Feminismo de Estado pós 2016: o contexto importa?

Milena Cristina Belançon

Resumo


A ocupação de cargos na burocracia estatal foi um repertório de interação ativado por diversos movimentos sociais brasileiros, principalmente a partir da redemocratização, para que políticas públicas fossem colocadas em pauta no Estado. O movimento feminista foi um grande entusiasta desse repertório, logrando resultados bastante interessantes para se pensar a relação entre movimento social e Estado, e constitui o objeto deste trabalho. A partir de um levantamento histórico acerca da institucionalização do movimento feminista, recuperamos alguns instrumentos analíticos sugeridos para se abordar o contexto político. Desse modo, buscamos traçar uma sistematização de contribuições recentes, que foram demandadas pela realidade brasileira para medir o que não é apenas conjuntural e perene, mas também os resultados que perduram ao longo do tempo.


Palavras-chave


Movimento Feminista. Estado. Políticas Públicas.

Texto completo:

PDF

Referências


ABERS, Rebecca; BÜLOW, Marisa Von. Movimentos sociais na teoria e na prática: como estudar o ativismo através da fronteira entre estado e sociedade? Sociologias. Porto Alegre: URGS, v. 13, n. 28, p. 52–84, 2011.

ABERS, Rebecca; SILVA, Marcelo Kunrath; TATAGIBA, Luciana. Movimentos Sociais e Políticas Públicas: repensando atores e oportunidades políticas. Lua Nova: Revista de Cultura e Política. São Paulo: CEDEC, n. 105, p. 15–46, 2018.

ABERS, Rebecca; SERAFIM, Lizandra; TATAGIBA, Luciana. Repertórios de interação estado-sociedade em um estado heterogêneo: a experiência na Era Lula. Dados. Rio de Janeiro: UERJ, v. 57, n. 2, p. 325–357, 2014.

ABERS, Rebecca; TATAGIBA, Luciana. Institutional Activism: Mobilizing for Women’s Health From Inside the Brazilian Bureaucracy. In: ROSSI, Federico M.; VON BÜLOW, Marisa (Orgs.). Social movement dynamics: new perspectives on theory and research from Latin America. Social movements, protest, and contentionNew York: Farnham, Surrey, UK ; Burlington, VT, 2015. p. 73–101.

ALVAREZ, Sonia. A ‘globalização’ dos feminismos Latino-Americanos: tendências dos anos 90 e desafios para o novo milênio. In: ALVAREZ, Sonia E.; DAGNINO, Evelina; ESCOBAR, Arturo (Orgs.). Cultura e política nos movimentos sociais latino-americanos: novas leituras. Belo Horizonte: Ed. UFMG, Univ. Federal de Minas Gerais, 2000.

ALVAREZ, Sonia E. Para além da sociedade civil: reflexões sobre o campo feminista. Cadernos Pagu. Campinas: UNICAMP, n. 43, p. 13–56, 2014.

AVELAR, Lúcia; RANGEL, Patrícia. Como as mulheres se representam na política? Os casos de Argentina e Brasil. In: BLAY, Eva Alterman; AVELAR, Lúcia (Orgs.). 50 anos de feminismo: Argentina, Brasil e Chile. São Paulo: Edusp, 2017.

BANASZAK, Lee Ann. Inside and Outside the State: Movement Insider Status, Tactics, and Public Policy Achievements. In: MEYER, David S.; JENNESS, Valerie; INGRAM, Helen M. (Orgs.).Routing the opposition: social movements, public policy, and democracy. Minneapolis: University of Minnesota Press, 2005.

BELANÇON, Milena Cristina; ALMEIDA, Carla; CHAVES, Karen Laís Barbero. Panorama da expansão e da efetividade dos organismos e conselhos gestores de políticas para mulheres nos municípios brasileiros. Mediações. Londrina: UEL, no prelo.

