Descargas atmosféricas e o olhar geográfico: estudo de caso das ocorrências na bacia hidrográfica do Rio Paraíba do Sul (São Paulo) e implicações na sociedade

Elder Bortolin, Emerson Galvani

Resumo


Realizou-se um estudo da ocorrência de descargas atmosféricas, popularmente conhecidas como raios, na região de maior ocorrência do fenômeno dentro da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul (São Paulo), em descargas por km²/ano. Analisaram-se as formas e implicações dessas ocorrências na sociedade com base nos números e nas circunstâncias dos óbitos. A base de dados utilizadas foi obtida junto ao Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) em uma série temporal de 13 anos, analisando o período de 1998 a 2011. Como resultados foi possível observar regiões com maior incidência de relâmpagos dentro da área analisada. Também foi possível, dentro deste recorte, visualizar os municípios onde se tem as maiores ocorrências de óbitos por descargas atmosféricas. Análises de como ocorrem esses óbitos, quais são as circunstâncias e quais são os potenciais fatores que colocam a população em risco, também entram nos resultados alcançados. A principal causa do elevado número de óbitos por descargas atmosféricas no país ainda é reflexo de uma falta de conscientização da população com relação às formas de manifestação desses fenômenos elétricos da atmosfera, bem como das formas de se proteger dos mesmos. Os avanços no entendimento de como ocorrem as fatalidades por descargas atmosféricas no país ajudam a direcionar medidas de proteção para a população. Ao entender a dinâmica das ocorrências de óbitos, é possível criar políticas de prevenção e materiais educativos voltados para a realidade nacional. Se os maiores números de óbitos ocorrem no setor rural, com trabalhadores do campo, é possível direcionar programas de proteção para este setor da sociedade.

Palavras-chave


Descargas Atmosféricas. Relâmpagos. Tempestades. Rio Paraíba do Sul. Óbitos.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO PRÓ-GESTÃO DAS ÁGUAS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARAÍBA DO SUL (AGEVAP). Plano de Recursos Hídricos da Bacia do Rio Paraíba do Sul – Diagnóstico dos Recursos Hídricos; Relatório Final. Elaboração: Fundação COPPETEC, Laboratório de Hidrologia e Estudos de Meio Ambiente. PSR-010-R0 / Novembro – 2006.

CARDOSO, I. Os Números (SURPREENDENTES) de Mortes por Raios no Brasil. Scientifi c American, ed. n° 110, Julho de 2011. Disponível em: http://www2.uol.com.br/sciam/reportagens/os_numeros__surpreendentes__de_mortes_por_raios_no_brasil.html. Acesso em 25 de Novembro de 2013.

CAVALCANTI, Iracema F. A. (Org.). Tempo e clima no Brasil. São Paulo: Oficina de Textos, 2009.

COMITÊ DE INTEGRAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARAÍBA DO

SUL (CEIVAP). Dados Gerais. http://www.ceivap.org.br/dados-gerais.php. Acesso em 28 de Janeiro de 2017

CONTI, J. B. Circulação secundária e efeito orográfico na gênese das chuvas na região lesnordeste paulista. Doutorado, Universidade de São Paulo, Instituto de Geografia, São Paulo, 1975.

INPE, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. ELAT, Grupo de Eletricidade Atmosférica. Ponto de Vista/Editorial ELAT nº7. http://www.inpe.br/webelat/homepage/menu/noticias/editorial.php?id=8. Acesso em 4 de abril de 2014.

INPE, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. ELAT, Grupo de Eletricidade Atmosférica. Ocorrências na Terra. http://www.inpe.br/webelat/homepage/menu/relamp/relampagos/ocorrencia.na.terra.php. Acesso em 21 de outubro de 2013.

INPE, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. ELAT, Grupo de Eletricidade Atmosférica. Aquecimento Global. http://www.inpe.br/webelat/homepage/menu/infor/relampagos.e.efeitos/aquecimento. global.php. Acesso em 21 de outubro de 2013.

INPE, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. ELAT, Grupo de Eletricidade Atmosférica. Solo.http://www.inpe.br/webelat/homepage/menu/infor/relampagos.e.efeitos/solo.php. Acesso em 21 de outubro de 2013.

INPE, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. ELAT, Grupo de Eletricidade Atmosférica. Núcleo de Monitoramento de Descargas Atmosféricas. http://nucleo.tempestades.org.br/tempestades.org.br/webnucleo/homepage/menu/mortes.

por.descargas.atmosfericas/mortes.por.descargas.atmosfericas.php. Acesso em 21 de Outubro de 2013.

INPE, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. ELAT, Grupo de Eletricidade Atmosférica. Release ELAT Nº 39. http://www.inpe.br/webelat/homepage/menu/noticias/release.php?id=70. Acesso em 28 de Janeiro de 2017.

MACGORMAN, D. R.; RUST, W. D. Th e Electrical Nature of Storms. New York, USA: Oxford University Press, 1998.

MENDES JR., O; DOMINGUES, M. O. Introduction to the atmospheric electrodynamics. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 24, n. 1, p. 3–19, 2002.

NACCARATO, K. P. Estudo de relâmpagos no Brasil com base na análise de desempenho do Sistema de Localização de Tempestades. 2001. 165p. (INPE-8380- TDI/770). Dissertação (Mestrado em Geofísica Espacial) – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, São José dos Campos. 2001.

Disponível na biblioteca digital URLib: http://mtc-m05.sid.

inpe.br:80/rep-/dpi.inpe.br/lise/2002/03.28.19.09. Acesso em: 31 mar. 2014

NACCARATO, K. P. Análise das características dos relâmpagos na região sudeste do Brasil. – São José dos Campos: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), 2005.

NASA, National Aeronautics and Space Administration. Lightning and Atmospheric Electricity Research at the GHCC/ LIS Global Lightning Distributions. ftp://ghrc.nsstc.nasa.gov/pub/browse/lis/lis-summaries/2011/2011.png, acesso em 14 de janeiro de 2014.

PINTO, I. A.; PINTO JR., O. Relâmpagos. 2. ed. São Paulo: BRASILIENSE, 2008.

RAKOV, Vladimir A.; UMAN, Martin A. Lightning: Physics and Eff ects. New York, USA: Cambridge University Press, 2003.

ROSS, J. L. S. (Org.). Geografi a do Brasil. São Paulo: EdUSP, 1996.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Subsídios ao planejamento ambiental da unidade hidrográfi ca de gerenciamento de recursos hídricos Paraíba do Sul: UGRHI 02 [recurso eletrônico] / Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Coordenadoria

de Planejamento Ambiental; Organização Márcia Renata Itani... [et al.]; Equipe técnica Alana Almeida de Souza ... [et al.] ; Colaboradores Alberto Cavalcanti de Figueiredo Netto ... [et al.]. – São Paulo: SMA, 2011.




DOI: https://doi.org/10.30612/el.v8i16.5947

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.