AVALIAÇÃO DA SELETIVIDADE DO CLOMAZONE ISOLADO OU EM MISTURA PARA O ALGODOEIRO

João Guilherme Zanetti de Arantes, Hudson Kagueyama Takano, Jamil Constantin, Rubem Silvério de Oliveira Junior, Guilherme Braga Pereira Braz, Alexandre Gemelli

Resumo


o presente trabalho teve como objetivo avaliar a seletividade do clomazone isolado ou em associação com herbicidas aplicados em pré-emergência e/ou “over the top” na cultura do algodoeiro por meio de testemunhas duplas. O delineamento experimental utilizado em todos os experimentos foi blocos ao acaso, em esquema de parcelas subdivididas, com quatro repetições. Os experimentos foram conduzidos com a utilização de testemunhas duplas, portanto, cada subparcela que recebeu herbicida ficou com duas outras subparcelas adjacentes sem herbicidas, as quais foram denominadas testemunhas laterais. Os tratamentos foram compostos por herbicidas aplicados isoladamente e por misturas em tanque em pré-emergência, além do complemento com uma aplicação em “over the top”. Realizaram-se avaliações visuais de fitointoxicação, estande, altura média de plantas (cm) e produtividade. Conclui-se que misturas triplas aplicadas em pré-emergência foram seletivas quanto à produtividade. Os tratamentos clomazone + S-metolachlor e clomazone + alachlor aplicadas em pré-emergência, proporcionaram reduções significativas na produtividade e foram considerados não seletivos. Há diferença na seletividade de um herbicida quanto a sua modalidade de aplicação. S-metolachlor quando aplicado em “over the top” foi seletivo a cultura. Quando há efeito do herbicida no porte da planta, há maiores chances deste tratamento apresentar menor produtividade.

Palavras-chave


Controle químico, testemunhas duplas, Gossypium hirsutum, over the top.

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.