O estranhamento e a desnaturalização por dentro: da educação autônoma para a educação autêntica

Ricardo Cortez Lopes, Célia Elizabete Caregnato

Resumo


As Orientações Currículares Nacionais (OCN) sobre o ensino de sociologia alertam para a necessidade das aulas de sociologia partirem da desnaturalização e do estranhamento como recursos epistemológicos. Após uma revisão - na qual apontamos para algumas possíveis origens culturais autônomas destes conceitos - buscamos nesse artigo reescrever o processo – que é pressuposto pelos professores de sociologia de uma maneira “poética” – a partir de uma perspectiva psico-social, utilizando-nos da descrição do processo de formação do conhecimento preconizado pela teoria das representações sociais: a objetivação e a ancoragem. Intentamos, assim, constribuir para o levantamento de dados do professor que planeja se utilizar desse recurso em suas aulas ao tornar mais operativo o uso desses conceitos, na direção de uma educação autêntica.

Texto completo:

PDF


ISSN Eletrônico: 2358-9205

 

Indexadores:

                 

 

 

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.