Influência da injeção do ar atmosférico e doses de nitrogênio, na absorção de nutrientes pela raiz de rabanete

Alessandra Conceição Oliveira, Raimundo Leite Cruz, Isabel Susana dos Santos Leal, Guilherme Augusto Biscaro, Elisângela Aparecida da Silva

Resumo


O presente trabalho teve como objetivo avaliar o desenvolvimento e produtividade da cultura do rabanete submetido a concentrações de nitrogênio na água de irrigação e a injeção ou não de ar atmosférico na tubulação de irrigação, em várias épocas do ano. O experimento foi conduzido na Universidade Estadual Paulista (UNESP), Campus de Botucatu, SP, sendo realizado em quatros ciclos de cultivo: durante a época da primavera, verão, outono e inverno. O delineamento experimental foi realizado em blocos ao acaso com os tratamentos arranjados em esquema fatorial 2 x 5, com 4 repetições. Os tratamentos consistiram na injeção ou não de ar no sistema de irrigação e de cinco doses de nitrogênio (0%, 25%, 50%, 75% e 100% da recomendação de N para a cultura). As avaliações foram realizadas aos 14, 21, 28 e 35 dias após a semeadura (DAS). O parâmetro de análise foi através da massa seca da raiz, para obtenção da taxa de absorção e exportação. Os resultados foram submetidos à análise de variância pelo teste F. As médias foram comparadas pelo teste de Scott-Knott a 5% de probabilidade para ar atmosférico e estação, e regressão a 5% de probabilidade para doses de nitrogênio e época de avaliação. Concluiu-se que a marcha de absorção foi de N< K< Ca< P< Mg< S< Fe< B< Zn< Cu,  para a taxa de exportação foi de K< N< Ca< P< S< Mg< Fe< Zn< Mn< Cu

 

 


Palavras-chave


análise de crescimento, irrigação por gotejamento, marcha de absorção, adubação, nitrogênio.

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.