BIROLI, Flávia. Feminismos, padrões de atuação e disputas políticas no Brasil contemporâneo. In: VEIGA, Ana Maria et al. (Orgs.). Mundo de Mulheres no Brasil. Curitiba: Editora CRV, 2019. p. 109–118.

BLAY, Eva Alterman; AVELAR, Lúcia (Orgs.). 50 anos de feminismo: Argentina, Brasil e Chile. São Paulo: Edusp, 2017.

BOHN, Simone. Feminismo estatal sob a presidência Lula: o caso da secretaria de políticas para as mulheres. Revista Debates. Porto Alegre: UFRGS, v. 4, n. 2, p. 81–106, 2010.

CARLOS, Euzeneia; DOWBOR, Monika; ALBUQUERQUE, Maria do Carmo Alves. Movimentos sociais e seus efeitos nas políticas públicas: balanço do debate e proposições analíticas. Civitas - Revista de Ciências Sociais. Porto Alegre: PUCRS, v. 17, n. 2, p. 360, 2017.

CAYRES, Domitila Costa. Ativismo Institucional no coração da Secretaria-Geral da Presidência da República: A Secretaria Nacional de Articulação Social no Governo Dilma Rousseff (2011-2014). (Tese) Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis - SC, 2015.

FELTRAN, Gabriel. Deslocamentos - trajetórias individuais, relações entre sociedade civil e Estado no Brasil. In: DAGNINO, Evelina; OLVERA, Alberto; PANFICHI, Aldo (Orgs.). A disputa pela construção democrática na América Latina. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2006. p. 371–416.

GOMIDE, Alexandre de Ávila; PEREIRA, Ana Karine; MACHADO, Raphael Amorim. Burocracia e capacidade estatal na pesquisa brasileira. In: PIRES, R.,LOTTA, G., OLIVEIRA, V. E. (Orgs.). Burocracia e políticas públicas no Brasil : interseções analíticas. Brasília: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 2018. p. 87–104.

GONZALEZ, Débora de Fina. Os Mecanismos Institucionais de políticas para as Mulheres na América Latina: Arenas de/em disputas. Anais do Congreso de la Asociación de Estudios Latinoamericanos (LASA). Anais... Barcelona. 2018.

LAVALLE, Adrian Gurza et al. Movimentos sociais, institucionalização e domínios de agência. Centro de Estudos da Metrópole. São Paulo: CEM., p. 42, 2017.

MACHADO, Lia Zanotta. Feminismos brasileiros nas relações com o Estado. Contextos e incertezas. Cadernos Pagu. Campinas: UNICAMP, n. 47, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-83332016000200301&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 22 abr. 2018.

PINTO, Céli Regina Jardim. Uma história do feminismo no Brasil. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2003.

RANGEL, Patrícia. Feminismo de Estado e Direitos Políticos das Mulheres: Argentina e Brasil. Anais do Seminário Internacional Fazendo Gênero, 10. Anais… Florianópolis. 2013.

SANTOS, Yumi Garcia dos. A implementação dos órgãos governamentais de gênero no Brasil e o papel do movimento feminista: o caso do Conselho Estadual da Condição Feminina de São Paulo. Cadernos Pagu. Campinas: UNICAMP, n. 27, p. 401–426, 2006.

SCHUMAHER, Schuma. Os movimentos feministas ontem em hoje no Brasil: desafios da sua institucionalização. In: MATOS, Marlise; ALVAREZ, Sonia E. (Orgs.). Quem são as mulheres das políticas para as mulheres no Brasil: Expressões Feministas nas Conferências Nacionais de Políticas para as Mulheres. 1. ed. Porto Alegre - RS: Zouk, 2018. v. 2.

TARROW, Sidney. O poder em movimento: movimentos sociais e confronto político. Petrópolis: Vozes, 2009.




DOI: https://doi.org/10.30612/mvt.v6i10.10569

ISSN Eletrônico: 2358-9205

 

Indexadores:

                 

 

 

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.