O Brasil de Lula da Silva: entre o Regional e o Global. O caso da UNASUL

Carolina Silva Pedroso

Resumo


A política externa brasileira durante os anos Lula da Silva ficou caracterizada pela diversificação de parcerias e instâncias, para efetivar uma inserção cada vez mais protagônica. O surgimento de novas iniciativas de integração na América do Sul neste período, bem como o fortalecimento de estruturas já existentes, tem sido atribuídos à maior vontade política do Brasil em levar adiante um projeto regional para seu entorno geográfico. Por outro lado, é preciso considerar a autonomia como aspecto fundamental de nossa diplomacia, uma vez que ela remete à ideia de que o país não deseja estar limitado em sua ação externa por nenhum arranjo que possa lhe causar constrangimentos. Assim, este trabalho procura entender se a busca por autonomia (traço da nossa diplomacia) e o retorno ao modelo desenvolvimentista (característica relevante do governo Lula) - elementos que nem sempre são positivos para a integração regional - influenciaram na criação da União Sul-Americana de Nações (UNASUL) e refletir sobre a dualidade brasileira em conferir ênfase à América do Sul, ao mesmo tempo em que almeja ser um ator global.

Palavras-chave


Política externa brasileira. autonomia. UNASUL.

Texto completo:

PDF


Monções: Revista de Relações Internacionais da UFGD - ISSN 2316-8323 - Dourados - MS, Brasil.

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.