A figura da Virgem Maria sob a ótica das Cartas dogmáticas e representações culturais.

João Paulo Pacheco Rodrigues

Resumo


Nos últimos séculos, o papel da Virgem Maria dentro da Igreja Católica passou por uma mudança paulatina substancial. De uma vaga referencia evangélica a um personagem eximiamente familiar e divino de modo equivalente ao seu filho, Nossa Senhora vem recebendo tributos e homenagens ao seu nome na praticamente na mesma proporção que seu filho. Nesse artigo problematizaremos essa transformação da Imaculada, sob dois prismas: documentos e cartas dogmáticas e representações iconográficas e iconológicas da Virgem.

Palavras-chave


Representação. Marianismo. Iconografia.

Texto completo:

PDF

Referências


ADUCCI, Edésia. Maria e seus títulos gloriosos. São Paulo. Ed Loiola. 1998.

AQUINO, Mauricio de. História e Devoção. A construção Social do culto a Nossa Senhora Aparecida do vagão queimado de Ourinhos (1954-2004). Bauru. EDUSC. 2011.

Bíblia Sagrada Edição Pastoral. Editora Paulus. 1990

BOFF, L. O rosto materno de Deus. Petrópolis: Vozes, 1979;

CERTEAU, M A invenção do cotidiano: 1, Artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

CHARTIER, R. História cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1988.

CHARTIER, Roger. À Beira da falésia: a história entre incertezas e inquietudes. Trad. Patrícia Chittoni Ramos. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 2002.

CIPOLLINI. Pedro Carlos. O dogma da Imaculada Conceição. Edições CNBB. Santo André. 2017.

ELIAS, N. O processo civilizador: Uma história dos costumes. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. Ed., 1994, v I.

COUTO, Edilece Souza. Tempo de festas: homenagens a Santa Bárbara, N. S. da Conceição e Sant’Ana em Salvador (1860 – 1940). (dissertação) UNESP. 2004. Assis. São Paulo.

DE VARAZZE, J. (2003). Legenda áurea: vida de santos. São Paulo, Companhia das Letras.

MACHADO. Nossa Senhora do Rocio, padroeira do Paraná. Curitiba. Governo do estado do Paraná. 1998.

PETRUSKI, R. Maura. Julho Chegou... E A Festa Também: Sant’ana E Suas Comemorações Na Cidade De Ponta Grossa (1930-1961). Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2008.

POPE PIUS XII: "Munificentissimus Deus - Defining the Dogma of the Assumption". Vatican, November 1, 1950.

REESINK, Misia Lins, PARA UMA ANTROPOLOGIA DO MILAGRE: Nossa Senhora, seus devotos e o regime Militar. Caderno CRH. Salvador v.18, n.44. p. 267-280. 2005.

SAEZ, Oscar Calavia. Ídolos, mitos, legendas. Sobre a interpretação da iconografia católica. In: MANOEL, Ivan Manoel; ANDRADE, Solange Ramos de (Orgs). Identidades religiosas. Franca: UNESP-FHDSS; Civitas Editora, 2008. p. 203-227.

SANTOS, Antônio César de Almeida. Provimentos do ouvidor Pardinho para Curitiba e Paranaguá (1721) in. TOMAZI, Nelson Dacio. “Norte do Paraná” História e Fantasmagorias. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1997.

SILVA, B. S. . Imagens e representações de Nossa Senhora no periódico O Mensageiro. Encontro Nacional de Pesquisadores de Periódicos Literários, 4., 2010, Feira de Santana. Anais. Feira de Santana: Uefs, 2013.




DOI: https://doi.org/10.30612/rehr.v12i23.7582

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.