Sentidos e significados de ser mulher, negra, pobre e analfabeta

Samira de Moraes Maia Vigano

Resumo


Trata-se de um artigo que busca trazer relatos das sujeitas mulheres da Educação de Jovens e Adultos (EJA), de uma turma de alfabetização. Os relatos foram coletados em 2019 e fazem parte dos registros das atividades da professora daquela turma. A EJA tem por característica a forte presença de mulheres, em especial, nessa turma, eram mulheres, negras, pobres e oriundas do Nordeste do Brasil. Os relatos trazidos contextualizam processos de discriminações e preconceitos, resultantes de uma cultura machista, sexista, racista e misógina. Utiliza-se como procedimento metodológico a análise do conteúdo, respaldando-se teoricamente em Arroyo (2003, 2005 e 2010), Louro (1997), Munanga (1988, 2004 e 2006), Scott (1995) e Poggio (2012). Incorporou-se ao debate os processos constituidores de identidades relacionados às questões de gênero, raça, etnia, classe social e escolarização, objetivando compreender as relações vivenciadas pelas sujeitas da EJA, pautadas nas falas interseccionadas de gênero, raça, etnia, classe social e escolarização. Tal debate tem o propósito de consolidar as vozes das mulheres da EJA.

Palavras-chave


Gênero. Raça. Mulheres. Escolarização.

Texto completo:

PDF HTML ePUB

Referências


ARROYO, Miguel Gonzalez. Pedagogias em Movimento - o que temos a aprender dos Movimentos Sociais? Currículo sem Fronteiras, v.3, n.1, Jan/Jun , 2003, p. 28-49.

ARROYO, Miguel Gonzalez. Educação de jovens-adultos: um campo de direitos e de responsabilidade pública. In: SOARES, Leôncio; GIOVANETTI, Maria Amélia Gomes de Castro; GOMES, Nilma Lino (Org.). Diálogos na educação de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

ARROYO, Miguel Gonzáles. Políticas educacionais e desigualdades: à procura de novos significados. Educação e Sociedade, v.31, nº 113. Campinas, 2010.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

BUTLER, Judith. Problema de Gênero: feminismos e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CRENSHAW, Kimberle. Documento para encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero. Revista de Estudos Feministas - REF. v. 10, nº 1, 2002, p. 171-188.

FRANCO, Maria Laura Puglisi Barbosa. Análise de Conteúdo. Brasília: Líber Livro, 2008.

GOMES, Nilma Lino. Educação de Jovens e Adultos e questão racial: algumas reflexões iniciais. In: SOARES, Leôncio, et al (Orgs.). Diálogos na educação de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica, 2005, p. 87-104.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Mensal de Emprego. Presidência da República, PME. Setembro, Brasília, 2007.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Manual do recenseador. Censo 2010. Publicado 2014. Presidência da República, Brasília, 2010.

JESUS, Carolina Maria de. Quarto de despejo: diário de uma favelada. 10. ed. São Paulo: Ática, 2014.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós estruturalista. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

MUNANGA, Kabengele. Negritude: usos e sentidos. São Paulo: Ática, 1988.

MUNANGA, Kabengele. A difícil tarefa de definir quem é negro no Brasil. Estudos avançados [online]. v. 18, n. 50, p. 51-66, 2004.

MUNANGA, Kabengele. Apresentação. In: MUNANGA, Kabengele (Org.). Superando o Racismo na escola. 2ª edição revisada. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005, p. 15-20.

PASSOS, Joana Célia dos. As desigualdades educacionais, a população negra e a Educação de Jovens e Adultos. In: LAFFIN, Maria Hermínia Lage Fernandes (Org.). Educação de jovens e adultos, diversidade e o mundo do trabalho. Ijuí: Ed. Unijuí, 2012, p. 103-160.

PETRUCCELLI, José. Luís. A cor denominada. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2000.

POGGIO, Inês Soares Nunes. A construção das relações de gênero. In: LAFFIN, Maria Hermínia Lage Fernandes (Org.). Educação de jovens e adultos, diversidade e o mundo do trabalho. Ijuí: Ed. Unijuí, 2012, p. 88-101.

SAFFIOTI, Heleieth. A mulher na sociedade de classes: mito e realidade. São Paulo. Expressão Popular, 2013.

SAFFIOTI, Heleieth. O poder do macho. São Paulo: Moderna, 1987.

SCOTT, Joan W. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade, v. 20, n. 2, p. 71-100, 1995.

VALLE, Ione Ribeiro. Da “identidade vocacional” a “identidade profissional”: a constituição de um corpo docente unificado. Perspectiva, v. 20, n. especial, Florianópolis, p. 209- 230, 2002.

TONELI, Maria Juracy Filgueiras. Sexualidade, gênero e gerações: continuando o debate. In JACÓ-VILELA, AM., SATO, L. (Org.). Diálogos em psicologia social. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2012, p. 147-167. Disponível em: http://books.scielo.org/id/vfgfh/pdf/jaco-9788579820601-12.pdf. Acesso em: 26 mai. 2020.




DOI: https://doi.org/10.30612/frh.v22i39.12572

Fronteiras: Revista de História - PPGH/FCH/UFGD
 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.