, n.1, p. 1-8, 2012.

GUIMARÃES, M.M; SIVA, M.S. Valor nutricional e características químicas e físicas de frutos de murici-passa (Byrsonima verbascifolia). Ciência e Tecnologia de Alimentos, v.28, n.4, p. 817-821, 2008.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Normas Analíticas do Instituto Adolfo Lutz. v. 1: Métodos químicos e físicos para análise de alimentos, 3. ed. São Paulo: IMESP, 1985. p. 25-26.

LIMA, A.K.V.O.; SOUSA, F.C.; SILVA, L.M.M.; SOUSA, E.P.; FIGUEIREDO, R.M.F. Comparação dos parâmetros físico-químicos de polpas de kiwi com sementes e sem sementes. Revista Verde (Mossoró – RN – Brasil), v.7, n.1, p. 01–03, 2012.

MOREIRA, R.A.; RAMOS, J.D.; ARAÚJO, N.A.; MARQUES, V.B. Produção e qualidade de frutos de Pitaia-vermelha com adubação orgânica e granulado bioclástico. Revista Brasileira de Fruticultura, v.33, n.1, p. 762-766, 2011.

NASCIMENTO, R.S.M.; COCOZZA, F.D.M. Physico-chemical characterization and biometry of fruits of ‘pequi’ in Western Bahia. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental Campina Grande, v.19, n.8, p.791–796, 2015.

OLIVEIRA, M.E.B.; GUERRA, N.B.; BARROS, L.M.; ALVES, R.E.; Aspectos agronômicos e de qualidade do pequi. Embrapa Agroindústria Tropical, 2008. Doc. 113. 32 p.

ROCHA, D.A.; ABREU, C.M.P.; CORRÊA, A.D.; SANTOS, C.D.; FONSECA, E.W.N. Análise comparativa de nutrientes funcionais em morangos de diferentes cultivares da região de Lavras/MG. Revista Brasileira de Fruticultura, v.30, n.4, p.1124-1128, 2008.

SANTOS, C.E.; KIST, B.B.; CARVALHO, C.; REETZ, E.R.; DRUM, M. Anuário Brasileiro da Fruticultura. Santa Cruz do Sul: Editora Gazeta, 2013, p. 136.

SANTOS, M.B.; CARDOSO, R.L.; FONSECA, A.A.O.; CONCEIÇÃO, M.N. Caracterização e qualidade de frutos de umbucajá (Spondias tuberosa x S. mombin) provenientes do Recôncavo Sul da Bahia. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 32, n.4, p.1089-1097, 2010.

SATO, S.T.A.; RIBEIRO, S.C.A.; SATO, M.K.; SOUZA, J.N.S. Caracterização física e físico-química de pitayas vermelhas (Hylocereus costaricensis) produzidas em três municípios paraenses. Journal of Bioenergy and Food Science, v.1, n.2, p. 46-56, 2014.

SILVA, A.V.C.; MUNIZ, E.N. Qualidade de atemóia colhida em dois estádios de maturação. Revista Caatinga, Mossoró, v.24, n.4, p. 9-13, 2011.

SILVA, R.P.; BARROSO, A.P.S.; SANTOS, A.C.B.; AZEVEDO, L.C.; MACEDO, A.N. Caracterização físico-química de polpa de atemóia (Annona squamosa L. x Annona cherimolla) cultivada no Vale do São Francisco. In: Congresso Norte-Nordeste de Pesquisa e Inovação, 5., 2010, Maceió. Anais do V Congresso Norte-Nordeste de Pesquisa e Inovação. Maceió: IFAL, 2010.

SOUZA, I.C.C.; CARVALHO, A.C.B.; SILVA-NETO, J.M.D.; FERNANDES, J.P.C.; ROCHA-JUNIOR, J.D.; ARAÚJO, F.M.M.C.; MELO, R.L.F. Caracterização físico-química dos frutos tropicais do Nordeste Brasileiro. Research, Society and Development, v.9, n.6, e125963562, 2020.

TACO (Tabela Brasileira de Composição de Alimentos) / NEPA – UNICAMP. 4 ed. revista e ampliada – Campinas, SP: NEPA – UINICAMP, 2011.

YAH, A.R.C.; PEREIRA, S.S.; VELOZ, C.S.; SAÑUDO, R.B.; DUCH, E.S. Cambios físicos, químicos y sensoriales en frutos de pitahaya (Hylocereus undatus) durante su desarrollo. Revista Fitotecnia Mexicana, Chapingo, v.31, n.1, p. 1-5, 2008.




DOI: https://doi.org/10.30612/agrarian.v13i50.11240

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/3.0/br/

Revista Agrarian 
e-ISSN 1984-2538

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.