Hegemonia e contestação em Caetano Veloso e na teoria crítica Neogramsciana de Robert Cox: uma análise de arte e política da ordem mundial Pós-Guerra Fria

Junior Ivan Bourscheid

Resumo


O homem, na condição pós-moderna, deparando-se com momentos de transição, busca perceber a realidade em que está imerso, constrangido pelos múltiplos dilemas do espírito humano, superando a mitificação de sua aparência. Sob tal âmbito, o presente artigo procura analisar e debater a contribuição artística de Caetano Veloso para a compreensão das alterações na política internacional, e a inserção brasileira neste escopo, vivenciadas com o encerramento da ordem bipolar da Guerra Fria, encontrando na canção Fora da Ordem um arcabouço de elementos analíticos passíveis de conformarem tais anseios. Aportam-se os entrelaçamentos de arte e política, evidenciando a potencialidade relativa ao ímpeto do artista em apresentar elementos analíticos das relações políticas e sua receptividade pública, contrapondo-se ao afã teórico-científico, obstado por restrições metodológicas. Concebe-se, assim, a aproximação da canção de Caetano Veloso com a Teoria Crítica Neogramsciana de Robert Cox, em seu afã de contestar e apresentar alternativas viáveis às abordagens hegemônicas das Relações Internacionais.

Palavras-chave


Pós-Guerra Fria. Teoria Crítica. Caetano Veloso.

Texto completo:

PDF


Monções: Revista de Relações Internacionais da UFGD - ISSN 2316-8323 - Dourados - MS, Brasil.

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.