Dinâmicas de Norma Internacional e mudança política

Kathryn Sikkink, Martha Finnemore, Gustavo Macedo, Renata Preturlan

Resumo


Preocupações normativas e ideacionais sempre permearam o estudo da política internacional, e são uma linha consistente na revista International Organization. Quando a IO foi fundada, as visões realistas dominantes da política, embora rejeitassem o idealismo, estavam muito preocupadas com questões relativas a legitimidade e ideologia. O início da Guerra Fria, afinal de contas, não era simplesmente um conflito de posições entre grandes potências anônimas: era uma guerra por "corações e mentes". A combinação de poder e um “propósito social legítimo" era central para a política externa norte-americana desse período.  Ao mesmo tempo, os pesquisadores de relações internacionais estavam estudando dois dos maiores projetos de construção social do período: a integração europeia e a descolonização. Os neofuncionalistas, assim como os realistas, estavam conscientemente tentando se afastar dos predecessores “idealistas” (nesse caso, David Mitrany e seus colegas), mas a rede complexa de tarefas técnicas que eles delinearam almejava mais do que promover bem-estar material: visava, em última instância, fins ideacionais e sociais. O efeito spillover deveria fazer mais do que criar tarefas técnicas adicionais; ele deveria mudar atitudes, identidades e afetos entre os participantes. Da mesma forma, os estudiosos reconheciam que a descolonização foi impulsionada por uma agenda profundamente normativa, a qual explicitamente procurou reconstituir as identidades tanto dos novos Estados e de seus antigos colonizadores, como as relações entre eles.

Texto completo:

PDF


Monções: Revista de Relações Internacionais da UFGD - ISSN 2316-8323 - Dourados - MS, Brasil.

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.