Processamento de frutos do cerrado na forma de geleias integrais

Thâmilla Thalline Batista de Oliveira, Rômulo Alves Morais, Poliana Guerino Marson, Silvana Marques Filgueiras Teixeira, Glêndara Aparecida de Souza Martins

Resumo


As frutas nativas ocupam um lugar de destaque no ecossistema do cerrado, sendo comercializadas em feiras livres e com grande aceitação popular. Portanto, é necessário processar essas frutas, já que muitas delas são sazonais e altamente perecíveis. Assim, o objetivo deste estudo é a utilização integral dos frutos buriti, cajuí e murici em forma de gelatina com substituição da pectina comercial por albedo de maracujá, bem como a avaliação da viabilidade de inclusão deste produto no lanche da escola. . Análises físicoquímicas de frutos in natura e processados foram determinadas. A análise sensorial foi realizada utilizando uma escala hedônica de nove pontos. Os resultados foram submetidos à análise de variância e teste de Tukey. Não foram observadas diferenças estatísticas entre os frutos in natura nos parâmetros de cinza, cor, proteína, atividade antioxidante e lipídios. Quando analisadas as geleias foram diferenças estatísticas para os valores de pH, acidez, umidade, cinzas, açúcares redutores e não redutores, carotenóides, atividade antioxidante, lipídios e vitamina C. Os resultados na análise sensorial mostraram que não houve diferença significativa entre os geleias quanto aos atributos de aparência, aroma, sabor, textura e impressão geral. Em geral, os frutos analisados são considerados ácidos e possuem alta atividade antioxidante.

Palavras-chave


Análise sensorial. Propriedade funcional. Qualidade.

Texto completo:

PDF (English)

Referências


ALVES, C. Q.; BRANDÃO, H. N.; DAVID, J. M.; DAVID, J. P; LIMA, L. S. Avaliação da atividade antioxidante de flavonóides. Diálogos e ciência – Revista da rede ensino FTC, 5(12): 7-8, 2007.

AOAC INTERNATIONAL (1997). Official methods of analysis of the association of official analytical chemists. Arlington: 1997.

ASSIS, M. M. M.; MAIA, G. A.; FIGUEIREDO, E. A. T.; DE FIGUEIREDO, R. W.; MONTEIRO, J. C. S. Processamento e estabilidade de geléia de caju. Revista Ciência Agronômica, v. 38, n. 1, p. 46-51, 2008.

AVIDOS, F. D.; FERREIRA, L. T. Frutos do Cerrado – Preservação gera muitos frutos. Biotecnologia Ciência & Desenvolvimento. Brasília: v.3, n.15, pp 36-41, jul/ago 2000.

BARBOSA, S. D. et al.; Produtividade de duas espécies frutíferas nativas do Cerrado. Cadernos de Agroecologia, v. 10, n. 3, 2016.

BRAND-WILIAMS, W.; CUVELIER, M. E.; BERSET, C. Use of a free radical method to evaluate antioxidant activity. Food Science and Technology. Giorgia: v.28, n.1, pp 25-30, jun.1994.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada - RDC nº 272, de 22 de setembro de 2005. Dispõe sobre o "Regulamento Técnico para produtos de vegetais, produtos de frutas e cogumelos comestíveis". Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Poder executive, Brasília, DF: 22 de setembro de 2005. Seção 1, p. 374.

CANUTO, G. A. B.; XAVIER, A. A. O.; NEVES, L. C.; BENASSI, M. T. Caracterização físico-química de polpas de frutos da Amazônia e sua correlação com a atividade anti-radical livre. Revista Brasileira de Fruticultura. Jaboticabal: v. 32, n. 4, pp 1196- 1205, dez. 2010.

CECCHI, H M. Fundamentos teóricos e práticos em análise de alimentos. Campinas: Editora UNICAMP, 2003, 207 p.

CHITARRA, M. I. F.; CHITARRA, A. D. Pós-colheita de frutas e hortaliças: fisiologia e manuseio. Lavras: UFLA, 2005. 785 p.

