Características de carcaça de cordeiros nativos de Mato Grosso do Sul terminados em confinamento

Marcelo Costa de Lima, Fernando Miranda de Vargas Júnior, Charles Ferreira Martins, Guilherme dos Santos Pinto, Keni Eduardo Zanoni Nubiato, Alexandre Rodrigo Mendes Fernandes

Resumo


Objetivou-se avaliar as características de carcaça de cordeiros nativos sul-mato-grossense, machos e fêmeas, terminados em confinamento. Foram utilizados 24 cordeiros, sendo 10 machos não castrados e 14 fêmeas, com peso médio inicial de 13,99 kg, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado e receberam dieta 100% concentrada contendo casca de soja como única fonte de fibra. Foram avaliadas as características de desempenho, as características de carcaça, os componentes corporais externos, da carcaça, sangue e os componentes não constituintes da carcaça. O peso final foi superior nos machos (35,62 x 28,50 kg), os quais também obtiveram um ganho médio diário de 74 g a mais que as fêmeas. Não foi observado efeito do sexo para as características de carcaça, com exceção do rendimento de carcaça fria que foi maior nas fêmeas (51,46 x 48,76%). As médias das medidas da carcaça e porcentagem dos pesos dos cortes comerciais da meia carcaça e suas médias não apresentaram diferença entre os sexos. Nos componentes não constituintes da carcaça, não foram observadas diferenças entre os sexos exceto para órgão reprodutor, rins e gordura renal, tendo os machos apresentado os maiores valores. Os machos apresentaram maior peso para rúmen/retículo, omaso vazio, abomaso cheio e intestino delgado vazio. Para os pesos dos componentes corporais externos, da carcaça e do sangue, foi observado superioridade dos machos apenas para o peso de pele e cabeça. O confinamento de cordeiros nativos alimentados com ração 100 % concentrado é eficiente e produtivo, no entanto as fêmeas apresentaram um desempenho inferior em relação aos machos.


Palavras-chave


Compacidade, componentes não-carcaça, ganho de peso, rendimento

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian

ISSN da versão online: ISSN 1984-2538
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.