Enxertia do meloeiro rendilhado e seus feitos sobre a produção em ambiente protegido

Lucas Aparecido Gaion, Letícia Akemi Ito, Guilherme Matos Martins Dizniz, Hudson de Oliveira Rabelo, Lucas da Silva Santos

Resumo


O emprego da enxertia pode induzir maior vigor nas plantas, maior produtividade e resistência a patógenos de solo. No entanto, para aplicação de seus benefícios é necessário o estabelecimento do estádio ideal para sua realização e da combinação porta-enxerto e enxerto mais adequada, ou seja, conhecer a relação de compatibilidade e incompatibilidade entre os mesmos. Diante do exposto o objetivo deste trabalho a utilização de diferentes genótipos de cucurbitáceas como porta-enxertos para o meloeiro rendilhado ‘Fantasy’ e seus efeitos sobre a produção do meloeiro. Para tanto, empregou-se o delineamento em blocos casualizados com 33 tratamentos, constituídos pelos diferentes genótipos de cucurbitáceas utilizados como porta-enxertos, auto-enxertia e testemunha sem enxertia e quatro repetições para estudo de compatibilidade. Empregou-se a técnica de enxertia por fenda-cheia e as plantas foram cultivadas em casa de vegetação, avaliou-se características como, porcentagem de sobrevivência das plantas, diâmetro do caule, abaixo, na região e acima da região de enxertia, além de variáveis qualitativas, como, teor de sólidos solúveis, e rendilhamento e quantitativas, como massa média dos frutos e espessura de polpa. O porta-enxerto pepino ‘Caipira’ proporcionou os maiores valores de produtividade.


Palavras-chave


Cucumis melo L., Cucurbitaceae, cultivo protegido, enxertia, hortaliças

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.30612/agrarian.v10i37.3478

Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.