Qualidade de filés de peito de frango de corte marinados e maturados

Rodrigo Garófallo Garcia, Viviane Maria Oliveira dos Santos, Fabiana Ribeiro Caldara, Ibiara Correia de Lima Almeida Paz, Irenilza de Alencar Nääs, Silvana Simm, Rodrigo Borille, Ana Flávia Basso Royer

Resumo


Um experimento foi conduzido para avaliar as características qualitativas e quantitativas da carne de frango de corte marinados e maturados. Os filés de peito (n = 90) foram submetidos a três soluções de marinação: água (controle), cloreto de sódio e glutamato monossódico e três tempos de maturação (0, 24, 48 h), em um arranjo fatorial 3 x 3. Avaliou-se as características de pH, dimensionamento de peito (DP), perda de peso por cozimento (PPC), força de cisalhamento (FC), capacidade de retenção de água (CRA) e perda de exsudato (PE). Os tratamentos não alteraram o valor do pH. A espessura dos filés foi afetada (p<0,05) por ambos os tratamentos, para o DP. A PPC diminuiu (p<0,05) inversamente ao tempo de maturação, sendo que o cloreto de sódio apresentou os melhores resultados. A FC foi melhorada pelos processos (p<0,001), o cloreto de sódio associado a maturação no tempo 24h proporcionou filés muito macios. Os tratamentos não melhoraram a CRA (p>0,05), mas afetaram a PE (p<0,001) quando se aumentou o tempo de maturação, diminuiu a perda por exsudação. A marinação com cloreto de sódio demonstrou ser um método interessante para o processamento de filés de peito de frango. A técnica de maturação pode ser utilizada para melhorar as características de qualidade destes filés.


Palavras-chave


filé de peito de frango, marinação, maturação e qualidade de carne

Texto completo:

PDF




Revista Agrarian 
e-ISSN 1984-2538

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.