“Os jovens não querem escutar. Eles só querem ler.”

Odair Giraldin

Resumo


Neste artigo apresento informações sobre o processo de escolarização entre os Krahô. A questão motivadora da pesquisa é: em que medida a escolarização atual, um processo advindo de uma educação pensada, planejada e executada para índios e não uma educação indígena, ainda que cumprindo discursivamente o dever de ser “especifica e diferenciada”, é apropriada por aquele povo indígena? Estaria a escola atuando como loci de formação de um habitus não-indígena? A partir dos dados atuais da pesquisa analiso, por um lado, a política pública de oferta de educação escolar indígena no contexto local, através das ações implementadas pela SEDUC–TO e, por outro lado, analiso as ações indígenas no processo de relação com a escola e suas implicações na sociabilidade Krahô. Fruto de pesquisa em andamento, os resultados apresentados aqui têm como objetivo motivar os debates em torno da educação escolar indígena.

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


________________________________________________________________________

ISSN 2317-8590 (O código ISSN é único para todas as edições)
Todos os direitos reservados ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia - PPGAnt/UFGD
UFGD - Universidade Federal da Grande Dourados
FCH - Faculdade de Ciências Humanas
Rodovia Dourados-Itahum, Km 12 - Caixa Postal 533 - Cidade Universitária
Dourados-MS (Brasil) - CEP 79804-970

  

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.