COSTA, N. Q.; ANDRADE, A. V. C.; CUNHA, E. M. F., MOREIRA, A. R. S. R; ARAÚJO, M. A. M. Determinação de compostos fenólicos e atividade antioxidante em polpa e casca do murici (Byrsonima Berbascifolia). Revista Nutrire. São Paulo: v. 36, n.11, pp 261-265, jun.2011.

ELEUTERIO, R. M. C. Variação do Teor de Acido Ascórbico e de b-caroteno em Suco e Geléia de Acerola (Malpighia glabra L.–Sinônimo M. punicifolia L.) Durante o Armazenamento. 1998. 77 f. Dissertação (Mestrado)- Universidade de São Paulo, Piracicaba, 1998.

FERREIRA, M. G. R. Buriti (Mauritia flexuosa L.). Rondônia: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro de Pesquisa Agro florestal de Rondônia, [2005]. 1 folder.

FERREIRA, V. L. P. et al. Análise sensorial: testes discriminativos e afetivos. Campinas: SBCTA, 2000.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Normas analíticas do Instituto Adolfo Lutz: métodos químicos e físicos para análise de alimentos. 4ª ed. São Paulo (SP): Instituto Adolfo Lutz; 2005.

MARTINS, S. A.; ARRUDA, L. C. S.; OLIVEIRA, G. G. de; PINTO, D. M. Elaboração e análise microbiológica, sensorial e físico-química de geleia produzida com diferentes concentrações de polpa e casca de manga. Revista Eletrônica da Univag. n.9. 2013.

MONTEIRO, D. C. B.; SOUSA, W. C.; PIRES, C. R. F.; AZEVEDO, L. A.; BORGES, J. S. Caracterização físico-química do fruto e da geleia de murici (Byrsonima crassifólia). Enciclopédia biosfera, Centro Científico Conhecer - Goiânia, v.11 n.21; p. 2015.

PORTO, R. G. C. L.; Influência do estádio de maturação no teor de compostos bioativos e antioxidantes no cajuí (Anacardium humile St. Hill) e castanhola (Terminalia catappa L.). 2014. 65f. Tese (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Alimentos e Nutrição da Universidade Federal do Piauí, Teresina.

REINHARDT, D. H. R; MEDINA, V. M. Crescimento e qualidade do fruto do abacaxi cvs. Pérola e Smooth Cayenne. Pesq. Agropec. Bras., v. 27, n. 3, p. 435-447, 1992.

RUFINO, M. S. M.; ALVES, R. E.; BRITO, E. S.; MORAIS, S. M.; SAMPAIO, C. G.; PÉREZ-JIMÉNEZ, J.; SAURA, C. F. D. Metodologia Cientifica: Determinação da Atividade Antioxidante Total em Frutas pelo método de Redução do Ferro (FRAP). Fortaleza: Embrapa Agroindústria Tropical, 2006. 4p. Comunicado Técnico.

RUFINO, M. S. M.; FERNANDES, F. A. N.; ALVES, R. E.; BRITO, E. S. Free radical-scavenging behaviour of some north-east Brazilian fruits in a DPPH system. Food Chemistry. Columbus, v.114, n.2, p.693-695, 2009.

SOUSA, M. S. B; VIEIRA, L. M.; LUANNE, M.; LIMA, A. Perfil físico-químico, compostos bioativos e propriedade antioxidante do murici (Byrsonima Verbascifolia). Revista Nutrire. São Paulo, v. 36, n.11, pp.16-19, jun.2011.

SOUZA, V. R.; PEREIRA, P. A. P.; QUEIROZ, F.; BORGES, S. V.; CARNEIRO, J. D. S. Determination of bioactive compounds, antioxidant activity and chemical composition of Cerrado Brazilian fruits. Food Chemistry, v. 134, p. 381-386, 2012.

STONE, H.; SIDEL, J. Sensory evaluation practices. 3rd. ed. New York: Academic Press, 2005. 377 p.

VALLILO, M. I. et al. Caracterização química e valor nutricional dos frutos de Byrsonima myricifolia Griseb (Malpighiaceae) – alimento de aves silvestres. Revista Instituto Floricultura. São Paulo: v. 19, n. 1, pp. 39 -45, jun. 2007.




DOI: https://doi.org/10.30612/agrarian.v13i47.8958

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/3.0/br/

Revista Agrarian 
e-ISSN 1984-2538

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.