O pensamento desconstrucionista e descentrado de Jacques Derrida: um desafio epistemológico no combate a fundamentalismos e totalitarismos

Noli Bernardo Hahn

Resumo


O tema delimitado a este artigo é o pensamento desconstrucionista de Jacques Derrida, tendo como objetivo compreender em que consiste a desconstrução da racionalidade logocêntrica e a afirmação de uma racionalidade descentrada. A questão-problema que se reflete e se argumenta é esta: o que é pensar em Derrida? A resposta a esta questão é esta: pensar é desconstruir. Ao argumentar esta resposta, evidencia-se o desafio epistemológico no combate a fundamentalismos e totalitarismos que representa o pensamento do filósofo argeliano-francês e, ao mesmo tempo, mostra-se a necessidade de uma racionalidade descentrada para a construção permanente de democracias. As metas prioritárias da desconstrução, no horizonte da filosofia de Derrida, são o combate à tirania das normas, a percepção das alienações políticas da linguagem e a luta contra a dominação dos estereótipos.

Palavras-chave


Desconstrução. Racionalidade logocêntrica. Racionalidade descentrada. Tirania das normas. Democracia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.30612/videre.v10i20.7543

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/3.0/br/

 
 
 
Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.